Banner Outras
Notícias recentes
Conhecido como “maníaco da lanterna”, serial killer é condenado a 21 anos de prisão por morte de mulher

Conhecido como “maníaco da lanterna”, serial killer é condenado a 21 anos de prisão por morte de mulher

access_time22/08/2018 07:23

O serial killer Cláudio de Souza, mais conhecido como “Maníaco da Lanterna”, foi condenado a 21 anos

Com aumento de casos de Covid, TJ recua de reabrir fóruns em MT no dia 15

Com aumento de casos de Covid, TJ recua de reabrir fóruns em MT no dia 15

access_time08/06/2020 09:35

O Poder Judiciário de Mato Grosso prorrogou até 30 de junho de 2020 o fechamento das portas do Palác

PM prende suspeito de estuprar adolescente de 13 anos dentro de rio em Cáceres

PM prende suspeito de estuprar adolescente de 13 anos dentro de rio em Cáceres

access_time02/07/2018 08:32

Um homem de 43 anos foi preso pela Polícia Militar nesse sábado (30), em Cáceres, a 220 km de Cuiabá

Servidores penitenciários de MT fazem paralisação de 48 horas por falta de efetivo e superlotação
Penitenciária Central do Estado (PCE), em Cuiabá (Foto: TV Globo)

Servidores penitenciários de MT fazem paralisação de 48 horas por falta de efetivo e superlotação

MT tem mais de 11 mil presos em 55 cadeias, penitenciárias e unidades prisionais. A principal reivindicação é a falta de servidores e a superlotação no sistema penitenciário

access_time11/07/2018 10:09

Os servidores do sistema penitenciário de Mato Grosso fazem uma paralisação de 48 horas a partir desta quarta-feira (11) em todas as unidades do estado.

De acordo com o Sindicato dos Servidores Penitenciários (Sindspen-MT), a principal reivindicação é a falta de servidores e a superlotação no sistema penitenciário.

A categoria pede a convocação dos aprovados no último concurso público. Os servidores alegam que trabalham com o mesmo número de pessoas desde 2010. Outro ponto reivindicado é a atualização do adicional de insalubridade.

Segundo o sindicato, o governo havia estabelecido prazo de 15 dias para apresentar um cálculo e uma proposta de aumento, porém, o tempo expirou.

Mato Grosso tem mais de 11 mil presos no sistema prisional em 55 cadeias, penitenciárias e unidades prisionais.

Durante a paralisação, não deve haver:

  • atendimento aos advogados;
  • atendimento aos oficiais de Justiça (salvo alvará e mando de prisão de réu preso);
  • visitas;
  • assistências penais (educacionais, laborativas e religiosas);
  • atendimento de saúde (exceto urgência emergência);
  • recebimento de presos.

O protesto da categoria está previsto para ser encerrado na quinta-feira (12). A decisão foi tomada em assembleia geral do sindicato no dia 5 de julho.

Outro lado
Em nota, a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos de Mato Grosso (Sejudh-MT) informou que durante a paralisação dos agentes penitenciários serão garantidos os funcionamentos de todos os serviços essenciais.

Os serviços incluem a ronda, guarita e vigilância, cumprimento de alvará de soltura; entrega de alimentação e medicamentos (sob prescrição médica); saídas para audiência admonitória e emergências médicas, banho de sol, recebimento de presos de outros estados e também aqueles advindos de audiências de custódia.

Em relação à convocação de aprovados no concurso, a Sejudh esclareceu que o chamamento dos integrantes do cadastro de reserva deve ser realizado respeitando a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e, para tanto, a Procuradoria-Geral do Estado está concretizando um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) junto ao Ministério Público Estadual que permita ao estado convocar a primeira turma dos aprovados ainda neste ano.





Por: G1 MT

Outras notícias

Comentários