Camara Peixoto
Notícias recentes
Hoje 27 de junho acontece mais uma sessão ordinária da Câmara Municipal de Peixoto de Azevedo

Hoje 27 de junho acontece mais uma sessão ordinária da Câmara Municipal de Peixoto de Azevedo

access_time27/06/2022 08:30

O presidente da Câmara Evandro Kommers e os demais Vereadores convidam a toda a população de Peixoto

Acidente em Nova Mutum envolve três carretas, dois carros e uma ambulância da prefeitura de Matupá ; um ferido

Acidente em Nova Mutum envolve três carretas, dois carros e uma ambulância da prefeitura de Matupá ; um ferido

access_time13/05/2022 08:13

O acidente foi ontem, no final da tarde, envolvendo uma ambulância, três carretas e dois veículos, n

Encontro de Donald Trump e Kim Jong-un será no dia 12 de junho em Singapura

Encontro de Donald Trump e Kim Jong-un será no dia 12 de junho em Singapura

access_time10/05/2018 20:58

O encontro histórico entre o presidente americano Donald Trump e o líder norte-coreano Kim Jong-un s

SOS Mulher MT, um auxílio digital a vítimas de violência doméstica em Mato Grosso

SOS Mulher MT, um auxílio digital a vítimas de violência doméstica em Mato Grosso

Projeto oferta serviço de solicitação de medida protetiva on-line e aplicativo onde a vítima pode acionar o botão do pânico virtual

access_time30/06/2021 08:02

O medo e a vergonha da exposição levam muitas mulheres a não buscar ajuda quando são vítimas de qualquer situação de violência doméstica. Em Mato Grosso, a maior parte das vítimas dos feminicídios ocorridos no ano passado nunca tinham solicitado uma medida protetiva, mecanismo previsto na Lei 11.340/2006 (Lei Maria da Penha) que determina que o agressor deve se manter afastado da vítima, seja da residência ou trabalho.

Chegar a uma delegacia para, ao menos, solicitar uma medida protetiva, é um processo doloroso, muita vezes vigiado pelo agressor, que não permite nem que a vítima saia de casa, fato que ocorreu em diversas ocasiões durante a pandemia, em que o isolamento social foi obrigatório.

Pensando em facilitar cada vez mais o acesso a alternativas que possam auxiliar as vítimas de violência a buscar os serviços públicos de auxílio, a Polícia Civil de Mato Grosso, em parceria com o Poder Judiciário e a Secretaria de Segurança Pública criou dois serviços reunidos no projeto SOS Mulher MT. 

Um é o site sosmulher.pjc.mt.gov.br, pelo qual pode ser solicitada a medida protetiva de urgência on-line sem a necessidade da mulher se deslocar até uma delegacia. Assim que a vítima preenche todos os dados no formulário do site, a medida protetiva é analisada por um delegado que na sequência envia para um juiz, que vai analisar o pedido. A medida protetiva já é integrada ao Processo Judicial eletrônico (PJe), de forma ágil e segura, com resposta à vítima em poucas horas. O serviço é disponível para todos os tipos de violência doméstica, exceto a sexual. 

O outro serviço é o aplicativo SOS Mulher MT, onde a vítima acessa o botão de pânico e outras funções disponíveis, como telefones de emergência, denúncias, delegacia virtual. O aplicativo permitirá que a mulher tenha acesso ao Botão do Pânico, um pedido de socorro no formato virtual, que pode ser acionado quando o agressor descumprir a medida protetiva. Ao acionar o botão, em 30 segundos o pedido chega ao Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), que enviará a viatura mais próxima, em socorro à vítima.

Vale destacar que o Botão do Pânico virtual está disponível, por enquanto, para mulheres que moram nas cidades de Cuiabá, Várzea Grande, Cáceres e Rondonópolis, onde há unidades do Ciosp. 

Nas demais cidades do estado, o aplicativo pode ser acessado para as outras funções, como direcionamento à medida protetiva on-line, telefones de emergência, endereços das Delegacias da Mulher no estado, do Plantão 24h, denúncias sobre violência doméstica e também acesso à Delegacia Virtual para registro de ocorrências.

Na primeira semana em que foram lançados os serviços pela Polícia Civil e Judiciário, o aplicativo teve 200 dowloads em apenas quatro dias de funcionamento. 

Já o botão do pânico teve sete pedidos deferidos pela Justiça até a última sexta-feira (25). Para ter acesso à ferramenta, um juiz precisa autorizar a liberação, que é solicitada no momento em que a vítima pede a medida protetiva e então é gerado um código que a mulher deve usar quando for necessário acionar o botão do pânico. 

O delegado-geral da Polícia Civil de Mato Grosso, Mário Dermeval Resende, considera que o aplicativo e o site trarão mais rapidez e eficiência no atendimento às vítimas. Ele registrou que as funcionalidades foram testadas e devidamente integradas aos sistemas do Poder Judiciário, e as equipes da instituição receberam capacitação  para usar as novas ferramentas.

“Esses sistemas vão trazer muita proteção às mulheres de Mato Grosso. Hoje 90% das vítimas de feminicídio nunca procuraram apoio policial. Em Mato Grosso, 70% das vítimas fatais nunca pediram medida protetiva. Agora, mesmo em casa, poderão buscar ajuda. Foi emocionante ver o sistema funcionando e ver a parceria em ação, para o que é hoje o melhor botão de pânico do país.”

“Que as mulheres mais humildes, que não têm acesso a determinados mecanismos, possam não ser mais mortas como hoje acontece. As mulheres vítimas de violência que tinham que bater na porta do Judiciário e aguardar a decisão judicial de um pedido de socorro, agora terão sua demanda atendida quase que instantaneamente”, declarou a desembargadora Maria Helena Póvoas, presidente do Tribunal de Justiça, durante o lançamento das ferramentas que tem o intuito de auxiliar que as vítimas quebrem o ciclo da violência. 

O aplicativo SOS Mulher MT está disponível para os sistemas Android e IOS. 

Medidas protetivas
A Polícia Civil de Mato Grosso registra uma média diária de 38 pedidos de medidas protetivas. Entre janeiro e 25 de junho deste ano, foram solicitadas 6.677 medidas protetivas de urgência, contra 5.854 no mesmo período do ano passado. 

A cidade com maior número de solicitações é Cuiabá, com 1.475 requisições, seguida de Várzea Grande e Rondonópolis. Apenas no Plantão 24h de Atendimento a Vítimas de Violência Doméstica e Sexual, na Capital, foram solicitadas 1.119 medidas. 

Em todo o ano passado, foram solicitadas no estado 13.452 medidas protetivas. 





Por: Raquel Teixeira/Polícia Civil-MT

Outras notícias

Comentários