anuncie aqui
Notícias recentes
Mais de 300 fazendas em MT são interditadas por vacina contra aftosa de 'origem duvidosa'

Mais de 300 fazendas em MT são interditadas por vacina contra aftosa de 'origem duvidosa'

access_time24/05/2018 07:05

Um total de 335 fazendas em Juara, a 690 km de Cuiabá, foram interditadas, nesta quinta-feira (23),

Envio de declarações do Imposto de Renda fora do prazo começa hoje

Envio de declarações do Imposto de Renda fora do prazo começa hoje

access_time02/05/2018 10:09

Quem perdeu o prazo para enviar a Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física poderá fazê-lo a part

José Dirceu tem até 17h para se entregar à Polícia Federal

José Dirceu tem até 17h para se entregar à Polícia Federal

access_time18/05/2018 07:34

Morando em Brasília desde maio de 2017, o ex-ministro José Dirceu deve se entregar até as 17h de hoj

Tabela do frete é reajustada em 4,13%
Reuters/Leonardo Benassatto/Direitos Reservados

Tabela do frete é reajustada em 4,13%

Resolução foi publicada no Diário Oficial da União

access_time25/04/2019 06:23

A Agência Nacional de Transporte Terrestres (ANTT) publicou quarta-feira (24), no Diário Oficial da União (DOU), a resolução que atualiza os valores da tabela do piso mínimo do frete para o transporte rodoviário de cargas, com um reajuste médio de 4,13%. A revisão dos valores foi um ponto do acordo firmado entre o governo e os caminhoneiros na última segunda-feira (22). De acordo com a ANTT, a variação do diesel em relação aos valores da última tabela, publicada em janeiro, foi de 10,69%.

No dia 17, a Petrobras anunciou um aumento de 4,8% no preço do diesel nas refinarias. Os caminhoneiros reivindicavam a aplicação do dispositivo previsto na Política Nacional de Pisos Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas, instituída pela Lei 13.703 de 2018, que determina a revisão dos valores da tabela sempre que houver oscilação superior a 10% no preço do óleo diesel no mercado nacional.

Paralisação
Na segunda-feira (22), os representantes dos caminhoneiros descartaram a possibilidade de paralisação da categoria prevista para a próxima segunda-feira (29), diante da promessa do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, de além do reajuste da tabela, umas das principais reivindicações dos caminhoneiros, intensificar a fiscalização do cumprimento do frete mínimo.

A ANTT informou que vem intensificando as fiscalizações em seus postos de pesagem, para verificar o cumprimento da tabela. Quem descumpre a tabela está sujeito a multas que variam de acordo com a distância a ser percorrida, tipo de veículo, entre outros aspectos. Os valores podem variar de R$ 550 a R$ 10.500, dependendo do tipo de enquadramento da infração. Até o momento foram lavrados cerca de 3 mil autos de infração.





Por: Luciano Nascimento - Repórter da Agência Brasil

Outras notícias

Comentários