Spigreen
Notícias recentes
Números da COVID-19 em Peixoto, Mato Grosso e Brasil

Números da COVID-19 em Peixoto, Mato Grosso e Brasil

access_time23/07/2020 21:30

Brasil, 23 de julho Total de mortes: 84.207 Mortes em 24 horas: 1.317 Médi

Camila Queiroz e Klebber Toledo se casam no civil no interior de SP

Camila Queiroz e Klebber Toledo se casam no civil no interior de SP

access_time18/06/2018 10:59

Os atores Camila Queiroz e Klebber Toledo se casaram neste sábado, 16, em Ribeirão Preto, cidade nat

Sábado é dia de vacinação em Peixoto de Azevedo

Sábado é dia de vacinação em Peixoto de Azevedo

access_time03/05/2019 08:13

A Secretaria Municipal de Saúde de Peixoto de Azevedo informa que sábado (04), será o dia “D” da cam

Temer pede que STF arquive inquérito sobre pagamentos da Odebrecht
O presidente Michel Temer durante reunião no Palácio do Planalto, em Brasília, na semana passada — Foto: Francisco Stuckert/Agência F8/Estadão Conteúdo

Temer pede que STF arquive inquérito sobre pagamentos da Odebrecht

access_time12/09/2018 07:33

O presidente Michel Temer pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta terça-feira (11), por meio de seus advogados, para arquivar o inquérito da Odebrecht, que apura se houve pagamento de R$ 10 milhões da empreiteira, em 2014, para o grupo do MDB ligado ao presidente.

O pedido do presidente Temer foi enviado ao ministro Edson Fachin, relator do inquérito no STF.

Na peça, assinada pelos advogados Frederico Barbosa e Brian Alves Prado, que defendem Temer, o presidente argumenta que não há provas de que o emedebista teria recebido vantagem indevida da Odebrecht, como aponta relatório da PF entregue ao STF na semana passada.

O delegado Tiago Delabaray, responsável pelo inquérito, aponta no relatório que há indícios de que Temer teria recebido R$ 1,4 milhão, após pedido de Moreira Franco à Odebrecht, em 2014. Segundo a PF, o intermediário do dinheiro a Temer seria o coronel aposentado João Batista Lima Filho.

Na peça da defesa de Temer, os advogados afirmam que a PF aponta 176 ligações telefônicas entre Lima e Temer no período de 2014 em que os repasses teriam sido feitos, mas justificam que tratva-se de contato entre amigos de longa data.

"Ora, será que conversaram 176 vezes sobre a prática de ilícitos? A própria autoridade policial poderia verificar, se ouvisse as degravações, que as conversas eram de dois amigos de longa data", diz trecho da peça da defesa de Temer.

Temer é alvo do inquérito da Odebrecht e também do inquérito dos portos, que está sob a relatoria do ministro Luis Roberto Barroso no STF.





Por: Andréia Sadi

Outras notícias

Comentários