anuncie aqui 596-81
Notícias recentes
Mulher é morta a tiros em Peixoto

Mulher é morta a tiros em Peixoto

access_time07/05/2023 10:23

A jovem, de 23 anos, foi morta a tiros na rua Marcelino Ramos, no bairro Bela Vista em Peixoto de Az

Cooperado doou mais de 1.000 sementes de Mogno ao viveiro da Coogavepe

Cooperado doou mais de 1.000 sementes de Mogno ao viveiro da Coogavepe

access_time22/02/2024 10:45

O empresário e cooperado, Nivaldo Nunes, esteve no Centro de Tecnologia Mineral e Viveiro de Mudas d

Polícia encontra ossada que pode ser de jovem desaparecida há mais de um ano

Polícia encontra ossada que pode ser de jovem desaparecida há mais de um ano

access_time10/01/2024 08:30

Uma ossada foi encontrada na noite dessa terça-feira (09), no Bairro Mário Raiter, em Sorriso. A pol

Toffoli pede vista e suspende julgamento sobre descriminalização do porte de maconha
Ministro do Supremo Tribunal Federal Dias Toffoli (foto: Carlos Moura/SCO/STF)

Toffoli pede vista e suspende julgamento sobre descriminalização do porte de maconha

Placar está 5 a 3 para descriminalizar a droga para consumo próprio; ainda não há data para caso ser retomado

access_time06/03/2024 18:02

Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu nesta quarta-feira, 6, o julgamento que trata da descriminalização da maconha após o ministro Dias Toffoli pedir vista (mais tempo para análise). Com essa decisão, o placar fica paralisado em 5 a 3 para descriminalizar o porte da droga para consumo próprio. Os ministros que votaram a favor foram: o do presidente da corte, Luís Roberto Barroso, e dos ministros Alexandre de Moraes, Edson Fachin, Rosa Weber (já aposentada) e Gilmar Mendes. Já quem se posicionou contra foi: André Mendonça, Cristiano Zanin e Nuens Marques. Ainda não há data para caso ser retomado

“Adianto que vou seguir na mesma linha do ministro Cristiano Zanin, de não descriminalizar”, disse Mendonça ao declarar o seu voto e abrir a votação desta quarta. Durante sua fala, ele destacou que existe na sociedade uma “imagem falsa na sociedade de que a maconha não faz mal. Se fala em uso recreativo. Causa danos, danos sérios, maiores que o cigarro”, afirmou o ministro que também citou estudos que mostra os malefícios do uso da maconha, como problemas psicológico.

Mendonça também reforçou que a questão da descriminalização da maconha deve ser tratada no Congresso, e votou para definir um prazo de seis meses para o Congresso estabelecer uma quantidade de droga que diferencie usuário de traficante. Mas, enquanto não houver a deliberação sugeriu a medida provisória de 10 gramas. Conforme lembrado pelo ministro, outro que já tinha se posicionado contra foi Cristiano Zanin. A votação para descriminalização da maconha estava paralisada desde agosto de 2023, quando o próprio Mendonça tinha pedido vista do processo e interrompeu o julgamento.

A ação que está em julamento se refere a constitucionalidade do Artigo 28 da Lei de Drogas (Lei 11.343/2006), que cria a figura do usuário (diferenciado do traficante), que é alvo de penas mais brandas. Esta lei estabelece que é crime “adquirir, guardar, ter em depósito, transportar ou trazer consigo, para consumo pessoal, drogas sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar”. O caso que motivou o julgamento, refere-se a a condenação de um homem que foi pego com três gramas de maconha dentro da cela onde estava preso a condenação de um homem que foi pego com três gramas de maconha dentro da cela onde estava preso.





Por: Sarah Américo / Jovem Pan

Outras notícias

Comentários