anuncie aqui 596-81
Notícias recentes
PF investiga exploração sexual em navio de Leonardo e Bruno & Marrone

PF investiga exploração sexual em navio de Leonardo e Bruno & Marrone

access_time18/11/2023 08:40

O Navio Cabaré, de Leonardo e Bruno & Marrone, foi alvo de uma operação da Polícia Federal que r

Mato Grosso é o segundo estado com mais mortes no trânsito relacionadas a álcool

Mato Grosso é o segundo estado com mais mortes no trânsito relacionadas a álcool

access_time25/06/2023 08:25

Mato Grosso é o segundo estado com maior número de mortes no trânsito relacionados ao consumo de álc

Senadores de MT votam a favor do Marco Temporal; “Senado resgata seu papel de legislar”

Senadores de MT votam a favor do Marco Temporal; “Senado resgata seu papel de legislar”

access_time27/09/2023 19:01

Os três senadores de Mato Grosso votaram a favor do projeto que fixa o Marco Temporal para demarcaçã

Universidade federal promove evento ‘educando com o c*’
Fachada da UFBA | Foto: Divulgação/UFBA

Universidade federal promove evento ‘educando com o c*’

Pessoa LGBT+ discorreu ainda sobre 'traveco-terrorismo e descolonialidade de gênero na arte de Tertuliana Lustosa'

access_time06/05/2023 09:38

Universidade Federal da Bahia (UFBA) gerou polêmica nas redes sociais, por promover o evento “Educando com o cu: traveco-terrorismo e descolonialidade de gênero na arte de Tertuliana Lustosa”. O ato ocorreu na sexta-feira 5. Uma pessoa LGBT+ fez as palestras.

“Todos são bem-vindes”, diz o convite da universidade para o evento educando com o cu. O debate foi organizado pelo Laboratório Permanente de Práticas e Estudos de Perfomance da instituição.

universidade educando cu
Foto: Reprodução

Tertuliana Lustosa dirigiu os trabalhados da roda de conversa. Lustosa se identifica como “pesquisadora, artista, travesti e mestranda na UFBA”. Além disso, é vocalista da banda “As Travestis”. Nas redes sociais, comemorou a oportunidade e de debochou de “bolsonaristas” que criticaram o evento, em virtude de a UFBA ser custeada com o dinheiro dos pagadores de impostos.

O perfil da banda LGBT no Twitter rebateu comentários negativos sobre o evento em um post de divulgação: “Os comentários nessa postagem refletem o quão importante é educar com o cu. Ainda nem rolou e já está incomodando a normatividade, que bom”.

“Como pode a reitoria da UFBA permitir esse evento ‘educando com o cu’, em uma instituição custeada com o suor das pessoas?”, interpelou um internauta. “Isso é um escândalo”, qualificou outra pessoa.





Por: Cristyan Costa da Revista Oeste

Outras notícias

Comentários