ALUGAR CAMPO
Notícias recentes
Colíder: Família foi mantida em cárcere privado

Colíder: Família foi mantida em cárcere privado

access_time20/01/2020 11:53

Um casal de idosos e um homem de 49 anos foram reféns por várias horas na tarde desse domingo (19/01

Serviços do Detran-MT serão ampliados no município de Matupá

Serviços do Detran-MT serão ampliados no município de Matupá

access_time02/09/2021 11:49

O posto de atendimento municipal dos serviços do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT) em Ma

Entenda a diferença entre gripe e resfriado

Entenda a diferença entre gripe e resfriado

access_time12/05/2018 09:21

Às vésperas do início da temporada de inverno no Brasil, o Ministério da Saúde reforçou a importânci

Venezuelanos se confundem com corte de cinco zeros na moeda

Venezuelanos se confundem com corte de cinco zeros na moeda

O plano sublinha a regressão de uma nação antes rica que viu sua moeda perder 99 por cento do valor só no último ano devido à crise

access_time28/07/2018 07:11

Alguns venezuelanos ficaram preocupados nesta quinta-feira por não saberem como pagarão o transporte público e a gasolina agora que o presidente Nicolás Maduro anunciou planos para cortar cinco zeros da moeda nacional, o bolívar, ao invés dos três planejados originalmente.

A chamada redenominação cambial mais agressiva é uma reação à hiperinflação da Venezuela, que segundo o Fundo Monetário Internacional (FMI) chegará a 1 milhão por cento neste ano, destruindo salários e lançando a economia já combalida do país-membro da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) em uma espiral descendente ainda mais acentuada.

Com o anúncio feito por Maduro no final da noite de quarta-feira, as pessoas estão tentando entender se haverá dinheiro miúdo suficiente para pagar o transporte público e a gasolina - que é tão subsidiada que encher um tanque custa menos do que o equivalente a 0,01 dólar pela taxa cambial do mercado negro.

"Como pagarei o transporte? Eles me cobram 60 mil bolívares. Cinco zeros a menos, isso seria em centavos", indagou Griselda Osorio, de 55 anos, enquanto fazia compras em um mercado de Maracaibo, cidade do oeste próxima da Colômbia.

Tampouco está claro se os bancos conseguirão ajustar seus sistemas e caixas automáticos até o prazo anunciado de 20 de agosto, nem quando as novas notas chegarão à Venezuela.

O plano de Maduro sublinha a regressão de uma nação antes rica que viu sua moeda perder 99 por cento do valor só no último ano devido à crise econômica.





Por: Terra

Outras notícias

Comentários