anuncie aqui vermelho
Notícias recentes
Aconteceu em Peixoto de Azevedo o Fórum Comunitário do Selo UNICEF

Aconteceu em Peixoto de Azevedo o Fórum Comunitário do Selo UNICEF

access_time29/06/2018 19:53

O 1º Fórum Comunitário do Selo UNICEF foi realizado no Comercial Esporte Clube, reuniu diversos segm

Homicídios têm redução de 8% no primeiro trimestre em MT

Homicídios têm redução de 8% no primeiro trimestre em MT

access_time08/05/2019 08:47

O primeiro trimestre de 2019 apresentou redução de 8% no número de homicídios dolosos registrados em

5 a 0: Fla é dominado e sofre sua maior goleada na história na Libertadores

5 a 0: Fla é dominado e sofre sua maior goleada na história na Libertadores

access_time18/09/2020 08:56

Diante de um dos trabalhos mais consistentes do continente, o Flamengo tomou um choque de realidade

ARTIGOS

Mundo atinge maior média diária de mortes por Covid em 4 meses

access_time25/01/2022 08:57

Em meio à proliferação da variante ômicron do novo coronavírus, a média diária de mortes por Covid-19 no mundo atingiu o maior patamar em 4 meses, apontam dados do "Our World in Data", projeto ligado à Universidade de Oxford.                    Os dados mostram também que a média móvel de novos casos bateu recorde pelo 7º dia seguido e chegou a 3,41 milhões de infectados por dia no planeta nos últimos sete dias. O mundo registrou na segunda-feira (24) uma média diária de 8.209 mortes, o maior patamar desde 24 de setembro de 2021 (quando a média móvel estava em 8.358 — e em trajetória de queda).                                                                                Os 10 países com as maiores médias de mortes por Covid-19 nos últimos 7 dias são: Estados Unidos: 2.188 mortes Rússia: 669 Índia: 529 Itália: 355 Brasil: 308 Reino Unido: 264 México: 262 França: 251 Polônia: 220 Colômbia: 192 Os 10 países com as maiores médias de novos casos confirmados nos últimos 7 dias são: Estados Unidos: 731 mil França: 361 mil Índia: 311 mil Itália: 173 mil Brasil: 150 mil Espanha: 122 mil Alemanha: 115 mil Argentina: 106 mil Reino Unido: 92 mil Israel: 90 mil Os dados foram compilados nesta terça-feira (25) pelo "Our World in Data".                                                                                  Com a explosão no número de infectados e a alta no número de óbitos nas últimas semanas, o Brasil voltou a ser um dos países com mais casos e mortes por Covid-19 do mundo. A média móvel de novos casos também bateu recorde pelo 7º dia seguido e passou de 150 mil — a maior já registrada —, segundo o consórcio de veículos de imprensa (veja no gráfico abaixo). A média de mortes também está em trajetória de alta e voltou a ficar acima de 300, o maior patamar desde 31 de outubro.

Robinho condenado: entenda por que o jogador não pode ser extraditado

access_time19/01/2022 19:44

Após a condenação do jogador Robinho por violência sexual em última instância da Justiça italiana, nesta quarta-feira (19), muitas dúvidas surgiram em relação ao processo de extradição. Ao g1, o advogado Fabrício Posocco explicou que o artigo 5º inciso 51 da Constituição Federal de 1988 veda totalmente a extradição. "O artigo diz que o brasileiro nato não pode ser extraditado, salvo se for para cumprimento de pena relacionada ao crime de tráfico de entorpecentes, que não é o caso do Robinho", explicou. O jogador e o amigo dele, Ricardo Falco, foram condenados a nove anos de prisão por violência sexual de grupo. Segundo Posocco, a Lei de Imigração, nº 13.445 de 24 de maio de 2017, afirma no artigo 100 que há a possibilidade de autorização da transferência de pena para que seja cumprida aqui no Brasil. "O artigo 100 traz todas as regras para permitir que a pena da Justiça italiana seja cumprida aqui no Brasil, mas esse pedido de transferência precisa ser feito pela Justiça italiana".                                                                                                                                                                                                  Viagens ao exterior De acordo com o advogado, caso o Robinho viaje para alguns países que possuem acordo de extradição com a Itália, ele pode ser preso, e além disso, ser deportado ao país italiano para cumprimento da pena. Para isso, o estado italiano precisa emitir um pedido internacional de prisão que poderia ser cumprido, por exemplo, em qualquer país da União Europeia. Posocco explica que alguns dos países que possuem o acordo com a Itália são: Argentina, Austrália, Bélgica, Bolívia, Canadá, Chile, China, Colômbia, Coreia do Sul, Espanha, Estados Unidos, França, entre outros.                                            "Se o Robinho viajar para algum país específico que tenha relação de extradição com a Itália, ele vai acabar sendo preso e pode ser deportado à Itália. Enquanto ele permanecer dentro do Brasil, ele não pode ser preso nesse primeiro momento, apenas se a Itália, por meio das vias diplomáticas, fizer esse pedido com base na Lei de Imigração. Aí, tem que ser deferido pela Justiça brasileira, e quem decide é a Justiça Federal", explicou o advogado. Decisão da Justiça italiana A Corte de Cassação da Itália, última instância do Judiciário, confirmou nesta quarta-feira a condenação do jogador Robinho e de seu amigo, Ricardo Falco, a nove anos de prisão por violência sexual de grupo. A sentença sairá em 30 dias. O julgamento ocorreu na Corte de Cassação de Roma, que no ordenamento jurídico italiano é equivalente ao Supremo Tribunal Federal no Brasil. Robinho e seus advogados apresentaram nesta manhã o último recurso, que foi negado pela corte italiana. Os dois foram arrolados no artigo “609 bis” do Código Penal italiano, que fala sobre a participação de duas ou mais pessoas reunidas para o ato de violência sexual – forçando alguém a manter relações sexuais por sua condição de inferioridade “física ou psíquica”. A vítima diz que foi embriagada e abusada sexualmente por seis homens enquanto estava inconsciente. Os defensores dos brasileiros dizem que a relação foi consensual. Entenda o caso O crime cometido por Robinho aconteceu na Sio Café, uma conhecida boate de Milão, na madrugada do dia 22 de janeiro de 2013. À época, Robinho era um dos principais jogadores do Milan. Além dele e de Falco, outros quatro brasileiros, segundo a denúncia da Procuradoria da cidade, participaram da violência sexual contra uma mulher de origem albanesa. Amigos do jogador que o acompanhavam no exterior, os outros quatro brasileiros deixaram a Itália durante a investigação e não foram acusados, sendo apenas citados nos autos. A vítima, residente na Itália há alguns anos, naquela noite foi com uma amiga à boate – a violência ocorreu dentro do camarim do local – para comemorar seu aniversário de 23 anos. No fim desta semana, completará 32. Desde quando a vítima do estupro coletivo denunciou o jogador, há nove anos, a Itália viu dezenas de episódios semelhantes ganharem destaque, alguns deles envolvendo filhos de políticos. Os acusados, segundo um balanço do judiciário realizado pelo equivalente ao IBGE italiano, são majoritariamente jovens entre os 20 e 25 anos (Robinho tinha 29 anos quando foi acusado do crime). As gravações foram transcritas na sentença inicial e confirmam, segundo disse uma juíza que participou do julgamento em primeira instância, a versão da vítima de que houve violência sexual cometida por seis homens contra uma mulher que estava alcoolizada e inconsciente. "A mulher estava completamente bêbada", disse Robinho em uma das conversas gravadas. A primeira condenação do ex-jogador do Santos e de Ricardo Falco data de novembro de 2017. À época, Robinho jogava no Atlético-MG. Ele deixou a Itália em 2014, quando já tinha sido convocado a depor no inquérito que apurava o crime – o jogador negou a acusação, mas confirmou que manteve relação sexual com a mulher, ressaltando que ela foi consensual e sem outros envolvidos. No caso de Falco, uma perícia encontrou a presença de seu sêmen nas roupas da jovem.          

Gaspard Ulliel, ator francês, morre aos 37 anos após acidente de esqui

access_time19/01/2022 19:30

O ator francês Gaspard Ulliel morreu aos 37 anos após sofrer um acidente de esqui, de acordo com a agência AFP. Ele sofreu uma colisão na terça (18) nas encostas da região de Sabóia, no leste da França, bateu a cabeça e foi transportado de helicóptero para um hospital em Grenoble, mas não resistiu.                                                                                                                                                                                                                                                              Com 50 filmes e séries no currículo, o ator ficou conhecido por interpretar o jovem Hannibal Lecter em "Hannibal, a origem do mal" e o estilista Yves Saint Laurent na cinebiografia "Saint Laurent".                                                                                                                                                                                                                                                          Ulliel venceu o prêmio César, "Oscar" do cinema francês, por duas vezes: em 2017, pelo filme "É Apenas o Fim do Mundo", na categoria de melhor ator; e em 2005, pelo filme "Eterno Amor", como melhor ator revelação.                                 Atualmente, estava na série da Marvel "Cavaleiro da lua", que teve seu trailer divulgado nesta terça (18). Ele interpreta o personagem Anton Mogart / Midnight Man ao lado de Oscar Isaac e Ethan Hawke. A série tem previsão de estrear ainda este ano. Sua primeira aparição nas telinhas foi aos 12 anos, no filme para TV "Une femme en blanc". Depois disso, trabalhou em diversas séries e filmes para televisão entre os anos 1997 e 2000. Em 2001, conseguiu um papel no longa "O pacto dos lobos", seu primeiro no cinema, e então foi chamado pelo cineasta Michel Blanc para o elenco de "Beije quem você quiser". O ator também ficou conhecido como garoto-propaganda do perfume Bleu de Chanel.

Microsoft vai comprar Activision Blizzard por US$ 68,7 bilhões, maior aquisição do mercado de games

access_time18/01/2022 14:34

A Microsoft anunciou nesta terça (18) que vai comprar a Activision Blizzard, uma das maiores empresas de games do mundo, por US$ 68,7 bilhões, cerca de R$ 379 bilhões. Com esse valor, ela se torna a maior aquisição do mercado de jogos. Se o negócio for concluído, a Microsoft vai se tornar a terceira maior empresa de games do mundo, por reunir a plataforma e os estúdios do Xbox e o portfólio da Activision, que inclui jogos como "Call of Duty", "Overwatch", "Warcraft", "Candy Crush" e a franquia de Tony Hawk. De acordo com a gigante de tecnologia, a compra já foi aprovada pelos conselhos das duas empresas. Agora, precisa da aprovação dos acionistas da Activision Blizzard e da conclusão da revisão regulatória.                                                              Atualmente, a Activision Blizzard tem cerca de 400 milhões de jogadores ativos mensais em 190 países e franquias que valem bilhões de dólares. Embora a empresa não divulgue números de seus jogos, avaliadores do mercado de games estimam que o Candy Crush movimente até US$ 3 milhões por dia. As receitas do jogo cresceram 20% em 2021 e ele foi a franquia mais lucrativa em lojas de aplicativos nos Estados Unidos. Em setembro de 2020, a Microsoft já havia comprado a a ZeniMax Media, empresa proprietária da Bethesda Softworks, desenvolvedora e publicadora de jogos, por US$ 7,5 bilhões de dólares, cerca de R$ 40 bilhões. A transação ocorre em meio a um processo de assédio sexual movido, em julho do ano passado, pelo Departamento de Emprego e Habitação da Califórnia contra a Activision Blizzard. O órgão acusa a desenvolvedora de games de casos de assédio sexual, agressão e de manter um ambiente hostil contra mulheres, que recebiam salários desiguais e enfrentavam retaliações. Em agosto, o presidente da Blizzard, Allen Brack, deixou o comando da empresa.                                                                      Em julho de 2021, funcionários da Activision Blizzard realizaram uma greve e um protesto em frente à sede da empresa nos Estados Unidos. Com a participação de outros manifestantes, eles demonstravam apoio a um processo por assédio sexual contra a desenvolvedora de franquias como "Warcraft" e "Call of Duty" e pediam tratamento justo para trabalhadores de minorias. No processo, o órgão afirma que a empresa criou uma cultura de "assédio sexual constante" e discriminação de gênero. Desde então, diversas mulheres se manifestaram a favor da acusação. Segundo a ação, os escritórios da desenvolvedora de games pareciam uma república masculina de universidades, onde funcionários homens bebiam, falavam abertamente sobre corpos femininos e faziam piadas sobre estupro. Por causa disso, mulheres eram submetidas a diversos comentários sexuais, cantadas, tinham os corpos agarrados e sofriam outras formas de abuso. O comportamento era conhecido pelos supervisores e até encorajados por eles. O processo também cita uma funcionária que teria cometido suicídio após inúmeros assédios.                                        

Famosos lamentam a morte de Françoise Forton no Rio

access_time16/01/2022 21:07

A atriz Françoise Forton morreu aos 64 anos neste domingo (16), no Rio. Ela estava tratando de um câncer, internada havia quatro meses na clínica São Vicente, na Zona Sul da cidade. O velório da atriz acontece nesta segunda-feira (17) das 10h às 14h no Tablado. Após a cerimônia, acontece a cremação do corpo, às 16h, no Cemitério da Penitência, no Caju. Com a notícia, amigos da classe artística e personalidades se manifstaram sobre a morte da atriz. "Linda, querida, amável… tive a oportunidade de trabalhar com ela em “ Quatro por quatro”, ótima colega. Vai com Deus !!! Que Ele te receba de braços abertos", escreveu Cristiana Oliveira no Instagram.                                                                        "Mais uma estrela brilha no céu. Esteja na paz e na luz de Deus querida Françoise Forton . Meus profundos sentimentos @edusbarata @guilhermeviotti Força e luz ", postou a atriz Letícia Spiller. A atriz Beth Goulart também recorreu às redes sociais para falar da amiga e companheira de trabalho. "Hoje nossa amada Françoise Forton virou estrela

Mendes diz que educação é prioridade e mantém aulas presenciais

access_time10/01/2022 08:34

Governador minimizou escalada da Covid; ano letivo se iniciará no dia 07 de fevereiro 2022 O governador Mauro Mendes (DEM) confirmou que as aulas na rede estadual de educação em Mato Grosso permanecerão 100% presenciais neste ano mesmo com a escalada nos casos de Covid-19 e Influenza no Estado. O ano letivo começa no dia 07 de fevereiro. Mendes afirmou que é preciso tratar a Educação com respeito no Brasil. “Vão voltar normalmente. Não será alterado. Nós temos que tratar a Educação com mais respeito. A minha filha estava em Portugal quando começou a pandemia. Lá a Educação foi a última a parar e a primeira a voltar”, disse Mendes.   “Aqui no Brasil, foi o contrário. A Educação foi a primeira que parou e a última que voltou. Aí, depois vem falar que Educação é prioridade”, acrescentou. As aulas presenciais retornaram no Estado em outubro do ano passado, após mais de um ano e meio em razão da pandemia da Covid-19. Mendes minimizou a escalada da Covid nas últimas semanas. Segundo ele, os piores casos são de não-vacinados, o que corresponde a uma baixa parcela da população.                                                                                                                                                                                                                                                                                                               Vacinação Todos os profissionais da educação de Mato Grosso já tiveram a oportunidade de tomarem as duas doses da vacina contra a Covid-19. Além disso, adolescentes na faixa etária de 12 a 17 anos também já podem tomar a vacina. Já a vacinação para as crianças entre 5 e 11 anos foi liberada pelo Ministério de Saúde nesta quarta-feira (6) e deve começar em breve no Estado. Medidas de biossegurança O uso da máscara facial continua obrigatório em todo o Estado de Mato Grosso. O profissional de educação e estudadentes que testarem positivo para a Covid-19 devem ficar afastados pelo período indicado pelo profissional da saúde. A aferição de temperatura dos estudantes também continuará obrigatória na entrada da escola, não podendo assistir aulas quem apresentar febre.

Cordões de girassol são usados para identificar autistas que precisam de auxílio em MT

access_time18/06/2021 15:53

A Associação de Amigos do Autista de Mato Grosso (AMA) adquiriram os cordões de identificação internacional para serem usados por pais de autistas, caso necessitem de auxílio em algum local. Um deles, o de girassol, já é reconhecido internacionalmente e aceito em portos e aeroportos. O outro é com o desenho de um quebra-cabeça, símbolo do autismo. O cordão de girassol foi criado em 2016 na Europa. A intenção é de que ao identificar uma pessoa com o cordão de Girassol ou de quebra-cabeça, as equipes de atendimento de supermercados, lojas, consultórios, entre outros, priorizem a assistência a esse cliente e seus acompanhantes. Isso permite evitar ou amenizar situações de alto estresse em filas e atrasos, tornando a experiência destas pessoas, principalmente quando crianças, mais tranquilas. "Autismo é uma deficiência que não tem cara. Você não consegue identificar a pessoa, como faria com um cadeirante ou um deficiente visual. Esse cordão ajuda as famílias a ter dignidade ao precisar utilizar um serviço de atendimento prioritário, ou quando a criança tem uma crise em um espaço público", explica Helena Glaziela Barbiero Amaral, presidente da AMA. Ela complementa explicando que a identificação deve ser feita pelas carteiras do autista ou da associação, mas o cordão torna mais prático o reconhecimento de quem precisa deste cuidado. A Associação compra os cordões de uma fábrica de São Paulo e vende para os familiares de autistas, ou faz doações no caso de famílias carentes. Para isso, os familiares devem entrar em contato pelas redes sociais da Ama.

Como funciona a tradução médica?

access_time09/03/2021 18:47

Traduzir terminologias médicas pode ser complicado e requer uma combinação especial de fluência no idioma, conhecimento médico e uma certa experiência em tradução. Você está procurando por uma agência de tradução para ajudá-lo a lidar com traduções difíceis de terminologias médicas específicas ou em qualquer tipo de tradução médica em geral? Aqui estão algumas coisas que você deve fazer e ficar de olho antes de fechar negócio com uma empresa. Quando você precisa traduzir nomenclaturas médicas para montar um site, ou para testes médicos, licenças governamentais, comerciais, rótulos farmacêuticos, manuais de dispositivos médicos entre uma infinidade de coisas. Geralmente, é mais fácil procurar por empresas de tradução médica já famosas no mercado.  Isso porque nesses casos mais complexos, vale a pena trabalhar com tradutores profissionais experientes e agências de tradução, ainda mais se tratando de  alguns serviços importantes. Em primeiro lugar, especialistas em tradução qualificados podem trabalhar a fundo em um projeto. Eles costumam trazer em seu currículo anos de treinamento e fornecem traduções de alta qualidade sem erros. Os tradutores não especializados na área, ou que não estão tão familiarizados com a área médica podem se atrapalhar com os dados de tradução e confundir as terminologias médicas. Não importa o quão bem intencionados eles estejam. Isso pode acontecer simplesmente por falta de familiaridade com o assunto. O que pode lhe custar muito dinheiro, seja para você ou para sua empresa. Uma agência de tradução profissional o ajudará a evitar esses problemas. Em segundo lugar, além de serem tradutores sólidos na área, as pessoas que trabalham no campo da tradução médica, também precisam ter um conhecimento profundo sobre o setor de saúde e as tecnologias médicas. Um detalhe para você tomar é que você deve estar intimamente familiarizado com as diferentes burocracias que surgem inevitavelmente quando entram em um mercado estrangeiro. Quando você deseja comercializar seus produtos de saúde no exterior, você precisa lidar com órgãos reguladores estrangeiros. E também tem que lidar com vários parceiros locais e internacionais e clientes em potencial. Consequentemente, a empresa de tradução também precisa saber dessas informações.  Então procure por referências sobre a empresa de tradução que você está querendo fechar negócio e pesquise também por trabalhos realizados anteriormente para outras empresas ou pessoas.  Um exemplo de agência confiável, com anos de experiência no ramo de tradução é a Protranslate. Uma das maneiras mais diretas de garantir que você está trabalhando com um serviço de tradução que sabe realmente como traduzir terminologias médicas de alto nível, é pedir por essas referências de antigos serviços realizados,  conversar com clientes anteriores e examinar o histórico da empresa de tradução.  Isso é particularmente verdade absoluta para o mundo da tradução, onde geralmente as empresas já mostram seus trabalhos antigos antes mesmo de serem solicitados. Certifique-se sempre de que os responsáveis pela tradução dos seus documentos médicos conheçam o uso das palavras da área tanto no idioma de origem quanto no idioma de destino. Especialmente  palavras que são usadas de maneiras diferentes na comunidade médica. Essas palavras podem ter expressões ou conotações variadas quando usadas de maneiras específicas. Assim você garantirá uma tradução de qualidade, com preço justo, e não correrá riscos de ter algum dano físico ou acabar jogando dinheiro fora.

Mulheres têm conquistas, mas caminho ainda é longo para igualdade

access_time08/03/2021 07:25

Ser mulher é enfrentar um desafio diferente todos os dias. É superar barreiras, muitas vezes, invisíveis. Apesar de serem a maioria da população brasileira (51,8%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE), elas ainda enfrentam cenários desiguais, seja na divisão das tarefas domésticas ou nos ganhos no mercado de trabalho. Muitas vezes, elas assumem tripla jornada. Saem para trabalhar, cuidam da casa, dos filhos. Em vários lares, elas são arrimo e sustentam sozinhas suas famílias. Segundo dados do Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea), em 2018, 45% dos domicílios brasileiros eram comandados por mulheres. Mas, apesar de liderarem casas e assumirem as contas, as mulheres ainda têm de lidar com a discriminação. Estudo do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) mostra que 90% da população mundial ainda tem algum tipo de preconceito na questão da igualdade de gênero em áreas como política, economia, educação e violência doméstica. Segundo o estudo, que analisou dados de 75 países, cerca de metade da população considera que os homens são melhores líderes políticos do que as mulheres, e mais de 40% acham que os homens são melhores diretores de empresas. Além disso, 28% dos consultados consideram justificado que um homem bata na sua esposa. Apesar da longa jornada enfrentada por elas ao longo da história, os números mostram que ainda há muito a caminhar. Marco histórico Considerado marco histórico na luta das mulheres por mais oportunidades e reconhecimento, o 8 de março foi instituído como Dia Internacional da Mulher, pela Organização das Nações Unidas (ONU), em 1975. Muitos historiadores relacionam a data a um incêndio ocorrido, em 1911, em Nova York, no qual 125 mulheres morreram em uma fábrica têxtil. A partir daí, protestos sobre as más condições enfrentadas pelas mulheres trabalhadoras começaram a ganhar espaço. Mais de um século depois, as mulheres seguem na luta por igualdade de direitos. Para a juíza Martha Halfeld, primeira mulher a ocupar a presidência do Tribunal de Apelações da Organização das Nações Unidas, não há mais espaço para a ideia de “concessão masculina”. Tudo o que as mulheres conseguiram, ao longo da história, foi com base em muito trabalho, dedicação e suor. Na visão da juíza, o 8 de março deve ir muito além de flores ou presentes. "Oferecer a rosa, pode ser visto como: eu te concedo uma assistência. Eu, homem, te concedo aquilo. Hoje, não existe mais espaço para eu concedo. Não, nós conquistamos. E nós conquistamos com muito trabalho um espaço de perfeita igualdade em termos intelectuais, pelo menos. Temos tanta capacidade intelectual quanto qualquer homem”, afirma Halfeld que permanece na presidência da Corte até janeiro de 2022 e segue na ONU até 2023. Livro como arma Para conquistar um espaço na academia e na literatura, a mineira Conceição Evaristo sabe o quanto teve de lutar. Sua primeira arma foi o livro, que a acompanhou desde a infância pobre vivida em Belo Horizonte. "Eu não tinha muita coisa em termos materiais. Brinquedo era uma coisa rara, passear era uma coisa muito rara, viajar muito menos. Então, o livro vem preenchendo um vazio. A escola onde estudei os meus primeiros anos primários tinha uma biblioteca muito boa. Desde menina, eu sempre gostei de leitura.”, conta. Segunda de nove irmãos, a escritora foi criada pela mãe e por uma tia. Conceição, que trabalhou como empregada doméstica e lavadeira, foi a primeira da família a conseguir um diploma universitário. Depois da graduação, veio o mestrado, o doutorado e as aulas em universidades públicas. Em paralelo aos estudos, ela se dedicava a outra paixão: a escrita. Seus  contos e poemas foram publicados na Série Caderno Negros, na década de 1990, e seu primeiro livro, o romance Ponciá Vicêncio, foi publicado em 2003. Em 2019, foi a homenageada do Prêmio Jabuti, um dos mais importantes da literatura brasileira. "Foi preciso um prêmio me legitimar. Enquanto eu não ganhei o Jabuti, as pessoas não acreditaram que estavam diante de uma escritora negra”, afirma. Reconhecida como uma das escritoras brasileiras mais importantes da atualidade, Conceição conta que as barreiras que teve de enfrentar por toda sua vida foram o combustível para suas obras. "A minha escrita é profundamente contaminada pela minha condição de mulher negra. Quando eu me ponho a criar uma ficção, eu não me desvencilho daquilo que eu sou. As minhas experiências pessoais, as minhas subjetividades, o lugar social que eu pertenço, isso vai vazar na minha escrita de alguma forma.” Para ela, o 8 de março é uma data para ser celebrada, mas também um momento de reflexão e de vigília constante. "Todas as mulheres precisam ficar alertas àquilo que é do nosso direito, àquilo que nós temos de reivindicar sempre porque nada, nada nos é oferecido, tudo é uma conquista”, conclui.

Universidades federais têm até dezembro para adotar diploma digital

access_time01/03/2021 10:13

As 69 universidades federais e as 41 instituições da rede federal de educação profissional e tecnológica do país terão até 31 de dezembro de 2021 para passar a emitir diplomas digitais. O prazo consta da Portaria n° 117/2021 do Ministério da Educação (MEC), publicada nesta segunda-feira (1) no Diário Oficial da União. A versão digital do diploma universitário foi anunciada em 2019 e regulamentada em dezembro passado. A expectativa do MEC é de que o documento reduza a burocracia no processo de geração e emissão de diplomas e ajude a impedir fraudes e falsificações. O tempo de emissão do documento também será menor, deve passar de 90 para 15 dias. O certificado digital deve beneficiar 8 milhões de estudantes. No Brasil as primeiras instituições a adotar esse formato foram a Universidade Federal da Paraíba e a Universidade Federal do Rio Grande do Norte.