Banner Outras
Notícias recentes
Operação da PF combate fraudes no Ministério do Trabalho

Operação da PF combate fraudes no Ministério do Trabalho

access_time05/07/2018 09:07

A Polícia Federal (PF) deflagrou hoje (5) a 3ª fase da Operação Registro Espúrio, com o objetivo de

Caminhões carregados com madeira ilegal são apreendidos pela PRF

Caminhões carregados com madeira ilegal são apreendidos pela PRF

access_time22/08/2018 07:24

Dois caminhões carregados com madeira ilegal foram apreendidos nessa terça-feira (21) na BR-163, em

Ação heroica da Polícia Militar impede suicídio em Matupá

Ação heroica da Polícia Militar impede suicídio em Matupá

access_time09/10/2018 09:43

No início da noite desta segunda-feira (08), a guarnição da Polícia Militar de Matupá composta pelo

GERAL

Centenas de moradores foram atendidos pelo mutirão SUAS NA COMUNIDADE

access_time08/05/2018 22:54

Evento aconteceu no sábado (28), na Escola São Pedro no Bairro Mãe de Deus e foi organizado pela Secretaria Municipal de Assistência Social através do CRAS e demais Secretarias Municipais de Peixoto de Azevedo com a parceria da COOGAVEPE, CUFA ASSOCIAÇÃO DO BAIRRO, APAE, ROTARY CLUBE, Projeto LUZ DO AMANHÃ, OAB e Ministério Público. Moradores do Bairro Mãe de Deus contaram com serviços gratuitos nas áreas da assistência social, saúde com atualização das cadernetas de vacinação, meio ambiente e coogavepe com distribuição de mudas, corte de cabelo em parceria com a CUFA, aresentações culturais do departamento de cultura, Setor de Tributação e da Agricultura, CAE e o SEBRAE, fotos para documentos e orientações da OAB e do Ministério Público. Dentro de uma programação organizada pelo CRAS todos os bairros receberão estes serviços do mutirão SUAS NA COMUNIDADE.

Peixoto On-line renova layout do portal de notícias do Vale do Peixoto

access_time08/05/2018 22:43

Peixoto On-Line está com novo layout, um visual mais moderno e de fácil acesso. Ética, competência e responsabilidade com a informação são nossos compromissos.  Por entender que a mudança veio para melhorar a qualidade de informação, a equipe do Peixoto On-line pede compreensão a todos seus leitores, usuários e parceiros por quaisquer falhas neste período inicial da nova fase. Como canal de comunicação com a comunidade, o Peixoto On-line reforça sua política de porta voz do leitor e reitera seus contatos com a população através de seus telefones (66) 999671026 e (66) 996794089, e e-mails dyogomnunes@peixotoonline.com.br ou polianepessoa@peixotoonline.com.br

Programação do 32º aniversário de Peixoto de Azevedo

access_time08/05/2018 16:33

Confira a programação completa: DIA 10 DE MAIO 18h – Abertura Exposição de Artesanato e Praça de Alimentação 19h – Abertura 5º FESCANPAZ Festival da Canção de Peixoto de Azevedo Apresentação em todas Categorias e Noite Gospel Local: Vila Olímpica DIA 11 DE MAIO 19h – Final 5º FESCANPAZ Festival da Canção de Peixoto de Azevedo Categorias: Mirim, Infanto/Juvenil, Gospel, MPB e Sertanejo Local: Vila Olímpica DIA 12 DE MAIO 19h30 – Miss Peixoto 2018 – Categorias Mirim, Infantil, Infanto/juvenil e Adulto Local: Vila Olímpica DIA 13 DE MAIO – DOMINGO – 32º ANIVERSÁRIO DO MUNICÍPIO 07h – Gincana Peixoto 32 Anos 18h – Corte do Bolo de Aniversário 19h30 – Homenagem Dia das Mães 21h – Encerramento com Show de Banda Ao Vivo Local: Vila Olímpica

Colesterol no cérebro está associado a surgimento da doença de Alzheimer, diz estudo

access_time08/05/2018 14:39

Um estudo liderado pela Universidade de Cambridge, no Reino Unido, mostra que o colesterol também tem um papel importante no surgimento e na progressão da doença de Alzheimer. Em testes feitos em laboratório, cientistas mostraram que a presença do composto age como um "gatilho" para a formação de aglomerados tóxicos relacionados à condição. Chamados de proteína beta-amiloide, há muito tempo esses compostos são indicativos da progressão da doença: eles se acumulam ao redor de neurônios e atrapalham a transmissão de um impulso nervoso para o outro. Esse fato, por sua vez, explica vários sintomas associados, como falhas na memória. Progressivamente, essa proteína também favorece o acúmulo de placas que deflagram a morte de células nervosas. O achado foi publicado na "Nature Chemistry" , mas não é a primeira vez que a ciência faz a relação entre colesterol e Alzheimer: estudos anteriores já demonstraram que os mesmos genes que processam a gordura também desencadeiam a progressão da doença. Agora, o que os pesquisadores da Universidade de Cambridge demonstraram é que o colesterol contribui para que várias células da beta-amiloide fiquem juntas, favorecendo à formação das placas associadas à demência. "Não estamos dizendo que o colesterol é o único gatilho para o processo de agregação [ das substâncias tóxicas], mas é certamente um deles", disse em nota Michele Vendruscolo, pesquisador da Universidade de Cambridge e um dos autores do estudo. Atualmente, nos consultórios, altos níveis de colesterol estão relacionados ao surgimento de doenças cardiovasculares e diretrizes para a contenção do composto têm o objetivo de prevenir o aparecimento de eventos cardíacos, como o infarto. Não há clareza nesse momento, contudo, se alterações na dieta podem ter impacto no Alzheimer como afeta doenças cardíacas. Apesar disso, contudo, o achado sobre o colesterol é particularmente importante porque a beta-amiloide está presente em níveis baixos no cérebro e os cientistas não compreendiam o que levava à agregação que contribui para o surgimento da demência. "Os níveis de beta-amilóide normalmente encontrados no cérebro são cerca de mil vezes menores do que o necessário para observá-lo agregando em laboratório - então, o que acontece no cérebro para torná-lo agregado?", descreve Vendruscolo. Foi então que os pesquisadores viram em testes in vitro que a presença de colesterol nas membranas celulares pode atuar como um gatilho para a agregação de beta-amilóide. Com isso, o controle do colesterol no cérebro poderia impedir o aglomerado que favorece o surgimento da demência. "Agora precisamos entender com mais detalhes como o colesterol é mantido no cérebro para encontrar formas de inativá-lo", conclui o pesquisador.

Pesquisa liga enxaqueca a adaptação genética para lidar com frio

access_time08/05/2018 14:20

Estima-se que cerca de um bilhão de pessoas em todo o mundo sofram regularmente de ataques de enxaqueca. Na Alemanha, cerca de 1 milhão de pessoas são afetadas todos os dias, enquanto nos Estados Unidos cerca de 13% dos adultos dizem que sofrem regularmente de fortes dores de cabeça. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), os ataques de enxaqueca são a sexta doença mais incapacitante do mundo. Além de uma forte dor latejante que pode durar dias seguidos, os afetados muitas vezes também experimentam distúrbios visuais, náuseas, tonturas e sensibilidade à luz. Há muito tempo a enxaqueca tem sido vista como uma doença hereditária, transmitida de pais para filhos. No entanto, pesquisadores do Instituto Max Planck de Antropologia Evolutiva, na cidade alemã de Leipzig, sugerem que o elo pode ser bem mais antigo. Um estudo realizado por uma equipe liderada pelo cientista Felix-Michael Key, pesquisador em genética evolucionária do Instituto Max Plank, descobriu que uma mutação genética que tem conhecida relação com a enxaqueca é muito mais comum em pessoas da Europa ou descendentes de europeus. "Queríamos analisar a adaptação humana a diferentes fatores ambientais e queríamos nos concentrar no efeito da temperatura", disse Key, em entrevista à DW. Ao estudar os padrões genéticos do gene TRPM8, receptor nas células nervosas através do qual os seres humanos sentem as temperaturas frias, Key e sua equipe descobriram que certas mutações eram muito mais frequentes em algumas regiões e latitudes geográficas. Clima e enxaqueca Ao fazer uma retrospectiva de dezenas de milhares de anos de dados do genoma, o estudo descobriu que a mutação genética ligada à enxaqueca é mais frequente quanto mais se avança para o norte, em direção a climas mais frios. Por exemplo, de acordo com as descobertas de Key, apenas cerca de 5% das pessoas com ancestrais nigerianos têm a variação do gene, enquanto 88% das pessoas com ancestrais finlandeses a possuem. A OMS também aponta que o número de pessoas que sofrem de enxaquecas na África e na Ásia é menor do que em outras regiões. "Normalmente, você observa algo em alguma frequência em uma população em algum lugar e espera que essas frequências sejam as mesmas em todas as populações", afirma Key. "Mas aqui você tem uma mudança de frequência de quase 80%. Isso é algo muito incomum." Os dados sugerem, portanto, que quando os primeiros humanos viajaram da África em direção ao norte, eles se ajustaram a temperaturas mais frias, mas ao fazê-lo, também se tornaram mais suscetíveis a enxaquecas. "A colonização pode ter sido acompanhada de adaptações genéticas que ajudaram os primeiros humanos a lidar com temperaturas mais baixas", afirma a geneticista Aida Andres, da University College London, que supervisionou o estudo. No entanto, os resultados não esclarecem por que as suscetibilidades a enxaquecas e a temperaturas frias estão geneticamente ligadas. Isso ainda permanece um mistério, de acordo com Key. "Podemos especular, no entanto, que haja uma sobreposição funcional no receptor que pode mediar enxaquecas, juntamente com a percepção da dor e do frio", explica. "Assim, o resfriamento do receptor provoca efeitos que vão em uma direção similar, mesmo que não estejam diretamente relacionados entre si."

O cientista de 104 anos que saiu de casa porque decidiu morrer

access_time02/05/2018 20:59

Nesta quarta-feira, o cientista David Goodall, de 104 anos, se despediu de sua casa na Austrália para embarcar em uma viagem atravessando o mundo para encerrar sua vida. O elogiado ecologista e botânico não está sofrendo de uma doença grave, mas deseja antecipar sua morte. A chave para sua decisão, ele diz, foi a diminuição de sua independência. "Lamento muito por ter atingido essa idade", afirmou Goodall no seu aniversário no mês passado em uma entrevista para a rede australiana ABC. "Não estou feliz. Eu quero morrer. Não é exatamente triste. O que é triste é ser impedido de fazer isso", disse. A morte assistida foi legalizada em um estado australiano no ano passado após um debate bastante polêmico - mas, para conseguir isso, a pessoa precisa ser diagnosticada como paciente terminal de alguma doença. E a questão não foi legalizada por outros estados ainda. Goodall decidiu, então, viajar para uma clínica na Suíça para voluntariamente acabar com sua vida. No entanto, ele diz que fica triste por ter que sair da Austrália para fazer isso. Vida ativa O pesquisador nasceu em Londres, mas vivia sozinho em um pequeno apartamento em Perth, no leste australiano. Ele deixou seu emprego em 1979, mas se manteve envolvido com sua área de trabalho depois disso. Entre suas conquistas nos últimos anos, Goodall editou uma série de livros de 30 volumes chamada "Ecossistemas do Mundo" e foi nomeado membro da Ordem da Austrália por seu trabalho científico. Em 2016, com 102 anos, ele venceu uma batalha para continuar trabalhando no campus da Universidade Edith Cowan, em Perth, onde era um associado honorário de pesquisa não remunerado. Agora, o pesquisador viaja para essa jornada final fora da Austrália com sua amiga Carol O'Neill, representante do grupo defensor da morte assistida "Exit International". O'Neill disse que a disputa de Goodall para continuar tendo um espaço de trabalho o afetou drasticamente. Tudo começou quando a universidade levantou preocupações sobre sua segurança - incluindo sua capacidade de se locomover até o local. Embora Goodall tenha vencido a questão, ele eventualmente acabou forçado a trabalhar mais perto de casa. Também chegou o momento em que ele foi forçado a parar de dirigir e de se apresentar no teatro, conforme conta O'Neill. "Esse foi o começo do fim", diz à BBC. "Ele não pode mais ver os mesmos colegas e amigos do antigo escritório. E aí ele foi perdendo a animação, começou a empacotar todos os seus livros. Foi o início de uma fase em que ele não era mais feliz." A decisão de Goodall para acabar com sua vida foi acelerada por uma queda grave em seu apartamento no mês passado. Ele ficou dois dias no chão antes de ser socorrido. Depois, os médicos disseram que ele precisaria de cuidados 24h por dia ou se mudar para uma casa de repouso onde tivesse esse tipo de atendimento. "É um homem independente. Não quer pessoas ao redor dele o tempo todo, uma pessoa estranha cuidando dele. Ele não quer nada disso", disse O'Neill. "Ele que ter ainda conversas inteligentes e ainda conseguir fazer coisas simples, como pegar um ônibus na cidade." Debate polêmico A Suíça permite o suicídio assistido desde 1942. Outros países também já liberaram esse tipo de morte voluntária, mas boa parte deles determina a presença de doença e o estado terminal como condições imprescindíveis para a autorização. A Associação de Médicos da Austrália (AMA) permanece contrária à morte assistida, que é vista por eles como uma prática antiética da medicina. "Médicos não são treinados para matar pessoas. Na nossa ética e na nossa formação, isso não pode ser apropriado", afirmou o presidente do órgão, Michael Gannon, durante o debate legislativo do último ano no estado de Vitória. "Agora, não é todo médico que concorda com isso", afirmou. Uma pesquisa da AMA indicou que quatro em cada dez membros da associação apoiavam as políticas pelo direito de morrer. O'Neill disse que o maior desejo de Goodall era morrer pacificamente e com dignidade. "Ele não está depressivo, nem infeliz, mas simplesmente não há aquele brilho e aquela vontade de viver que estavam lá alguns anos atrás", disse ela. Uma petição online arrecadou cerca de US$ 15 mil para o cientista voar em classe executiva para a Europa. Ele vai visitar a família na França antes de partir para a Suíça com seus parentes mais próximos. "Eles (minha família) percebem o quanto minha vida tem sido infeliz em quase todos os aspectos", disse Goodall à ABC. "Quanto antes ela acabar, melhor". O'Neill disse que ele passou os últimos dias revisando as últimas cartas e conversando com sua família, incluindo os muitos netos que tem. A história do pesquisador chamou a atenção da região em um momento que os legisladores do estado onde ele morava, Austrália Ocidental, avaliam debater uma legislação sobre a morte assistida. O governo estadual expressou publicamente solidariedade a Goodall, mas afirmou que qualquer legislação a esse respeito envolveria apenas casos de pacientes terminais. "Meu sentimento é que uma pessoa velha como eu deveria ter todos os seus direitos como cidadã, incluindo o direito ao suicídio assistido", afirmou Goodall no último mês. Ele disse à ABC que espera que o público entenda sua decisão. "Se alguém escolhe se matar, isso é justo. Não acho que ninguém tenha direito de interferir".

Envio de declarações do Imposto de Renda fora do prazo começa hoje

access_time02/05/2018 10:09

Quem perdeu o prazo para enviar a Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física poderá fazê-lo a partir das 8h de hoje (2). O contribuinte será multado em 1% do imposto devido por mês de atraso (limitado a 20% do imposto total) ou em R$ 165,74, prevalecendo o maior valor. Não será necessário baixar um novo programa. O sistema automaticamente gerará a guia para o pagamento do tributo, acrescido da multa. Neste ano, o total de contribuintes que enviaram a Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) foi 29.269.987, um crescimento de 1,63% em relação ao ano passado. O número superou a expectativa do Fisco de receber 28.800.000 declarações. Em 2017, 28.524.560 contribuintes haviam entregado o documento dentro do prazo. Restituições O pagamento das restituições começa em 15 de junho e vai até 17 de dezembro, em sete lotes mensais. Quanto antes o contribuinte tiver entregado a declaração com os dados corretos à Receita, mais cedo será ressarcido. Têm prioridade no recebimento pessoas com mais de 60 anos de idade, contribuintes com deficiência física ou mental e os que têm doença grave. Pagamento Quem for pagar o Imposto de Renda atrasado não precisa se preocupar em incluir os juros e as multas. O próprio sistema fará a atualização dos valores na hora de imprimir a guia. O programa de preenchimento da declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física de 2018, ano base 2017, está disponível no site da Receita Federal. Também é possível preencher e enviar o documento por meio do aplicativo Meu Imposto de Renda para tablets e celulares. Por meio do aplicativo, é possível ainda fazer retificações depois do envio da declaração. Extrato De acordo com o Fisco, o contribuinte pode acompanhar o processamento da declaração do serviço Meu Imposto de Renda, disponível no Centro Virtual de Atendimento (e-CAC), no site da Receita. Por meio do extrato, é possível verificar pendências e fazer uma declaração retificadora para evitar cair na malha fina. Neste ano, está obrigado a declarar quem recebeu rendimentos tributáveis, em 2017, em valores superiores a R$ 28.559,70. No caso da atividade rural, deve declarar quem teve receita bruta acima R$ 142.798,50. Também estão obrigadas a declarar as pessoas físicas residentes no Brasil, que receberam rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superior a R$ 40 mil, que obtiveram, em qualquer mês, ganho de capital na alienação de bens e direitos, sujeito à incidência do imposto ou que realizaram operações em bolsas de valores, que pretendem compensar prejuízos com a atividade rural, que tiveram, em 31 de dezembro de 2017, a posse ou a propriedade de bens e direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil, que passaram à condição de residentes no Brasil em qualquer mês e assim se encontravam em 31 de dezembro, ou que optaram pela isenção do IR incidente sobre o ganho de capital com a venda de imóveis residenciais para a compra de outro imóvel no país, no prazo de 180 dias contados do contrato de venda.