anuncie aqui
Notícias recentes
Má notícia: próxima Copa está mais longe do que você pensa

Má notícia: próxima Copa está mais longe do que você pensa

access_time07/07/2018 11:30

Com a queda da seleção, derrotada nesta sexta-feira pela Bélgica nas quartas de final, os torcedores

Maduro pede renúncia de ministros, após apagão

Maduro pede renúncia de ministros, após apagão

access_time18/03/2019 09:25

Após o apagão de quase uma semana na Venezuela, o presidente Nicolás Maduro anunciou a reestruturaçã

Aposentados começam a receber este mês 1ª parcela do décimo terceiro

Aposentados começam a receber este mês 1ª parcela do décimo terceiro

access_time21/08/2018 08:00

Aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) começam a receber, ainda es

ESPORTE

Análise: embalado, Palmeiras mostra força para enfrentar semanas de decisões

access_time22/10/2018 07:04

O torcedor do Palmeiras pode se preparar para viver muito mais emoção além da vivida na partida contra o Ceará, no último domingo, no Pacaembu. Depois de ir a 62 pontos no Campeonato Brasileiro e manter vantagem na liderança, o time de Felipão terá pelo menos mais quatro decisões nas próximas duas semanas. Na quarta-feira, o Palmeiras terá pela frente o Boca Juniors, na Argentina, pelo primeiro jogo da semifinal da Libertadores. Depois de apenas dois dias de recuperação – e pelo menos quatro desfalques importantes –, o rival será o Flamengo no Maracanã, pelo Brasileirão. Sem semana cheia para trabalhar, Felipão terá de continuar provando a força de seu plantel. A volta da partida contra o Boca que decide uma vaga na final da Libertadores será no dia 31 de outubro, três dias antes do clássico contra o Santos, na arena, pela 32ª rodada do Brasileirão. Na liderança do torneio, o Verdão está invicto há 15 rodadas. Se mantiver sequência contra Flamengo e Santos, vai dar passo importante rumo ao título do Brasileirão. Tudo isso entre decisões da Libertadores e desgaste físico de uma equipe que entrou em campo 67 vezes na temporada. Felipão tem elenco vasto e consegue manter nível do Palmeiras em duas competições O que pode prejudicar a segurança defensiva palmeirense, algo que tem sobrado na era Felipão, é um problema que já deu dor de cabeça: o cartão vermelho. Depois de Felipe Melo e Deyverson contra o Cerro Porteño, o atacante voltou a ser expulso, desta vez contra o Ceará. Com um a menos, o Verdão teve mais trabalho do que o esperado para confirmar a importante vitória e também viu seu planejamento mais prejudicado para a reta final. É verdade que Felipão terá o retorno de Gustavo Scarpa e Guerra para as últimas partidas do ano – os dois ficaram no banco de reservas no domingo –, mas se imaginar uma suspensão maior além da automática para Deyverson, que carrega no currículo a expulsão contra o Bahia, o treinador terá apenas Borja e Willian (improvisado) para atuar centralizado no ataque. O que também tem sobrado, principalmente nesses momentos, é a personalidade da equipe. Antes questionada por ser uma equipe de pouco poder decisivo, o Palmeiras de Felipão cresceu com a individualidade de Dudu, Moisés, Willian, Bruno Henrique e do "quarteto titular" de zaga. É com base na personalidade e no desempenho destes jogadores que o Verdão se prepara e se fortalece para sua sequência mais importante de 2018. Fora de campo, vão sobrar ansiedade e emoção para os torcedores palmeirenses. Deyverson expulso: única preocupação do Palmeiras em meio à boa sequência — Foto: Felipe Zito

Barcelona volta a ganhar e reassume liderança, mas perde Messi

access_time20/10/2018 16:45

A felicidade voltou a Barcelona, mas a preocupação permaneceu. O atual campeão venceu o ex-líder Sevilla por 4 a 2 depois de quatro rodadas de jejum e reassumiu a primeira colocação do Campeonato Espanhol. Só que ficou sem Messi. Autor do passe para o golaço de Coutinho, logo aos dois minutos, e responsável direto pelo 2 a 0 aos 12, o argentino saiu aos 16 depois de cair de mau jeito e se lesionar no cotovelo direito. Virou dúvida para os próximos jogos. Suárez, de pênalti, e Rakitic completaram a vitória no segundo tempo, com Sarabia e Muriel descontando. DESGARRADO NA FRENTE O Barcelona foi a 18 pontos e ficou um à frente do Alavés, líder temporariamente depois de ganhar na abertura da rodada na sexta-feira passada. Ex-primeiro colocado, o Sevilla permaneceu com 16, agora em terceiro e com a companhia do Atlético de Madrid, outro que entrou em campo neste sábado e empatou. O Real vem logo atrás, em quinto, com 14, depois de perder outra, para o Levante, por 2 a 1. PAREDÃO O goleiro alemão Ter Stegen foi o destaque absoluto do jogo depois da saída de Messi. Fez duas defesas seguidas em dois lances em que a bola do Sevilla tinha endereço certo. Não à toa, mereceu a brincadeira da conta do Barcelona no Twitter sobre o melhor da partida. Ter Stegen comemora em Barcelona x Sevilla (Foto: EFE/Alejandro García)

LeBron não evita queda na estreia, e Lakers se tornam mais fregueses dos Blazers

access_time19/10/2018 17:20

A expectativa sempre foi gigante em torno da estreia de LeBron James com o uniforme do Los Angeles Lakers na temporada da NBA, a liga americana de basquete. Mas, fora de casa, contra o Portland Trail Blazers, ele não conseguiu sair de quadra com a vitória nesta quinta-feira. Apesar de marcar 26 pontos, pegar 12 rebotes e produzir seis assistências, o Rei perdeu por 128 a 119 e iniciou a campanha de maneira decepcionante, principalmente depois do início explosivo que teve no jogo. Seus primeiros pontos com a camisa dos Lakers foram duas enterradas sensacionais que calaram as vaias recebidas na apresentação dos jogadores antes de subir a bola e conduziram o time a uma vantagem de 10 pontos logo no primeiro quarto. Mas bastou seu primeiro descanso para os Blazers, até então incomodados com a velocidade do jogo e a presença do Rei, encontrarem seu ritmo. Especialmente nas bolas de três quando Nick Stauskas entrou quente em quadra no segundo quarto para colocar 11 pontos de vantagem a favor do time da casa. O Rei precisou se contentar com uma derrota em sua estreia na nova casa. Para os Blazers, os gritos de "Beat LA" ecoaram como nunca e chegaram a uma sequência de 16 vitórias seguidas sobre o bom freguês. Campanhas Blazers: 1 vitória, 0 derrota (1º do Oeste) Lakers: 0 vitória, 1 derrota (8º do Oeste) Próximos jogos Blazers: contra os Spurs, sábado, em Portland Lakers: contra os Rockets, sábado, em Los Angeles

Título, R$ 62 milhões no caixa e vaga na Libertadores: o "strike" do Cruzeiro com o hexa da Copa

access_time18/10/2018 07:45

A conquista da edição 2018 da Copa do Brasil pelo Cruzeiro, a sexta da história do clube (havia ganhado em 1993, 1996, 2000, 2003 e 2017), após a vitória de 2 a 1 sobre o Corinthians, na quarta-feira, na Arena Corinthians, em São Paulo, fez com que a Raposa conseguisse um "strike" na atual temporada. Pelo investimento feito pela diretoria que assumiu o clube em janeiro deste ano, a expectativa era de que o time tivesse condições de brigar nas três principais competições que tinha para disputar: a Taça Libertadores, o Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil. Vencer a competição mata-mata deu ao time mineiro três grandes prêmios: primeiro, claro, mais um título nacional para a sua galeria. Depois, pelo valor milionário pago pela CBF ao campeão. A Raposa faturou, no total, cerca de R$ 62 milhões. Por fim, a vaga direta (para a fase de grupos) na Libertadores do ano que vem. Outra conquista nacional O Cruzeiro já havia ganhado, no início de abril, o título do Campeonato Mineiro, após bater o maior rival, o Atlético-MG, no Mineirão. A equipe de Mano Menezes, que havia perdido por 3 a 1 no jogo de ida, no Independência, inverteu a vantagem do adversário, fez 2 a 0 e ganhou o Estadual. Mas a competição valeu mesmo um domínio local. Os objetivos cruzeirenses eram maiores. A Libertadores, pelo seu valor esportivo e a possibilidade de disputa do Mundial de Clubes, e a Copa do Brasil, pelas cifras, eram as prioridades. Se por um lado a equipe falhou na principal competição sul-americana, sendo eliminada pelo Boca Juniors (dadas as situações que ocorreram, a expulsão injusta de Dedé no jogo de ida, na Bombonera, mesmo com o uso do VAR, o que foi determinante para a derrora de 2 a 0 na Argentina - no Mineirão houve empate em 1 a 1), por outro a Copa do Brasil passou a ser a última chance de um título expressivo em 2018, visto que a Raposa usou reservas em muitos jogos do Brasileirão e ficou muito distante dos líderes. Henrique teve a honra de erguer a taça da Copa do Brasil 2018 — Foto: Marcos Ribolli Por ter disputado a Libertadores deste ano, a Raposa iniciou a disputa na Copa do Brasil nas oitavas de final, quando eliminou o Atlético-PR: vitória de 2 a 0 em Curitiba e empate em 1 a 1 no Mineirão. Nas quartas de final, venceu o Santos por 1 a 0 na Vila Belmiro, perdeu por 2 a 1 em Belo Horizonte, mas levou a vaga ao vencer por 3 a 0 nos pênaltis. Nas semifinais, outra vitória como visitante, desta vez 1 a 0 sobre o Palmeiras, em São Paulo. O empate em 1 a 1 no Mineirão garantiu a Raposa na decisão, contra o Corinthians. Campeão brasileiro em 2013 e 2014, o Cruzeiro, que levantou a Copa do Brasil no ano passado, voltou a ganhar uma competição nacional. Com isso, passou a ser o maior conquistador de títulos nacionais nos anos 2000 (sete troféus contra seis do Corinhians), além de ter se isolado como o maior vencedor da Copa do Brasil (seis títulos contra cinco do Grêmio). Para finalizar, o time mineiro tornou-se o primeiro a ganhar o tornio em dois anos consecutivos (2017 e 2018). O único time que teve a chance foi o Grêmio, campeão em 1994, mas que perdeu a final em 1995. Cofres cheios A confirmação do título da Copa do Brasil rendeu ao Cruzeiro mais R$ 50 milhões, prêmio dado ao campeão (se fosse vice, levaria R$ 20 milhões). Com isso, a premiação acumulada na competição foi de R$ 61,9 milhões (R$ 2,4 milhões pelas oitavas de final, R$ 3 milhões por ter chegado às quartas, R$ 6,5 milhões por ter avançado às semifinais e o prêmio pela conquista). Desta forma, se levarmos em conta a premiação recebida na Libertadores, o valor total arrecadado em 2018 chega aos R$ 73 milhões. Na competição continental, o clube recebeu US$ 1,8 milhão (R$ 5,95 milhões) pelas três partidas como mandante, US$ 750 mil (R$ 2,48 milhões) nas oitavas, e US$ 950 mil (R$ 3,14 milhões) nas quartas de final. Premiação acumulada na Copa do Brasil foi de R$ 61,9 milhões — Foto: Marcos Ribolli Assim, financeiramente, o Cruzeiro vai ter a chance de colocar a casa em ordem. As finanças do clube foram tema de discussões, principalmente, desde o fim do ano passado. Farpas foram trocadas no início de 2018 quando a atual direção do Cruzeiro assumiu o clube. A situação econômica encontrada foi alvo de críticas feita pela cúpula chefiada pelo presidente Wagner Pires de Sá. O antecessor, Gilvan de Pinho Tavares, rebateu as acusações. Fato é que o Cruzeiro ficou no centro de um turbilhão de cálculos. O balanço publicado no fim de abril - quase na última hora, por causa da Lei Pelé e do Estatuto do Torcedor - foi contestado pela atual diretoria. As contas foram revisadas no mês de setembro por uma terceira auditoria contratada à parte pelo Cruzeiro. Do superávit de R$ 30 milhões apontado no primeiro semestre, o número se tornou negativo: déficit de R$ 16,8 milhões. Nos últimos dados levantados - aos quais o GloboEsporte.com teve acesso – foi possível ver que o Cruzeiro adquiriu R$ 71,2 milhões em empréstimos bancários para pagar dívidas da gestão passada. Entre elas, premiação pelo título da Copa do Brasil 2017, salários atrasados e direito de imagens, além de outras pendências não especificadas. Com o hexa da Copa do Brasil, o Cruzeiro terá um fôlego a mais para "equilibrar" a balança: R$ 73 milhões de premiações contra R$ 71,2 milhões do empréstimo. Tudo isso, obviamente, sem levar em conta outras despesas de custo, principalmente, em termos de premiação ao grupo, logística e fiscais. Libertadores, outra vez O título da Copa do Brasil ainda garantiu o Cruzeiro diretamente na fase de grupos da Taça Libertadores do ano que vem. Desta forma, o clube terá uma nova oportunidade de tentar buscar o terceiro título da competição, já que ganhou em 1976 e em 1997, e, consequentemente, a chance de voltar a disputar o Mundial de Clubes. A diretoria cruzeirense terá um tempo para planejar, junto com o técnico Mano Menezes (que tem contrato até o fim de 2019), a equipe para a próxima Libertadores.

Primeira rodada da Taça Saudoso Edinho tem homenagem e jogos de muito equilíbrio

access_time15/10/2018 15:12

Antes da rodada aconteceu homenagem a família do saudoso Edinho, esteve presente, esposa, filha, irmãs e mãe, a emoção tomou conta de todos, e o agradecimento a Secretaria de Esportes por esta homenagem a este ilustre atleta que faleceu em 2016. Jogo das 08h30 - Ajax Esporte Clube 02x01 Comercial Santarém - Chave B Primeiro jogo do campeonato reuniu a equipe Ajax contra Comercial Santarém, Jose Alexandre abriu o placar aos 09 segundos de jogo para a equipe do Distrito, o primeiro tempo foi todo do Ajax mais não convertido em gols, na segunda etapa a equipe do Comercial Santarém cresceu na partida e chegou ao empate com um golaço de Alessandro, o técnico do Ajax fez algumas mudanças e umas delas colocou Raí que fez o segundo gol, fechando o placar em 2 a 1. Jogo das 14h - Xingu Casai 04x04 Truilho - Chave A Jogo muito alternativo e de muitos gols, a equipe do Truilho saiu na frente com um gol de pênalti convertido por Daylon, a equipe do Xingu chegou ao empate com habilidoso Bepkum, a equipe do Truilho foi pra cima e com Junior chegou aos 2 a 1, em um contra-ataque rápido novamente Bepkum empatou o jogo, a partida estava bastante equilibrada, quando surgiu o terceiro gol do Xingu com Bengaiti em que a equipe do Truilho reclamou muito da arbitragem, pedindo impedimento, logo em seguida Bepkum mais uma vez em jogada individual fez o quarto gol do Xingu e o seu terceiro gol, aos 30 minutos Yamagra fez duas faltas violenta e acabou sendo expulso, isso fez a equipe do professor Grande crescer na partida e faltando dois minutos chegou ao empate, dois gols do artilheiro da equipe, Daylon, final do jogo 4 a 4. Jogo das 15h45 - Chicão Garimpeiro 01x01 Terenas Kopenoty - Chave B A equipe do Chicão Garimpeiro massacrou a equipe campeã do ano passado, Terenas Kopenoty, a equipe do Chicão fez 1 a 0 com Rodriguinho, e cansou de perder gols e com bolas na trave, na segunda etapa a equipe do Terenas aproveitou sua chance em uma jogada individual com Antoniel que empatou, a equipe do Chicão Garimpeiro teve várias chances mais o goleiro Anderson fez várias devesas, final o placar ficou em 1 a 1. O evento é organizado pela Semelpa e com total apoio da Prefeitura Municipal, na primeira rodada fizeram parte da arbitragem, Evandro, David Neto, Lenilton e Gustavo na mesa.

Análise: Palmeiras de Felipão sobra em segurança e faz torcedor confiar no título do Brasileirão

access_time15/10/2018 07:02

Felipão precisou de pouco mais de dois meses para promover uma transformação no Palmeiras. E a vitória por 2 a 0 sobre o Grêmio, no domingo, no Pacaembu, foi mais uma importante prova de como a reta final da temporada será importante para o elenco alviverde. Se a falta de evolução e regularidade da equipe no Campeonato Brasileiro motivaram a diretoria a demitir Roger Machado no fim de julho, o Palmeiras de hoje, 14 partidas depois daquela derrota contra o Fluminense no Maracanã, em 25 de julho, caminha a passos firmes na disputa do título nacional – são três pontos de vantagem na liderança a nove jogos do fim. A atual campanha até se assemelha um pouco à de 2016, quando o Palmeiras de Cuca conquistou o Brasileirão. Naquela vez, o Verdão conseguiu uma sequência de 15 jogos de invencibilidade, com um segundo turno quase perfeito – foi apenas uma derrota em 19 partidas. Os números atuais são bastante expressivos: 14 jogos de invencibilidade: dez vitórias e quatro empates; Melhor defesa do Brasileirão, com três gols sofridos nas últimas 14 partidas (18 gols no total); Melhor ataque do Brasileirão (45 gols marcados); Lider do Brasileirão com 67,8% de aproveitamento geral; Melhor campanha do returno: 86,6% de aproveitamento em 10 jogos. O duelo contra o Grêmio foi mais um confronto direto vencido pelos palmeirenses, que já haviam passado pelo São Paulo no Morumbi na rodada passada. Além dos três pontos, o Verdão abriu oito de vantagem do quinto colocado e praticamente tirou os gaúchos da briga. Deyverson e Bruno Henrique sobem mais que os adversários — Foto: Marcos Ribolli O desempenho seguro chamou a atenção, com apenas uma chance de perigo cedida ao Grêmio e nenhuma defesa importante de Fernando Prass nos 90 minutos. O time soube fechar espaços e controlar bem a sempre eficiente troca de passes gremista, quase sempre pelo meio de campo. Faltam nove partidas para o término do Brasileirão. O próximo rival será o Ceará, no mesmo Pacaembu, no domingo que vem. Depois, o Verdão terá pela frente Flamengo (fora), Santos (casa), Atlético-MG (fora), Fluminense (casa), Paraná (fora), América-MG (casa), Vasco (fora) e Vitória (casa). Com Felipão no comando e um elenco altamente motivado, que também está nas semifinais da Libertadores, o torcedor do Palmeiras tem motivos para voltar a sonhar com mais um título nacional.

Jesus desencanta e Neymar vira garçom em vitória do Brasil sobre a Arábia Saudita

access_time12/10/2018 16:36

O apito final do árbitro aliviou o público do repetitivo ritmo das canções da torcida árabe e da morosidade da seleção brasileira, numa atuação bem abaixo do que se espera na vitória por 2 a 0 sobre a Arábia Saudita. Fica difícil acreditar que esse tipo de amistoso serve para grandes conclusões quando nem os jogadores pareciam concordar. Gabriel Jesus marcou, no fim do primeiro tempo, e a boa notícia da quente e seca noite saudita foi essa: um bom centroavante de volta ao jogo depois da frustrante Copa do Mundo. Alex Sandro, no último lance, ampliou. Tite fez algumas experiências, nenhuma empolgante. Cabe à comissão técnica saber relativizar erros e acertos no contexto preguiçoso da partida para saber o que deve levar adiante até a Copa América de junho do ano que vem. O próximo teste será contra a Argentina, terça-feira, em Jeddah. PRIMEIRO TEMPO Gabriel Jesus marcou no final do primeiro tempo e encerrou um jejum de cinco jogos. Não seria longo, não fossem justamente os cinco da Copa do Mundo. O belo passe de Neymar terminou bem uma atuação morosa, de pouco esforço. No início, com jogadores mais próximos, o Brasil conseguiu entrar na área saudita com certa facilidade. Renato Augusto, Gabriel Jesus e Neymar perderam boas chances. O centroavante ainda exigiu uma defesaça de Al Owais após completar de cabeça um cruzamento de Neymar. Ederson só não teve que defender – ou buscar a bola na rede – porque Pablo cortou chute de Al Dawsari, após boa jogada pelo lado esquerdo. SEGUNDO TEMPO Lucas Moura entrou no lugar de Fred e protagonizou bons minutos iniciais. Primeiro ao roubar a bola no ataque e cair dentro da área, em lance que árbitro e VAR ignoraram. Pouco depois, perdeu ótima chance depois de passe de Neymar. Depois disso, foi sucumbindo ao ritmo lento de toda a equipe. Tite fez outras alterações, mudou mais de uma vez a maneira de atuar, mas um chute de Neymar na trave foi o melhor momento. A falta de qualidade da Arábia Saudita impediu que ela exigisse uma defesa sequer de Ederson. Nos minutos finais, o goleiro Al Owais interceptou lance de ataque do Brasil com as mãos, fora da área, e foi expulso com auxílio do VAR. No último lance, Neymar cobrou escanteio e Alex Sandro marcou. Alex Sandro gol Arábia Saudita x Brasil (Foto: Pedro Martins / MoWA Press)

Por clássico, Corinthians freta avião; Díaz e Romero vão ao Paraguai

access_time11/10/2018 08:48

O Corinthians fretou um avião na noite desta quarta-feira para levar o seu elenco a São Paulo e ter a melhor preparação possível para o clássico contra o Santos, no sábado, às 19h (de Brasília), no estádio do Pacaembu. Ciente da importância do embate contra o rival, a diretoria fez com que o elenco deixasse o estádio do Mineirão, onde foi superado por 1 a 0 pelo Cruzeiro, diretamente para o aeroporto da Pampulha, de onde partiu um avião durante a madrugada para São Paulo. A avaliação dos alvinegros foi de que era necessário esse período de recuperação maior já na cidade de São Paulo, podendo preparar a equipe da melhor forma possível para o embate. O técnico Jair Ventura já deixou claro que não vai utilizar a equipe titular, dando descanso aos atletas vislumbrando o reencontro com o Cruzeiro, na próxima quarta-feira, no dia 17. O fato de voarem logo após o duelo fez com que poucos jogadores parassem para a atender a imprensa na zona mista improvisada do estádio. Jadson e Emerson Sheik, os dois últimos a deixar o vestiário, por exemplo, pediram desculpas e disseram que o ônibus já estava de saída. Quem destoou do restante do elenco foi a dupla de atacantes paraguaios Ángel Romero e Sérgio Díaz. Convocados para um período de treinos da seleção, eles saíram do vestiário sem o uniforme de viagem do clube, já trajados com roupas sociais. Ambos são esperados para o trabalho da tarde na capital Assunção, sob a batuta do técnico Juan Carlos Osorio. Com o resultado do embate, o Corinthians, que contou com uma linda festa da torcida para se aguentar em campo. agora precisa vencer por dois gols de diferença em casa para reverter a vantagem adversária e conseguir chegar ao seu quarto título da competição. Do outro lado, os mineiros terão de empatar para segurar o resultado e conquistar o sexto troféu do torneio na sua história, sendo o segundo consecutivo. Vitória simples dos paulistas leva a decisão aos pênaltis.

Aço Norte de Guarantã levou o título Regional de Veteranos

access_time24/09/2018 14:52

Em belo jogo no Estádio Morada do Ouro em Peixoto de Azevedo, a equipe Guarantaense venceu a Moveis Galvan de Peixoto de Azevedo nos pênaltis e levou o título do Campeonato de Veteranos. Em um jogo marcado pela rivalidade entre Peixoto de Azevedo e Guarantã do Norte, as duas equipes fizeram uma grande partida, com oportunidades pelos dois lados, com lances de alto nível.  Aço Norte abriu o placar com Sidnei, Bica empatou para Moveis Galvan, com empate a disputa foi para os pênaltis, Washinton e Igor perderam as penalidades para a equipe de Peixoto de Azevedo, Já os jogadores Guarantaenses acertaram as 04 penalidades cobradas e ganharam de 4 a 2 e assim conquistaram o título da competição. Após o jogo houve a entrega das premiações, Moveis Galvan levou R$ 700,00, medalhas e troféu, Aço Norte, R$ 1.400,00, medalhas e troféu, artilheiro e goleiro foram da equipe Aço Norte, Sebinho, R$ 200,00 e medalha, goleiro Taffarel, R$ 200,00 e medalha. O Chefe do Departamento de Esportes, Lenilton Mardine, agradeceu ao Prefeito Maurício e toda administração pelo apoio na competição, as equipes pela participação e parabenizou as duas que chegaram a final e em especial a equipe campeã e ainda destacou o trio de arbitragem, Dhioninha de Terra Nova do Norte e nas bandeiras, Marcão e Jhonatan de Peixoto de Azevedo.

Cristiano Ronaldo e Modric travam disputa acirrada por prêmio da Fifa

access_time24/09/2018 09:25

A edição de 2018 do Fifa The Best já é especial. Ou veremos Cristiano Ronaldo ser eleito o melhor jogador do mundo pela sexta vez e se isolar de Lionel Messi, algo que até alguns anos atrás parecia improvável, ou seremos testemunhas do fim do domínio dessa dupla, que se alternou no topo de forma incrível nos últimos 10 anos. Com o craque argentino fora da final, o português desta vez trava uma disputa acirrada com o croata Luka Modric, e o egípcio Mohamed Salah corre por fora. O vencedor será conhecido nesta segunda-feira, na cerimônia marcada para começar às 15h30 (horário de Brasília) no Royal Festival Hall, em Londres. O SporTV fará a transmissão ao vivo, e o GloboEsporte.com vai acompanhar todos os detalhes em Tempo Real. Há um bom tempo não se via uma disputa tão equilibrada - ou CR7 ou Messi era apontado como grande favorito -, e sem necessariamente ser focada em números. Por isso, Modric chegou com força logo em sua estreia entre os finalistas. Com cinco gols na temporada (Real Madrid e Croácia), o meio-campista está longe dos 54 de Cristiano (Real Madrid e Portugal) e dos 50 de Salah (Liverpool e Egito). Tampouco ganha nas assistências - tem 11, contra as mesmas 11 de CR7 e 16 do egípcio. Mas foi reconhecido por sua grande contribuição ao Real no tricampeonato da Liga dos Campeões e à seleção da Croácia na histórica campanha do vice da Copa do Mundo. O camisa 10 se destacou na construção de jogadas, na distribuição dos passes, na marcação e na liderança. Pouco menos de um mês atrás, Modric conseguiu desbancar Cristiano Ronaldo e Salah para levar o prêmio de melhor jogador da Europa, dado pela Uefa. Foi uma prova dessa força do croata. Ele também foi eleito o melhor jogador da Copa da Rússia e do último Mundial de Clubes, ambos organizadas pela Fifa - que promove o The Best. Mas vale lembrar que isso nada significa, pois o papel da entidade máxima do futebol na eleição é selecionar, por meio de um grupo de grandes nomes do esporte, como Ronaldo e Kaká nesta edição, os 10 finalistas de cada categoria do prêmio - formato estreado em 2018. A partir daí, a votação foi feita pelos técnicos de seleções, capitães de seleções, um jornalista de cada um dos países membros da Fifa e torcedores cadastrados no site da entidade. Cada um desses grupos tem 25% de peso na conta final. Apesar de figurar entre os favoritos ao prêmio, Cristiano Ronaldo não vai comparecer à cerimônia. O estafe do jogador alega impossibilidade por conta do calendário, mas, nos bastidores, cresce o rumor de que o prêmio teria ficado nas mãos de Modric. Opinião de quem entende Entre os especialistas não há consenso. O técnico da seleção brasileira, Tite, votou em Modric para melhor do mundo. O eterno craque Rivellino daria o prêmio para Salah, assim como o ex-jogador Roger Flores, atualmente comentarista da TV Globo. - Acho que o feito dele nessa temporada é muito grande. Ele bateu o recorde de gols em uma edição da Premier League (32), que para mim é a competição mais difícil da Europa. E também por levar o Liverpool à final da Liga dos Campeões. Tem o acidente na final (lesão em lance com Sergio Ramos), no início do jogo, que não deixou ele nem jogar a partida nem participar da Copa do Mundo no seu ápice físico - afirmou Roger. Para Junior e Walter Casagrande, também comentaristas da TV Globo, quem merece vencer o Fifa The Best de 2018 é Cristiano Ronaldo, que nesta temporada se transferiu para a Juventus. - Acho que é o Cristiano Ronaldo. Ele ainda é o melhor jogador do mundo. Ele levou Portugal até onde deu. Foi campeão da Champions, artilheiro do Real Madrid. Ele está completo. Foi bem nas duas melhores competições do mundo e ainda merece ser o melhor do mundo - disse Casão. Outro fato que deixou muita gente dividida é a ausência de Messi. É a primeira vez, desde 2007, que o craque do Barcelona não está entre os três finalistas. Os 49 gols e 22 assistências na temporada, que teve os títulos do Campeonato Espanhol e da Copa do Rei, não foram suficientes, na opinião dos jurados. - Sou fãzoca do Messi. Em todos os tempos, em qualquer situação, eu colocaria o Messi. Quem sairia eu não sei, mas o Messi, para mim, tinha que fazer parte, pelo gênio que ele é. Um dia você vai botar a mão na cabeça e dizer: eu vi esse cara jogar, tive o privilégio de acompanhar a carreira desse cara ao longo desses 10 anos. Quando você olha o que o Messi fez no futebol, os gols que ele faz, as jogadas, tem que tirar o chapéu. Está entre os grandes de todos os tempos - avaliou Parreira. - Surpreende. É o cara que está ali há 10 anos sendo o jogador que é, um dos melhores do mundo há tanto tempo. Surpreende. Ele não fez aquela temporada que a gente está acostumado a ver, até mesmo porque o Barcelona saiu cedo da Liga dos Campeões, que tem um peso muito grande. Isso pode ter tipo influência na hora de a galera escolher o seu voto - ponderou o "Maestro" Junior. Neymar em baixa, Marta em alta O Brasil, que no masculino ganhou pela última vez com Kaká em 2007, vê o jejum aumentar. Finalista em 2015 e 2017, Neymar desta vez não apareceu nem no top 10 após ter sua temporada comprometida por uma fratura no pé direito pelo Paris Saint-Germain e uma participação fraca na Copa do Mundo. Os outros sete da lista foram Messi, De Bruyne, Griezmann, Hazard, Kane, Mbappé e Varane. - É uma pena ver o Neymar machucado. Acabou ficando fora da premiação. Mas todos têm a consciência de que ele é um dos melhores do mundo. Acho que, pelo fato da lesão, ficou fora. Mas continua igual. Cristiano Ronaldo, Messi, Neymar, esses aí são os melhores - disse Ronaldinho Gaúcho. - Ele teve um início bom no Paris Saint-Germain. O Neymar tem um problema um pouco sério no sentido... Se ele se preocupasse em fazer o que Deus deu a ele, o dom de jogar futebol... Ele é gênio, diferenciado, um talento nato. Mas às vezes faz certas coisas dentro do campo que ofuscam o que ele representa jogando futebol - criticou Rivellino. Mas quem pode ser premiada em Londres é Marta, que voltou a figurar entre as três finalistas. Eleita a melhor do mundo cinco vezes entre 2006 e 2010 e indicada em 14 oportunidades, a craque do Orlando Pride concorre com duas jogadoras do Lyon: a norueguesa Ada Hegerberg e a alemã Dzsenifer Maroszan. Ela e Cristiano Ronaldo podem ser o primeiro ou a primeira - ou os primeiros, por que não? - a levantar o troféu seis vezes. Deschamps e bicicleta de CR7 favoritos Entre os técnicos no futebol masculino, o grande favorito é Didier Deschamps, campeão do mundo com a França. Ele concorre com o vice mundial, o croata Zlatko Dalic, e Zinedine Zidane, tri da Liga dos Campeões com o Real Madrid. O prêmio Puskás de gol mais bonito também tem um favoritaço: o gol incrível de bicicleta de Cristiano Ronaldo pelo Real contra a Juventus, curiosamente seu time atual. A pintura de voleiro do uruguaio Arrascaeta pelo Cruzeiro contra o América-MG é um dos demais nove finalistas. Esta é a terceira edição do Fifa The Best no formato atual. As duas primeiras foram vencidas por Cristiano Ronaldo. O prêmio de melhor do mundo foi criado pela Fifa em 1991. Entre 2010 e 2015, ele foi feito em parceria com a tradicional revista "France Football" e denominado Bola de Ouro da Fifa. Em 2016, a entidade voltou a realizar a premiação sozinha, com o novo nome "Fifa The Best". Apesar de oficialmente eleger o melhor do ano, o troféu sempre levou mais em consideração a temporada europeia, que vai de agosto a junho. Neste ano, por sinal, a Fifa adiantou a cerimônia para setembro.