anuncie aqui
Notícias recentes
Família do jogador Valdívia é mantida refém por 4 horas durante roubo a residência em MT

Família do jogador Valdívia é mantida refém por 4 horas durante roubo a residência em MT

access_time16/05/2018 18:48

A família do jogador Valdívia, do São Paulo, foi mantida refém por quatro horas durante um assalto a

Nova Zelândia quer proibir, em abril, venda de armas do tipo militar

Nova Zelândia quer proibir, em abril, venda de armas do tipo militar

access_time21/03/2019 17:02

Após o duplo ataque a mesquitas na Nova Zelândia, a primeira-ministra Jacinda Ardern anunciou que ar

Moradora de rua é morta a pedradas às margens de rio em Cuiabá

Moradora de rua é morta a pedradas às margens de rio em Cuiabá

access_time10/12/2018 00:39

Uma moradora de rua foi assassinada a pedradas no final da manhã deste domingo (9), na região do Bai

NEGÓCIOS

Comunicado

access_time22/03/2019 07:53

A Secretaria Municipal de Fazenda e Planejamento informa que está disponibilizando novamente um Servidor Habilitado para estar emitindo NOTAS FISCAIS. As pessoas que necessitarem deste serviço de emissão de notas fiscais deverão estar procurando o Departamento Municipal de Tributação que fica localizado na Avenida Rotary Internacional, paralela da BR-163, no prédio do antigo Cartório.

Anunciada como 'número dois' do MEC, Iolene Lima diz que não seguirá no cargo

access_time22/03/2019 07:42

Oito dias após ter sido anunciada pelo ministro Ricardo Vélez Rodríguez como secretária-executiva do Ministério da Educação, cargo considerado o "número dois" dentro do MEC, Iolene Lima informou, no início da madrugada desta sexta-feira (22), que não seguirá na pasta. “Diante de um quadro bastante confuso na pasta, mesmo sem convite prévio, aceitei a nova função dentro do ministério. Novamente me coloquei à disposição para trabalhar em prol de melhorias para o setor. No entanto, hoje, após uma semana de espera, recebi a informação que não faço mais parte do grupo do MEC”, postou ela em sua conta no Twitter (leia a íntegra da mensagem ao fim da reportagem). A nomeação de Iolene nem chegou a ser publicada no Diário Oficial da União, mas ela acompanhou o ministro Rodríguez em compromissos públicos. Entre eles, esteve ao lado do ministro quando Rodríguez foi a Suzano prestar solidariedade às vítimas do ataque a tiros em uma escola. Crise no ministério O ministro Ricardo Veléz Rodríguez está no centro de uma crise política e está sendo alvo de pressões para deixar o posto. Rodríguez foi indicado para o cargo pelo guru do governo Bolsonaro, Olavo de Carvalho. O escritor, de direita, bancou sua nomeação e indicou vários assessores para ocupar cargos dentro do Ministério da Educação. Só que o ministro também nomeou militares para sua equipe, que entraram em confronto com o grupo de seguidores de Olavo de Carvalho, chamados de “olavetes”. Em meio à disputa interna, Rodríguez se envolveu em muitas polêmicas. A mais recente delas aconteceu em 25 de fevereiro, quando o ministro enviou uma carta às escolas de todo o país pedindo que as crianças fossem filmadas cantando o Hino Nacional. O Estatuto da Criança e do Adolescente veta a divulgação de imagens de menores de idade sem autorização dos pais. Na carta, o ministro ainda reproduzia o slogan de campanha de Jair Bolsonaro, o que pode ferir a Constituição de acordo com o artigo 37, que diz que a administração pública de qualquer um dos poderes deve seguir os princípios da "legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência". “Brasileiros! Vamos saudar o Brasil dos novos tempos e celebrar a educação responsável e de qualidade a ser desenvolvida na nossa escola pelos professores, em benefício de vocês, alunos, que constituem a nova geração. Brasil acima de tudo. Deus acima de todos!”, dizia a carta. O Ministério Público Federal em Brasília informou que vai apurar se o ministro cometeu improbidade administrativa. Para tentar acabar com a guerra interna, o presidente Jair Bolsonaro determinou que o ministro demitisse não só assessores ligados a Olavo de Carvalho mas também militares que estavam gerando insatisfação no escritor e guru do governo atual. Foram seis exonerações no ministério. Na Secretaria-Executiva, essa seria a segunda mudança de nome para o cargo em apenas três meses de governo. Até terça (12), o secretário-executivo do MEC era Luiz Antônio Tozi. Ele foi demitido como último ato de uma "reestruturação" promovida pelo ministro. Com a saída de Tozi, o nome de Rubens Barreto da Silva chegou a ser anunciado por Rodríguez, também em rede social. A nomeação de Barreto no cargo, no entanto, não chegou a ser publicada no Diário Oficial da União. Resumo da crise O desempenho do ministro Rodríguez foi criticado por falta de resultados e por polêmicas como a do hino nacional, na qual voltou atrás; Ainda no carnaval, o ministro começou planejar mudanças, alterando funções de funcionários; O grupo reagiu, criticando a influência do coronel-aviador Ricardo Roquetti junto ao ministro Bolsonaro determinou que o ministro fizesse demissões; Diante dos rumores de mudanças de cargo e da exoneração de seus alunos, Olavo postou em uma rede social que eles deveriam deixar o governo; ele chegou a afirmar que as trocas tinham como objetivo frear a "Lava Jato da Educação"; Na sequência, o governo exonerou funcionários e reafirmou que o compromisso de "apurar irregularidades" estava mantido; Na mesma edição do "DOU" que exonerou seis funcionários, na tarde de segunda-feira (11), o governo havia nomeado Rubens Barreto da Silva como secretário-executivo-adjunto; na terça (12) porém, ele foi anunciado como o novo secretário-executivo, com a demissão de Luiz Antônio Tozi; No dia 14, porém, o ministro anunciou o nome de Ioelene Lima para o cargo; Rodríguez não disse se Barreto ocupará outro cargo no ministério. No dia 22, Iolene publicou em uma rede social que havia sido informada que não fazia mais parte do MEC. Antes, ela era a secretária substituta da Secretaria de Educação Básica do MEC. Confira a íntegra do anúncio de Iolene Lima: Aos meus amigos e colegas: Depois de cinco anos à frente da direção do colégio que ajudei a fundar, deixei meu emprego a fim de aceitar um convite para, junto com outros profissionais, servir ao meu país, colaborando para um ideal que acredito: um Brasil melhor por meio da educação. Todavia, diante de um quadro bastante confuso na pasta, mesmo sem convite prévio, aceitei a nova função dentro do ministério. Novamente me coloquei à disposição para trabalhar em prol de melhorias para o setor. No entanto, hoje, após uma semana de espera, recebi a informação que não faço mais parte do grupo do MEC,. Não sei o que dizem mas confio que Deus me guardará e guiará! Desejo ao governo do nosso Presidente Bolsonaro e ao Ministro Ricardo Vélez, o melhor! E obrigada a todos que oraram por mim e me apoiaram neste desafio! Foram milhares de mensagens de apoio! Que Deus abençoe nossa nação! Meu abraço, Iolene Lima! Quem é Iolene Lima Iolene Maria de Lima é ligada a uma igreja batista do Interior de São Paulo e foi diretora de um colégio religioso paulista. Na madrugada do dia 13 de fevereiro ela embarcou com o ministro para acompanhar o velório coletivo das vítimas do atentado em uma escola de Suzano (SP). Durante a viagem, ela criou uma nova conta no Twitter que, até a tarde do dia 14 contava com apenas três mensagens, todas relacionadas à tragédia em Suzano. O único post feito após a tragédia foi o do anúncio da saída do MEC. Quando foi anunciada para o cargo de secretária-executiva, Iolene publicou na sua conta no Twitter: "Muito obrigada, Ministro @ricardovelez e Presidente @jairbolsonaro. Dediquei minha vida para a área da educação e me sinto honrada. É com grande alegria que assumo o cargo de tamanha importância para a educação do nosso país!", escreveu Iolene. Na conta anterior dela – que foi desativada, mas ainda pode ser acessada no histórico do Google –, o foco de Iolene era em mensagens religiosas e de apoio ao presidente Jair Bolsonaro. Em uma delas, ela dizia que "O Brasil não será uma Venezuela".

Arrecadação chega ao recorde de R$ 115 bilhões em fevereiro

access_time21/03/2019 17:00

A arrecadação das receitas federais somou R$ 115,062 bilhões, em fevereiro de 2019, informou hoje (21) a Secretaria da Receita Federal do Ministério da Economia. O crescimento real (descontada a inflação) comparado ao mesmo mês de 2018 chegou a 5,36%. É o maior resultado da série histórica desde o Plano Real, em 1995. As receitas administradas pela Receita Federal (como impostos e contribuições) chegaram a R$ 112,957 com aumento real de 5,46%. De janeiro a fevereiro, a arrecadação somou R$ 275,487 bilhões, com crescimento real de 1,76%. As receitas administradas pela Receita chegaram a R$ 263,255 bilhões, com aumento real de 0,99%. As receitas administradas por outros órgãos (principalmente royalties do petróleo) totalizaram R$ 12,233 bilhões, com crescimento de 21,81%. Segundo o chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros da Receita Federal, Claudemir Malaquias, o crescimento da arrecadação decorre da melhora nos resultados das empresas, recolhimento de parcelamento de dívidas tributárias e crescimento da arrecadação de tributos sobre combustíveis. Ele acrescentou que “todos os indicadores” da economia estão com “sinalização positiva”.

Mais uma capacitação da Editora Positivo para professores de Peixoto de Azevedo

access_time20/03/2019 09:01

A Secretaria Municipal de Educação de Peixoto de Azevedo está realizando mais uma Capacitação do Aprende Brasil da Editora Positivo para professores do 1º ao 5º ano da Rede Pública Municipal com tema Informática Educativa "Professores Designers da Aprendizagem". Hoje são 3089 alunos do município que recebem as modernas Apostilas do Positivo, o melhor sistema de ensino do País, graças ao sistema implantado no ano de 2018 dando oportunidade dos alunos de Peixoto de Azevedo terem o mesmo ensino das Escolas particulares. A formação Aprende Brasil On está sendo ministrada na Câmara Municipal pela Consultora da Editora Positivo Fabiane Cesseti para 110 professores da Rede Municipal da sede e do Distrito União do Norte. Aprende Brasil On: reflexões e possibilidades ao professor designer da aprendizagem. Trilhas de aprendizagem são itinerários pedagógicos previamente planejados pela Editora Positivo, visando propiciar a melhor performance possível de aprendizagem dos alunos. Elas se originam do mapeamento de todo o conjunto de conteúdos abordados nos materiais que constituem uma coleção, em cada disciplina. Neste curso, pretende-se explorar os recursos do professor design com ênfase nas Trilhas de Aprendizagem, além de outras possibilidades tecnológicas com o Aprende Brasil On, todas relacionadas ao Ensino Fundamental até ao 5º ano.

Brasil abrirá mão de direitos na OMC para ingressar na OCDE

access_time20/03/2019 07:43

O presidente Jair Bolsonaro concordou que o Brasil abra mão do tratamento diferenciado que os países em desenvolvimento recebem na Organização Mundial do Comércio (OMC) em troca do apoio dos Estados Unidos à adesão do país à Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). A decisão foi acertada em reunião de Bolsonaro com o presidente norte-americano, Donald Trump, hoje (19) na Casa Branca, em Washington. A OCDE reúne os países mais industrializados do mundo e estabelece parâmetros conjuntos de regras econômicas e legislativas para os membros. Segundo comunicado dos dois presidentes divulgado pelo Ministério das Relações Exteriores no início da noite, Trump elogiou os esforços do Brasil para reformar a economia e alinhar as práticas e os marcos regulatórios e manifestou apoio para que o Brasil inicie o processo de adesão. Em troca, o chefe de Estado norte-americano pediu que o Brasil abra mão do status especial nas negociações da OMC. “De maneira proporcional ao seu status de líder global, o presidente Bolsonaro concordou que o Brasil começará a abrir mão do tratamento especial e diferenciado nas negociações da Organização Mundial do Comércio, em linha com a proposta dos Estados Unidos”, destacou o comunicado conjunto. Comércio e investimentos Os dois presidentes assumiram uma série de compromissos na área comercial. Bolsonaro anunciou que o Brasil importará 750 mil toneladas de trigo dos Estados Unidos por ano com tarifa zero e voltará a comprar carne suína norte-americana. O governo norte-americano mandará uma missão técnica ao Brasil para analisar a possibilidade de que as exportações de carne bovina do Brasil para os Estados Unidos sejam retomadas. Trump e Bolsonaro negociarão um acordo de reconhecimento mútuo sobre operadores econômicos autorizados, o que permitirá a redução de custo para as empresas dos dois países. Os dois presidentes concordaram em construir uma parceria para aumentar empregos e reduzir entraves ao comércio e aos investimentos, aprimorando o trabalho da Comissão de Relações Econômicas e Comerciais Brasil–Estados Unidos. Além disso, Trump e Bolsonaro anunciaram uma nova fase do Fórum de Altos Executivos Brasil–Estados Unidos e a criação de um fundo de investimento de US$ 100 milhões para preservar a biodiversidade e estimular investimentos sustentáveis na Floresta Amazônica. Eles também concordaram em estabelecer um fórum bilateral de energia para facilitar o comércio e os investimentos relacionados ao setor energético.

Estudo vai analisar alimentação e nutrição de crianças no Brasil

access_time18/03/2019 09:19

A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) inicia nesta segunda-feira (18) a primeira etapa do Estudo Nacional de Alimentação e Nutrição Infantil (Enani). O estudo é voltado para crianças de até cinco anos de idade e tem o apoio do Ministério da Saúde e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). A coleta de dados vai até dezembro próximo, com a divulgação dos resultados a partir de fevereiro de 2020. A primeira fase do estudo, inédito no Brasil com a abrangência e o detalhamento propostos em âmbito nacional, vai percorrer 123 municípios de todas as regiões do país. O objetivo é coletar informações de cerca de 15 mil domicílios, o que pode significar obter informações de até 17 mil crianças menores de cinco anos de idade. Os resultados do “censo de nutrição infantil” permitirão ao Ministério da Saúde, por meio da Coordenação Nacional de Alimentação e Nutrição, formular políticas públicas baseadas em evidências voltadas para as crianças brasileiras na faixa etária abaixo de cinco anos. Metas Os primeiros estados a serem visitados são Rio de Janeiro, Bahia, Espírito Santo e Rio Grande do Sul, totalizando 23 municípios. São eles: Rio de Janeiro, Niterói, São Gonçalo, Duque de Caxias e Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro; Serra e Vitória, no Espírito Santo; Camaçari, Feira de Santana, Juazeiro, Lauro de Freitas, Salvador e Simões Filho, na Bahia; Alvorada, Canoas, Caxias do Sul, Gravataí, Novo Hamburgo, Porto Alegre, Rio Grande, São Leopoldo, Sapucaia do Sul e Viamão, no Rio Grande do Sul. O coordenador nacional do Enani, Gilberto Kac, do Instituto de Nutrição José de Castro da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), disse que o estudo tem três metas. A primeira é mapear deficiências de micronutrientes (vitaminas e minerais) entre as crianças com menos de cinco anos, em termos de alimentação e nutrição. “Esse é o primeiro aspecto inédito do estudo. A gente vai medir sangue de crianças entre seis e 59 meses e vamos dosar uma série de marcadores que jamais foram estudados no Brasil com essa magnitude”, disse. Alimentação As crianças menores de seis meses serão estudadas também, mas não terão o sangue coletado. O estudo conseguirá mapear o estado nutricional bioquímico de crianças entre seis meses e 59 meses. “Esse é o grande objetivo, talvez o principal”, afirmou Kac. O trabalho vai medir também a alimentação das crianças abaixo de 5 anos de idade. Para isso, será usada uma técnica chamada “recordatório de 24 horas”, que verifica o que a criança comeu nas últimas 24 horas. Foi desenvolvido um aplicativo específico para esse estudo. A pesquisa toda é feita em um tablet. Há um questionário geral sobre uma série de assuntos, que englobam desde questões socioeconômicas até a história reprodutiva e desenvolvimento infantil. Aleitamento  Juntamente com a dieta das últimas 24 horas, será mapeado o perfil sobre o aleitamento materno no Brasil. Kac disse que os dados existentes até agora no país serão atualizados. As equipes vão recolher dados nacionais sobre aleitamento materno exclusivo e complementar, consumo de ultraprocessados, doação de leite materno e bancos de leite, amamentação cruzada (quando uma mãe amamenta o filho de outra mulher). “Esse é o segundo grande objetivo”, afirmou. O terceiro objetivo é o mapeamento do estado nutricional antropométrico (conjunto de técnicas utilizadas para medir o corpo humano ou suas partes) que, no caso, inclui medir o peso e a altura das crianças e das mães. Isso permite avaliar o estado nutricional infantil, de modo a confirmar se a desnutrição continua diminuindo no Brasil e informar como está o sobrepeso e a obesidade nas crianças menores de 5 anos. “Tem crescido muito esse excesso de peso e a obesidade, que é um grau mais elevado”, disse o coordenador. Encaminhamento Serão investigados ainda a insegurança alimentar, habilidade culinária doméstica e alimentação saudável. “É um estudo bastante complexo e completo, que a gente está planejando há um ano e meio”, disse Kac. A coleta de dados para o Enani será feita por 342 equipes no país, sob a coordenação da Sociedade para o Desenvolvimento da Pesquisa Científica (Science), integrada por coordenadores aposentados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A coleta de sangue será coordenada pelo laboratório Diagnósticos Brasil, com capilaridade nacional. São parceiros da UFRJ no censo a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), a Universidade Federal Fluminense (UFF) e a Fundação Instituto Oswaldo Cruz (Fiocruz). Os resultados serão divulgados no próximo ano, mas, segundo Kac, as famílias poderão ter acesso às conclusões do estudo referentes ao exame de sangue e ao estado nutricional de antropometria pelo correio ou pela internet. De acordo com o coordenador do estudo, se houver algum problema relevante, a criança será encaminhada a uma unidade básica de saúde.

Secretaria Municipal de Saúde desenvolve Campanha Contra o Tabagismo

access_time15/03/2019 09:29

A Secretaria Municipal de Saúde de Peixoto de Azevedo informa que está à disposição da população o Programa Nacional de Controle do Tabagismo do Ministério da Saúde que desenvolve um tratamento especial para ajudar gratuitamente a todas pessoas que queiram deixar de fumar. Procure a Unidade de Saúde mais próxima e tenha maiores informações. Tabagismo O tabagismo é reconhecido como uma doença crônica causada pela dependência à nicotina presente nos produtos à base de tabaco. No mercado nacional e internacional há uma variedade de produtos derivados de tabaco que podem ser usados de várias formas: fumado/inalado, aspirado, mascado, absorvido pela mucosa oral. Todos contém nicotina, causam dependência e aumentam o risco de contrair doenças crônicas não transmissíveis. No Brasil, a forma predominante do uso do tabaco é o fumado. No Brasil, 428 pessoas morrem por dia por causa da dependência a nicotina. 56,9 bilhões de reais são perdidos a cada ano devido a despesas médicas e perda de produtividade, e 156.216 mortes anuais poderiam ser evitadas. O maior peso é dado pelo câncer, doença cardíaca e doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). Das mortes anuais causadas pelo uso do tabaco: 34.999 mortes correspondem a doenças cardíacas; 31.120 mortes por DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica); 26.651 por outros cânceres; 23.762 por câncer de pulmão; 17.972 mortes por tabagismo passivo; 10.900 por pneumonia; 10.812 por AVC (acidente vascular cerebral).

Energia elétrica lidera ranking com 455 reclamações no Procon-MT em fevereiro

access_time15/03/2019 07:14

O Procon do Estado de Mato Grosso registrou em fevereiro deste ano 2.510 reclamações, sendo 1.549 via Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor (Sindec) e outras 994 pelo atendimento on-line - www.consumidor.gov.br. O primeiro lugar do ranking segue com a área de “serviços essenciais”, com 920 reclamações. Nessa área, o setor de “energia elétrica” é o mais reclamado, com 455 atendimentos. Em seguida aparecem “água e esgoto", com 231 registros, e “telefonia celular”, com 145 reclamações. O segundo lugar do ranking é ocupado pelo setor de “assuntos financeiros”, com 241 reclamações. As três categorias mais reclamadas são: “banco comercial”, com 72 procedimentos; 54 para “cartão de crédito” e 23 para “cartão de loja” . Já a área de “serviços privados” ocupa o terceiro lugar, com 186 atendimentos: 34 para “TV por assinatura (cabo, satélite, etc)”, 33 para “estabelecimento comercial (supermercado, loja, etc)” e 30 para “escola (pré, 1º, 2° graus e superior)”. Ocupando a quarta posição, a área de “produtos” atingiu 164 reclamações, estando a categoria “combustível automotivo” com 23 atendimentos no total. Em seguida aparecem “telefone (convencional, celular, interfone etc)”, com 14 procedimentos, e “material de escritório / escola (arquivo, borracha, clipes, grampeador, sulfite, caderno, caneta, apontador)”, com 11. “Saúde” ficou na quinta posição do ranking de reclamações com 21 procedimentos, sendo o primeiro assunto o de “plano de saúde regulamentado”, que teve 11 registros, e o “convênio de assistência médica/odontológica” com um registro. Na sexta posição está a área de “habitação” com 14 procedimentos, sendo os mais reclamados: “incorporação” com 11 reclamações; “loteamento” com duas reclamações, e uma para “condomínio”. A área de “alimentos” aparece com o menor montante de reclamações, na sétima posição: dois procedimentos em “doces prontos” e um para “refrigerante”. Para registro de reclamação pela internet Acesse a plataforma www.consumidor.gov.br. Por este canal o consumidor pode registrar sua reclamação sem a necessidade de ir ao Procon, basta ter um e-mail válido. O prazo para resolução é de até dez dias corridos. Caso o problema persista, é recomendado que procure o Procon mais próximo ou Poder Judiciário para atendimento presencial.

MEC anuncia pastora evangélica como braço direito de Vélez

access_time15/03/2019 07:09

Em dois dias, o Ministério da Educação apresentou dois secretários executivos para a pasta. Nesta quinta-feira (14), o ministro, Ricardo Vélez Rodriguez, anunciou em seu Twitter um novo nome para ser seu braço direito: Iolene Lima, pastora evangélica. O anúncio ocorre dois dias depois de Vélez nomear Rubens Barreto da Silva, que vinha para ocupar o lugar de Luíz Antônio Tozi. Além da dança de cadeiras no cargo executivo, desde a segunda-feira (11) a pasta exonerou seis cargos comissionados, evidenciando uma queda de braço entre olavistas e militares no comando da educação. A pastora evangélica recém nomeada atua na Primeira Igreja Batista de São José dos Campos (SP), atualmente conhecida como Igreja da Cidade. Também dirigiu, na cidade do interior de São Paulo, o Colégio Inspire, que segue uma “metodologia de educação por princípios” e apresenta todos os conteúdos programáticos dentro da “cosmovisão bíblica”. Após o anúncio, Iolene agradeceu a nomeação em seu Twitter. “Muito obrigada ministro Ricardo Vélez e meu presidente Jair Bolsonaro”, escreveu. Antes de ser nomeada secretária-executiva, Lima atuava no Ministério dentro da Secretaria de Educação Básica. Na quarta-feira (13) ela acompanhou Vélez Rodríguez durante a visita do titular à cidade de Suzano (SP), onde ocorreu o ataque armado que deixou alunos e duas funcionárias mortas em uma escola estadual. Já em seu discurso de posse, o ministro da Educação exaltou a família, a igreja e os valores tradicionais e afirmou que a pasta ia atuar para “combater o marxismo cultural” na Educação. Ele também é um dos críticos à suposta “ideologia de gênero” nas escolas, que atribui a uma onda global destruidora de valores. Recentemente, declarou que vai dar ênfase à retomada do processo de ensino de valores fundamentais, fundantes da vida cidadã, “tanto no Ensino Infantil, quanto no Ensino Fundamental e por que não continuando no nível universitário”. Uma das apostas de Vélez é a volta da Educação Moral e Cívica, disciplina criada em 1969, durante o período da ditadura militar, e extinta em 1993.

Brasil vai sediar Cúpula do Brics em novembro

access_time13/03/2019 07:51

Pela terceira vez, o Brasil vai sediar uma Cúpula do Brics (grupo que reúne Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), que está confirmada para 13 e 14 de novembro, em Brasília. Líderes e chanceleres dos cinco países participam do encontro. Em 2010, a runião ocorreu em Brasília e, em 2014, em Fortaleza. Sob a presidência rotativa do Brasil, as prioridades do Brics se concentram em acordos de cooperação em ciência, tecnologia e inovação, incentivos para a economia digital, combate aos ilícitos transnacionais e financiamentos para atividades produtivas. Paralelamente,, o Novo Banco de Desenvolvimento (NDB), conhecido como “Banco do Brics”, abrirá até dezembro o escritório regional em São Paulo. O objetivo é financiar projetos de infraestrutura e desenvolvimento sustentável nos países-membros, ficando mais próximo de seus potenciais beneficiários no Brasil. Antes da cúpula em novembro, haverá um encontro prévio em Osaka, no Japão, durante a Cúpula do G20 (que engloba as 20 maiores economias mundiais), em junho. Depois, em julho, os chanceleres do Brics se encontrarão no Rio de Janeiro e, em setembro, em Nova York, durante a reunião da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas. Detalhes A Rússia, Índia, China e África do Sul, os outros quatro integrantes do Brics, foram destino, em 2018, de 30,7% das exportações brasileiras. O valor dos bens comprados por esses países atingiu US$ 73,8 bilhões (contra US$ 56,4 bi em 2017). Desses quatro países, vieram 23,8% das importações nacionais, correspondentes a US$ 43,1 bilhões. O saldo comercial do Brasil com o Brics foi, no ano passado, positivo em US$ 30,7 bilhões (era de US$ 23 bilhões em 2017), equivalente a 52% do superávit comercial brasileiro no ano.