anuncie aqui vermelho
Notícias recentes
Ossada humana é encontrada próximo de serra em Guarantã do Norte

Ossada humana é encontrada próximo de serra em Guarantã do Norte

access_time12/03/2020 09:10

Os ossos foram encontrados, ontem, nas proximidades da Serra do Cachimbo, a acerca de 40 quilômetros

Pré-candidatos podem iniciar financiamento coletivo a partir do dia 15

Pré-candidatos podem iniciar financiamento coletivo a partir do dia 15

access_time14/05/2018 07:32

A partir da próxima terça-feira (15), os pré-candidatos das eleições de 2018 poderão iniciar a propa

Rio de Janeiro é a primeira cidade brasileira a banir canudos plásticos

Rio de Janeiro é a primeira cidade brasileira a banir canudos plásticos

access_time07/07/2018 11:34

O Rio de Janeiro tornou-se a primeira cidade brasileira a banir o uso de canudos de plástico em quio

NEGÓCIOS

Conselho de Meio Ambiente de MT deve votar nesta 4ª projeto que cria portos para transportar grãos pelo Rio Paraguai

access_time25/01/2022 20:41

O Conselho Estadual de Meio Ambiente (Consema) deve analisar nesta quarta-feira (26) um projeto que prevê a criação do porto para o transporte de grãos, insumos e combustíveis pelo Rio Paraguai. Os portos seriam construídos em um trecho de 680 km, de Cáceres até Corumbá (MS). A Secretaria Estadual de Maio Ambiente (Sema) informou por meio de nota que o trecho navegável da hidrovia é de responsabilidade do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama) e da Marinha, e que o impacto ambiental ou questões legais sobre a navegação no rio não cabem ao órgão. (veja a íntegra ao final da reportagem)                                                                                                                                                                                                                    O Consema votará um pedido para licença prévia da Unidade Portuária de Barranco Vermelho.                                                                                                                                                                                                                                   De acordo com a associação, a construção do porto de Cáceres pode gerar alteração no leito do rio e escassez de peixes, o que deveria constar no Estudo de Impactos Ambientais (EIA-Rima) - documento que contém resultados das análises dos pontos favoráveis e negativos dos meios físico, biótico e socioeconômico das localidades. A Associação Sócio Cultural Ambiental Fé e Vida aponta que o relatório do EIA-Rima apresentado à Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema) contém 111 pendências. Entretanto, mesmo assim, o órgão emitiu, em dezembro de 2021, um parecer técnico favorável à licença prévia. Legislação ambiental De acordo com a Associação Fé e Vida, o licenciamento do Porto de Cáceres é objeto de uma Ação Civil Pública do Ministério Público Federal (MPF) do município e foi autorizado pelo Tribunal Regional Federal (TRF). O licenciamento dos portos implicaria no funcionamento da hidrovia, sem a liberação do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama), segundo a associação. Além disso, o porto também contraria a recomendação do Comitê Nacional das Zonas Úmidas (CNZU), ligado ao Ministério do Meio Ambiente, que indica restringir esta parte do rio Paraguai para navegação de grande porte. O revisor do processo da associação afirma que será necessário fazer alterações na margem do rio em diversos pontos, além de obras de dragagem e aprofundamento do leito, dentre outras alterações que iriam modificar o aspecto natural e possivelmente descaracterizá-lo. Os comboios que estão previstos para navegar no rio são compostos por duas barcaças, que medem 140 metros de comprimento por 24 metros de largura. Impactos socioambientais As áreas de influência direta e indireta do empreendimento são habitadas por comunidades tradicionais, indígenas, quilombolas, ribeirinhas e de pescadores profissionais e artesanais. De acordo com a Associação Fé e Vida, no trecho do Rio Paraguai entre Cáceres e Corumbá também haverá impacto na biodiversidade aquática e terrestre. O relatório também aponta que não houve a consulta prévia às comunidades que podem ser afetadas pelo porto, o que segundo a associação, é um requisito obrigatório para a obtenção do licenciamento. Além da consulta, é pré-requisito que as pessoas sejam informadas através de uma audiência pública sobre os impactos do empreendimento. A Sema realizou uma audiência virtual, em 2020, sobre o assunto. Confira a nota da Sema na íntegra: Informamos que o que está sendo licenciado pela Sema é uma unidade portuária, um terminal que é um complexo de armazenagem, localizado em Cáceres. O trecho navegável da hidrovia é de responsabilidade da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ), do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama) e da Marinha. Portanto, o impacto ambiental ou questões legais sobre a navegação no curso do Rio são de competência da União e não cabem à Sema-MT. A Sema utiliza critérios técnicos e legais em todas as análises feitas pelo órgão. Em dezembro de 2020, um relatório elaborado pela Superintendência de Mineração, Indústria e Serviços da Sema apontou pendências de caráter técnico no processo. Essas pendências foram sanadas com a juntada de documentos pelo interessado. Por isso, em dezembro de 2021 foi emitido novo parecer pelo mesmo setor favorável à licença prévia para o empreendimento.   

Empresas em Guarantã, Peixoto, Colíder e Alta Floresta estão com mais de 220 vagas de empregos disponíveis

access_time25/01/2022 13:28

As 227 vagas estão sendo ofertadas por empresas de diversos segmentos para profissionais que moram ou queiram morar nas regiões de Guarantã do Norte, Peixoto de Azevedo, Colíder e Alta Floresta, que são consideradas cidades polos. Alta Floresta tem a maior oferta, com 113 vagas, para consultor de vendas, representante comercial, agente de atendimento, instrutor de ensino, técnico de documentação e informação, supervisor de vendas, operador de máquinas, supervisor operacional, executivo de vendas, vendedor, vigilante, dentre outras. Em Guarantã do Norte são 31 oportunidades para estoquista, gerente de vendas, consultor técnico, executivo de vendas, representante técnico de vendas, vendedor interno com salários passam de R$ 2,5 mil. No município de Peixoto as empresas buscam contratar 28 para vagas de jovem aprendiz, mecânico, consultor técnico, vendedor externo, agente comercial, vendedor, assistente de vendas. Para alguns cargos, o ganho mensal pode ser negociado direto com o empregador. Já em Colíder são mais 54 vagas para oficial de manutenção predial, representante comercial, agente de logística, estagiário, operador de sistemas de água. Os interessados podem buscar atendimento na unidade do SINE.

MT deve produzir mais de 80 milhões de toneladas de grãos, aponta estimativa

access_time12/01/2022 12:11

Mato Grosso deve produzir 82 milhões de toneladas de grãos nesta safra, conforme o quarto levantamento da safra de grãos realizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). A estimativa é de resultados melhores que os da safra passada, nas principais culturas produzidas aqui no estado. Estima-se que o Brasil produza mais de 284 milhões de toneladas de grãos, 12% a mais que na safra anterior. Em Mato Grosso, o aumento também será de 12% em relação a temporada passada, caso o estado produza mais de 80 milhões de toneladas. De acordo com a estimativa da Conab, Mato Grosso pode ter uma participação de 28,8% na produção nacional.                                                                                                                                                                                                       No estado, a área de cultivo que deve ser 5% maior este ano, e as boas condições do tempo da safra de soja são responsáveis pelas perspectivas positivas. Maior produtor de milho do país, o estado deve ter crescimento de 20% da safra neste ano. Já na produção do girassol, o aumento deve ser de 24%. A expectativa é produzir 14 milhões de toneladas.  

Inflação fecha 2021 em 10,06%, a maior desde 2015 e bem acima da meta do BC... - Veja mais em https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2022/01/11/inflacao-dezembro-de-2021-ipca-ibge.htm?cmpid=copiaecola

access_time11/01/2022 09:23

O IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), a inflação oficial no país, fechou 2021 a 10,06% Esse é o maior nível para um ano desde 2015, quando foi de 10,67%. Em 2020, a inflação foi de 4,52%.                                                                                                                                                                                                                                                                        O resultado ficou bem acima do centro da meta estabelecida pelo BC (Banco Central) para o ano passado, que era de 3,75%, com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos, ou seja, podendo variar entre 2,25% e 5,25%.                                                                                                                                                                                                Em dezembro, a inflação foi de 0,73%, abaixo da taxa de 0,95% registrada em novembro.                                                                                                                                                            Os dados foram divulgados hoje pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e se referem às famílias com rendimento de um a 40 salários mínimos.                                                                                                                                                                                              Alta dos combustíveis                                                                                                              O resultado da inflação de 2021 foi influenciado principalmente pelo grupo de transportes, que apresentou a maior variação (21,03%) e o maior impacto (4,19 pontos percentuais) no acumulado do ano. De acordo com o gerente do IPCA, Pedro Kislanov, a categoria foi afetada principalmente pelos combustíveis.                                                                                                                                                                                                                                      Com os sucessivos reajustes nas bombas, a gasolina acumulou alta de 47,49% em 2021. Já o etanol subiu 62,23% e foi influenciado também pela produção de açúcar .                                                                       Pedro Kislanov, gerente do IPCA.                                                                                                                                                                                                         O preço dos automóveis novos (16,16%) e usados (15,05%) também foi destaque. Segundo Kislanov, o aumento é explicado pelo desarranjo na cadeia produtiva do setor, com atrasos nas entregas de peças e até dos próprios veículos..                                                                                                                                                                                                                          Conta de luz                                                                                                                               A inflação do ano passado também foi puxada pelo grupo habitação (13,05%). De acordo com o IBGE, a alta foi influenciada pelo aumento da energia elétrica (21,21%).                                                                                                                                                                              Desde setembro de 2021, está em vigor a bandeira tarifária escassez hídrica, que acrescenta R$ 14,20 na conta de luz a cada 100 kWh consumidos.                                                                                                                                                                                                                    Já o gás de botijão (36,99%) subiu todos os meses de 2021 e teve o segundo maior impacto no grupo.

MT foi responsável por 25% das exportações de soja do país

access_time07/01/2022 12:08

Além disso, foi o estado que mais exportou se comparado a outras unidades federativas. Mato Grosso foi responsável por 25% do volume total de exportações do Brasil em 2021. Além disso, foi o que mais exportou se comparado com outros estados. De acordo com a Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec), foram mais de 86 milhões de toneladas de soja exportada pelo Brasil em 2021. O volume é 5% maior do que 2020 e superou o recorde de 2018, que era de 83 milhões de toneladas. A China foi o país que mais comprou, foi quase 60 milhões de toneladas. De acordo com o analista de mercado Rodrigo Santos, mesmo com as chuvas tardias, o estado conseguiu manter a média de exportações. "Apesar de na última safra a gente ter o período de chuvas um pouco tardio, o país conseguiu manter a produtividade dentro daquilo que era esperado e o mercado externo absorveu toda essa produção e fez com que a gente batesse os recordes de exportação", disse. Em contrapartida, a exportação de milho foi a menor desde 2012. No ano passado foram 20 milhões de toneladas. Em 2019, o número foi de 19 milhões. Mesmo assim, 60% do que o país exportou, saiu de Mato Grosso. Segundo o analista, a justificativa são os problemas climáticos em todo o país no período de plantação do milho. "No caso do milho, a gente teve um problema climático severo durante um período importante da produção com falta de chuva. Isso fez com que o volume fosse quase 20% menor de produção e teve o impacto na importação também", contou. Outro fator, está em relação as indústrias de etanol motivaram o aumento da compra do milho no mercado interno, segundo Rodrigo.

Prefeito Matupaense autorizou rateio do FUNDEB em Matupá

access_time03/01/2022 17:32

No último dia 30 de dezembro de 2021 o Prefeito de Matupá, Bruno Mena, usou suas redes sociais para anunciar o pagamento de R$ 2,4 milhões de rateio das sobras do FUNDEB – Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb). Em suas palavras, Bruno Mena destacou que estão sendo contemplados cerca de 180 servidores da educação que estão dentro das normas e critérios dos 70%. O referido rateio está amparado também pelo Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso – TCE/MT. “Trata-se de um direito assegurado à categoria dos trabalhadores da educação. Através do Decreto 3.916/2021 estou determinando que o rateio das sobras do FUNDEB seja feito, rateio este que nada mais é que o saldo financeiro restante após deduzidas todas as despesas com o pagamento de pessoal, cuja aplicação mínima deve ser de 70%. Fico feliz em cumprir meu papel e honrar com segurança jurídica este compromisso. Não tenho dúvidas de que esse volume de recursos financeiros aquecerá a economia local e por sua vez será muito bem utilizado pelos nossos professores Matupaenses”, disse o Prefeito Bruno Mena. Para o gestor municipal, o pagamento do rateio simboliza o reconhecimento do trabalho desempenhado pelos profissionais da educação que atuam com muita responsabilidade para a evolução do processo ensino-aprendizagem e uma educação mais atrativa e inclusiva nas unidades escolares do cidade e do campo.

Sinop (MT) está entre as 10 cidades com passagens aéreas mais caras do Brasil

access_time22/12/2021 10:30

Os preços das passagens aéreas de Sinop, no norte do estado, estão entre os mais caros do país, conforme dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O estudo levou em consideração os impactos causados pela pandemia da covid-19. Entre as cidades pesquisadas, a capital do nortão ficou em 10° lugar dos municípios menos acessíveis em termos de preço de passagem. Em outubro desde ano, segundo dados divulgados pela Agência Nacional de Aviação (Anac), o Aeroporto Municipal Presidente João Batista Figueiredo registrou o segundo maior movimento de passageiros em aeroportos de Mato Grosso em 2021. A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico de Sinop apontou que de janeiro a setembro deste ano foram registrados mais de 113 mil embarques e desembarques no município, o que representa um aumento de 36% se comparado com o mesmo período do ano passado, quando foram registrados 83.301 operações. O terminal aeroviário de Sinop é o quinto com maior movimento dentro da região centro-oeste, fica atrás dos aeroportos de Brasília, Várzea Grande, Goiânia e Campo Grande. Duas companhias aéreas atuam em Sinop atualmente com operações diárias de voos com até 189 passageiros. Desde dezembro de 2019, o aeroporto, que era de responsabilidade da prefeitura, passou a ser administrado por uma empresa privada que ganhou um leilão com proposta de R$ 40 milhões para gerir o local pelos próximos 30 anos.

Produtor rural poderá regularizar cadastro ambiental pela internet

access_time22/12/2021 10:22

Produtores rurais poderão aderir, de forma digital, a uma proposta de regularização ambiental e passar a ser monitorados a distância no cumprimento das exigências do Código Florestal Brasileiro. Isso será possível por meio do Módulo de Regularização Ambiental do Sistema de Cadastro Ambiental Rural (Sicar), lançado na terça-feira (21) pelo Serviço Florestal Brasileiro, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Por meio da ferramenta, o produtor rural declarará de que forma cumprirá as normas ambientais: por meio da recomposição da vegetação nativa, da compensação de reservas legais ou da conversão de sanções administrativas emitidas até 2008. Com base na opção escolhida, o Módulo de Regularização Ambiental (MRA) encaminhará uma proposta de regularização ambiental, que deverá ser apresentada ao órgão ambiental competente para a assinatura dos Termos de Compromissos. Tecnologia de sensoriamento remoto Com a adesão do produtor formalizada, o MRA passará a monitorar o cumprimento das declarações por meio da tecnologia de sensoriamento remoto. O produtor terá auxílio da plataforma WebAmbiente, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), que fornece orientações técnicas e estratégias para a adesão ao plano de regularização ambiental, como a escolha de variedades de árvores para recompor a vegetação. “Nos encontramos em um momento decisivo da implementação desta lei [do Código Florestal] e precisaremos de união entre todos os elos para seguir um caminho de bom senso e de equilíbrio garantindo que os desafios sociais, econômicos e ambientais sejam abordados de forma integrada, assim como a legislação prevê”, destacou a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, no lançamento da ferramenta. Também presente à cerimônia, o ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, disse que a iniciativa é importante para mostrar o compromisso dos produtores rurais com o meio ambiente. “É uma ferramenta importante para darmos mais um passo na direção de mostrar que o produtor rural está preocupado com a sua regularização e compensação de áreas e faz isso de forma muito eficiente”, declarou. Interesse Instituído pelo Código Florestal Brasileiro, em 2012, o Cadastro Ambiental Rural (CAR) atualmente registra mais de 7,7 milhões de propriedades rurais. Segundo o diretor de Regularização Ambiental do Serviço Florestal, João Adrien, 58% dos produtores que aderiram ao Cadastro Ambiental Rural manifestaram interesse em entrar no PRA. Em maio deste ano, o Serviço Florestal lançou a ferramenta da Análise Dinamizada do CAR, para que os estados possam analisar e qualificar as bases locais de cadastros de forma mais rápida e segura. Os cadastros inscritos no Sistema de Cadastro Ambiental Rural passaram a ser analisados por lotes, em vez de serem examinados individualmente pelas equipes dos órgãos ambientais estaduais.

Mais de mil pessoas acompanharam audiência pública sobre a 1ª Ferrovia Estadual

access_time15/12/2021 10:33

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) e a empresa Rumo Logística apresentaram o Estudo e Relatório de Impacto Ambiental (EIA/Rima) do projeto da Primeira Ferrovia Estadual de Mato Grosso, durante audiência pública realizada na última segunda-feira (13/12/21). O projeto prevê ligar por trilhos as cidades de Rondonópolis e Lucas do Rio Verde. A realização da consulta pública à sociedade é uma etapa necessária para o licenciamento ambiental da obra. A Secretária Adjunta de Licenciamento Ambiental e Recursos Hídricos da Sema-MT, Lilian Ferreira dos Santos, destacou que um empreendimento deve promover estudos para aliar a preservação ambiental e o desenvolvimento. “Mais de 62% do nosso território está preservado e nós temos uma grande preocupação de que cada empreendimento que se instala aqui, e que pretende se instalar em Mato Grosso, possa contribuir com o meio ambiente", afirma. Na ocasião, os estudos apresentados mostram que a viabilidade socioambiental do empreendimento passa por critérios técnicos como a avaliação dos impactos, medidas e programas para evitar, minimizar e compensar impactos negativos e potencializar os positivos, além de alternativas de localização do empreendimento, e análise de riscos.   O empreendimento prevê obras complementares, que são os diversos serviços de apoio necessários à implantação da ferrovia e proteção da fauna silvestre, como trechos para passagem de fauna, passagem de gado, estradas de serviço, entre outras medidas. Também está prevista a recomposição de áreas degradadas.  O evento aconteceu em Cuiabá com transmissão ao vivo pelo canal do YouTube da Sema-MT. Participaram da audiência representantes da Sema-MT, Assembleia Legislativa e da empresa Rumo Logística. A transmissão foi acompanhada pela internet por 1.190 pessoas, além dos que participaram presencialmente em nove cidades: Lucas do Rio Verde, Campo Verde, Santa Rita do Trivelato, Planalto da Serra, Jaciara, Nova Mutum, Rondonópolis e Primavera do Leste. Foram respondidas ao vivo questionamentos tanto dos participantes presenciais, quanto os enviados antecipadamente pela internet.  A proposta prevê um corredor logístico que ligará os municípios de Rondonópolis, Lucas do Rio Verde e Cuiabá por meio de uma ferrovia. De acordo com a Gerente de Gestão Integrada de Saúde, Meio Ambiente e Segurança dos Projetos de Expansão da empresa Rumo, Stefani Age, a proposta visa sustentabilidade, geração de renda para a região, desenvolvimento de empregos diretos e indiretos, e reflexos positivos para a população local. A Gerente da Rumo ressaltou ainda a dinâmica da economia que o projeto traz para a região tendo contratação e capacitação da mão de obra local, geração de empregos indiretos e diretos, aumento do recolhimento dos impostos e uma opção mais barata de frete. O projeto influencia ainda na redução de acidentes rodoviários e na redução de emissão de CO2.  De acordo com a Gerente Executiva da Gestão Integrada de Saúde, Meio Ambiente e Segurança da Rumo, Renata Ramalho, outra vantagens é que haverá uma movimentação da economia, tanto na época de implantação da obra, quanto depois na operação da ferrovia. "E um dos grandes benefícios é que a gente vai chegar com um transporte muito mais sustentável”. O processo está disponível para consulta pública até o dia 13 de janeiro e os estudos ambientais que foram apresentados na audiência podem ser acessados CLICANDO AQUI. Em até 30 dias após o evento é possível enviar questionamentos por meio do e-mail: audienciapublica@rumolog.com. *Com orientação de Lorena Bruschi

China retira o embargo de carne bovina do Brasil, diz Ministério da Agricultura

access_time15/12/2021 10:30

A China retirou o embargo à carne brasileira que vigorava desde o dia 4 de setembro, informou o Ministério da Agricultura nesta quarta-feira (15). "Com isso, a certificação e o embarque da proteína animal para a China serão normalizados e podem ser retomados a partir de hoje", disse o governo, em nota. A China é o maior comprador da carne brasileira. Em setembro, as vendas para o país asiático foram suspensas após dois casos atípicos de vaca louca terem sido notificados em Minas Gerais e Mato Grosso, A medida atendeu a um protocolo sanitário firmado com a China, que prevê interrupção do comércio em caso de identificação da doença. A decisão de retomada, por outro lado, dependia da China, que manteve o veto por 3 meses mesmo após a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) ter informado que as ocorrências não representam risco para a cadeia de produção bovina brasileira. Principal mercado A China é o principal mercado da carne bovina brasileira e compra quase metade das cerca de 2 milhões toneladas que o país exporta. Por conta da suspensão, as exportações totais de carne do Brasil caíram 43% em outubro, em relação a igual mês de 2020, e mais 47% em novembro, na mesma base de comparação, segundo a Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo). Com o embargo, o valor do boi caiu no país – mas o preço da carne não diminuiu nas prateleiras dos mercados.