Kurupí
Notícias recentes
Casal menor de idade é apreendido suspeito de tráfico de drogas em Peixoto de Azevedo

Casal menor de idade é apreendido suspeito de tráfico de drogas em Peixoto de Azevedo

access_time12/05/2018 10:14

Casal menor de idade foi apreendido suspeito de tráfico de drogas nesta sexta-feira (11), em uma res

Taques participa de reunião política, mas não confirma reeleição

Taques participa de reunião política, mas não confirma reeleição

access_time30/05/2018 19:53

O governador Pedro Taques (PSDB) se reuniu na noite de terça-feira (29) com dirigentes partidários d

China suspende compra de produtos agrícolas dos Estados Unidos

China suspende compra de produtos agrícolas dos Estados Unidos

access_time06/08/2019 09:40

O Ministério do Comércio da China anunciou que empresas do país suspenderam a compra de produtos agr

POLÍTICA

Bolsonaro lidera corrida presidencial em 1º e 2º turnos; Doria e Alckmin têm mesmo patamar, diz pesquisa

access_time05/06/2018 09:23

O pré-candidato do PSL à Presidência, deputado Jair Bolsonaro (RJ), lidera a disputa presidencial com apoio que varia de 21% a 25% dependendo do cenário, tendo como rival mais próximo o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) com 12%, enquanto os tucanos Geraldo Alckmin e João Doria têm empate técnico com 7% e 6%, de acordo com pesquisa DataPoder360 divulgada nesta terça-feira. Bolsonaro também vence todos os adversários nas simulações de segundo turno, com ao menos 10 pontos de vantagem contra todos os concorrentes. O deputado venceria a ex-ministra Marina Silva (Rede) por 35% a 25% dos votos, derrotaria Ciro por 34% a 21 % e também venceria o tucano Alckmin (31 a 20) e o petista Fernando Haddad (35 a 20), segundo levantamento feito por telefone --o que gera controvérsia entre os grandes institutos de pesquisa--, publicado no site Poder360. O DataPoder360, divisão de pesquisas do portal de notícias Poder360, entrevistou 10.500 pessoas em 349 cidades das cinco regiões do país, de 25 a 31 de maio. O levantamento tem margem de erro de 1,8 ponto percentual, segundo o portal. Na pesquisa, ex-prefeito de São Paulo João Doria, que atualmente postula ao governo paulista, foi testado pela primeira vez este ano em um levantamento sobre o Planalto, ante expectativas de setores do PSDB de que poderia ter resultado melhor que Alckmin, o pré-candidato oficial do partido, mas isso não se confirmou. Em cenários separados, os dois tucanos ficaram em empate técnico, Doria com 6% e Alckmin com 6% ou 7%, dependendo do cenário, segundo o levantamento. A pesquisa confirmou liderança de Bolsonaro no primeiro turno com ao menos 10 pontos de vantagem sobre o segundo colocado, que foi o pedetisa Ciro Gomes nos três cenários pesquisados. O levantamento não incluiu o nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que atualmente está preso condenado em 2ª instância no âmbito da operação Lava Jato, o que deve inviabilizar sua candidatura devido à Lei da Ficha Limpa. Em pesquisas que incluem seu nome, Lula tem aparecido na primeira colocação, à frente de Bolsonaro. Incluído como representante do PT na disputa, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad recebeu entre 6% e 8% de apoio, enquanto a ex-ministra Marina Silva ficou com entre 6% e 7%. O senador Álvaro Dias (Podemos) registrou apoio entre 5% e 6%, a deputada estadual Manuela D'Ávila (PCdoB) ficou com 2% e quatro candidatos ficaram com 1%: o ex-ministro Henrique Meirelles (MDB), o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), o empresário Flávio Rocha (PRB) e o ex-presidente Fernando Collor (PTC). O percentual somado das pessoas que dizem escolher votar em branco, nulo ou que ainda não sabem em quem votar foi de 36% a 40%, de acordo com o Poder360.

Câmara pode votar nesta semana projeto que regulamenta transporte de cargas

access_time04/06/2018 07:58

A Câmara dos Deputados deve analisar nesta semana um projeto que regulamenta o transporte rodoviário de cargas. Considerado um novo marco para a categoria, o projeto é uma demanda dos caminhoneiros ao governo federal para por fim à greve iniciada em 21 de maio contra a alta do preço do óleo diesel. Segundo o relator, Nelson Marquezelli (PTB-SP), o objetivo do projeto é dar mais "segurança jurídica" para o setor. VEJA AS MEDIDAS ANUNCIADAS PELO GOVERNO Nesta semana, também deverão ser instaladas no Congresso comissões mistas, formadas por deputados e senadores, para analisar três medidas provisórias editadas pelo presidente Michel Temer após o acordo com os caminhoneiros. No Senado, pode ser votada proposta que altera as regras para o local do recolhimento do imposto que incide sobre aplicativos de transporte, como Uber e Cabify. Câmara Entre as propostas que constam da pauta da Câmara estão: Transporte de cargas: no texto, são estabelecidas regras para o transporte de carga feito por autônomos, empresas e cooperativas. O projeto ainda estabelece multa para a inadimplência do pagamento do frete e endurece as penas para envolvimento em roubo, furtos, e assaltos de mercadorias. Torna ainda obrigatória a inspeção de segurança veicular de todos os veículos de carga, com maior frequência quanto mais velho o veículo. Pontos na CNH: outro projeto que está na pauta de votação aumenta o número de pontos para que o motorista infrator tenha a carteira Nacional de Habilitação (CNH) suspensa. Crise humanitária: também poderá ser votada uma medida provisória que disciplina ações de assistência emergencial para acolhimento de estrangeiros que se refugiam no Brasil em razão de crises humanitárias em seus países de origem, como no caso dos venezuelanos. No entanto, foi incluída uma emenda que altera as regras sobre licenciamento ambiental em terras indígenas. O texto fixa prazo de 30 dias para que a Fundação Nacional do Índio (Funai) se manifeste sobre a realização de estudos ambientais nas terras indígenas. Se isso não acontecer, o empreendedor poderá fazer o estudo dos impactos da obra por conta própria. Distrato: A proposta traz critérios mais claros sobre a devolução das prestações pagas em caso de desistência de um contrato de compra e venda de imóvel. Duplicata eletrônica: Projeto pretende regulamentar o mercado de duplicatas, que são um título de crédito que funciona como prova de um contrato de compra e venda entre as partes. As informações das duplicatas deverão ser obrigatoriamente registradas em um sistema eletrônico. O projeto dispensa o protesto, hoje feito em cartórios. Senado No Senado, estão entre as propostas que podem ser votadas nesta semana: ISS de aplicativos de transporte - Projeto que altera as regras para o recolhimento do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS) que incide sobre aplicativos de transporte, como Uber e Cabify. O objetivo da proposta é garantir que o dinheiro arrecadado com o imposto vá para a o município em que o usuário embarcou no transporte e não somente para as cidades em que a empresa do aplicativo possui sede. Contrabando - Também está na pauta o projeto que traz medidas para reforçar a prevenção e repressão ao contrabando, ao descaminho, ao furto, ao roubo e à receptação de mercadorias. O projeto prevê a punição do motorista que usar o veículo para a prática de receptação, descaminho e contrabando de mercadorias com a cassação da habilitação ou proibição de obtenção do documento pelo prazo de cinco anos. Comissões Serão instaladas nesta semana as comissões mistas para analisar as medidas provisórias editadas pelo governo federal como parte do acordo com os caminhoneiros. MP 831: reserva 30% do frete contratado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para cooperativas de transporte autônomo, sindicatos e associações de autônomos. Segundo a MP, os transportadores serão contratados sem licitação e o preço do frete não poderá exceder o praticado pela Conab. MP 832: institui a Política de Preços Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas, para promover condições razoáveis à contratação por fretes no território nacional. Segundo o texto, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) publicará duas tabelas por ano (dias 20 de janeiro e 20 de julho) com os preços mínimos dos fretes por quilômetro rodado, levando em conta o tipo de carga e, prioritariamente, os custos do óleo diesel e dos pedágios. MP 833: Essa proposta estende para as rodovias estaduais, distritais e municipais a dispensa de pagamento de pedágio do eixo suspenso de caminhões, uma das principais reivindicações dos grevistas. Atualmente, o benefício é válido somente para as rodovias federais. Segundo a MP, o caminhoneiro que circular com os eixos indevidamente suspensos, para não pagar o pedágio, poderá receber multa de natureza grave.

Carlesse e Vicentinho vão disputar o governo do Tocantins no segundo turno

access_time03/06/2018 20:24

O segundo turno da eleição suplementar para governador do Tocantins será entre Mauro Carlesse (PHS) e Vicentinho Alves (PR). Carlesse ficou em primeiro lugar com 30% dos votos válidos e Vicentinho teve 22%. O segundo turno será no dia 24 de junho. Os candidatos podem retomar as campanhas a partir desta segunda-feira (4). São permitidos comícios, carreatas, caminhadas, carros de som e distribuição de santinhos. A eleição suplementar foi convocada após a cassação do ex-governador Marcelo Miranda (MDB) e da vice dele, Cláudia Lelis (PV). Os dois foram considerados culpados por captação ilegal de recursos para a campanha eleitoral de 2014 pelo Tribunal Superior Eleitoral. O vencedor da eleição suplementar vai ficar no cargo até 31 de dezembro e pode concorrer à reeleição em outubro. Carlesse e Vicentinho vão disputar o segundo turno (Foto: Infográfico: Alexandre Mauro/G1) Reação dos candidatos O governador interino, Mauro Carlesse, acompanhou a apuração em Gurupi. "Eu fico muito satisfeito de estar no segundo turno e nós vamos trabalhar. Vamos juntar todo mundo e ganhar também este segundo turno, com fé em Deus. E que a população, pela estabilidade do estado, continue esse governo que está dando certo", disse ele após saber do resultado. Carlesse acompanhou o resultado de Gurupi (Foto: Débora Ciany/TV Anhanguera) Já o senador Vicentinho Alves (PR) acompanhou a contagem da casa dele em Porto Nacional. "Primeiro agradecer a Deus e a todos que me confiaram. Os líderes políticos, o povo. Foi um segundo lugar muito bem trabalhado por nós. Uma campanha muito rápida para poder chegar com essa votação expressiva. Registro os meus agradecimentos", comentou ele. Vicentinho Alves acompanhou a disputa de Porto Nacional (Foto: Patrício Reis/G1) Votos anulados Os votos de Mário Lúcio Avelar (PSOL) não foram computados pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE). A candidatura dele está sendo questionada na Justiça Eleitoral em função de ele ter deixado o cargo de procurador da república após o prazo previsto no regulamento para as eleições. Disputa apertada A disputa pelo segundo lugar foi voto a voto entre Vicentinho Alves (PR) e o ex-prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PSB). Amastha assumiu a derrota no Twitter antes do fim da apuração, quando o TRE tinha contabilizado 99% das urnas. CarlosFrancoAmastha@AmasthaRompre Obrigado minha gente. Não deu.MUITO longe das expectativas. A velha política ainda domina com muita força o cenário político do nosso estado. Menos de 35% de votos conscientes. Parabéns @marlonreis e @MarioLucio_50 .Vamos reunir o grupo e refletir. 6:04 PM - Jun 3, 2018 356 138 people are talking about this Twitter Ads info and privacy Ocorrências durante a votação Durante a eleição suplementar, 18 pessoas foram presas em todo o estado. As prisões foram nas cidades de Alvorada, Carrasco Bonito, Natividade, Dois Irmãos, Tupirama, Pium, Palmas, Paraíso do Tocantins, Arraias, Cristalândia, Luzinópolis, Aparecida do Rio Negro, Xambioá, Araguaína, Figueirópolis e Miranorte. Vários políticos estão envolvidos nas ocorrências. Entre os suspeitos há quatro vice-prefeitos e dois vereadores. Os casos são de transporte ilegal de eleitores, compra de votos e propaganda irregular no dia da eleição, conhecida como 'boca de urna'. Custo da eleição O Tribunal Regional Eleitoral estima que a organização da eleição fora de época tenha custado R$ 15 milhões aos contribuintes. Além da logística para a distribuição das urnas eletrônicas também foi necessário criar um esquema especial de segurança, com a vinda de militares de outros estados. Mais de 18 mil voluntários participaram do primeiro turno como mesários. Título digital Esta eleição também teve uma novidade. Foi a primeira vez que os Tocantinenses votaram utilizando o aplicativo e-Título. Quem fez o recadastramento biométrico acessou a urna utilizando o celular e não precisou apresentar nenhum outro documento. Não houve registro de filas ou transtornos em função da nova tecnologia. Em todo o estado o movimento foi tranquilo nas seções eleitorais.

Governo cancela gastos públicos e corta benefícios ao exportador para viabilizar diesel mais barato

access_time31/05/2018 11:21

O governo federal informou nesta quinta-feira (31) que decidiu acabar com benefícios para a indústria química, quase eliminar incentivos para exportadores e cancelar parte de gastos de uma série de programas públicos. O objetivo das medidas, que constam de edição extraordinária do "Diário Oficial da União", é viabilizar o desconto de R$ 0,46 por litro do diesel. O abatimento no preço do diesel é parte do acordo firmado pelo governo com caminhoneiros para colocar fim à greve que provocou bloqueios em estradas e desabastecimento em todo o país. O subsídio para o preço do diesel, que custará R$ 9,58 bilhões, tem por objetivo manter, por 60 dias, o desconto de 10% no diesel, anunciado na semana passada pela Petrobras, e que equivale a uma redução de R$ 0,30 no preço do litro do combustível. Depois disso, o preço oscilará mensalmente, segundo acordo fechado com os caminhoneiros. Para viabilizar esses subsídios, o governo está cancelando gastos públicos (veja quais são as áreas ao final desta reportagem). Para conceder o desconto adicional de R$ 0,16 por litro do diesel, completando os R$ 0,46 de abatimento total anunciados, o governo contou com a reoneração da folha de pagamentos, já aprovada pelo Congresso Nacional. Essa medida renderá R$ 830 milhões neste ano. Redução de subsídios Exportadores - O governo quase que eliminou o benefício ao exportador, por meio do chamado Reintegra. Esse programa "devolve" aos empresários uma parte do valor exportado em produtos manufaturados via créditos do PIS e Cofins. Até o fim de maio, essa devolução está fixada em 2% mas, a partir de junho, será reduzida para 0,1% - valor que vigorava até o fim de 2016. O aumento de arrecadação com essa medida será de R$ 2,27 bilhões neste ano. Indústria química - Também está sendo revogado o chamado Regime Especial da Indústria Química (Reiq). O enefício do crédito presumido na exportação está sendo extinto, o que renderá mais R$ 170 milhões aos cofres públicos em 2018. A revogação, porém, só acontecerá dentro de 90 dias, pois há a chamada noventena. Refrigerantes - Outra medida foi a redução de um crédito que havia no Imposto Sobre Produtos Industriais (IPI) dos chamados "concentrados" para refrigerantes. Antes, o crédito era de 20% e passou, com a medida, para para 4%. A medida renderá R$ 740 milhões ao governo. Cancelamento de gastos Do total de R$ 9,5 bilhões, segundo o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, R$ 5,7 billhões virão de uma reserva orçamentária, ou seja, recursos que ainda não tinham destino certo. Esses recursos não estavam destinados para gastos anteriormente porque estavam acima do teto de gastos (regra que limita as despesas à variação da inflação do ano anterior). Já o cancelamento de despesas, anunciado pelo governo para este ano, foi de R$ 3,382 bilhões, segundo informações divulgadas pelo Ministério do Planejamento. Desse valor total, porém, haverá "utilização" de R$ 2,168 bilhões de uma "reserva" que o governo tinha para capitalização de empresas públicas estatais. O cancelamento de gastos de programas públicos, propriamente dito, será de R$ 1,214 bilhão na dotação de 2018. "Esse cancelamento vai se dar na parcela dos recursos que estavam contingenciados, de modo que não teremos de solicitar aos ministérios um novo contingenciamento [bloqueio]", afirmou o secretário de Gestão do Ministério do Planejamento, Gleisson Rubin. Por outro lado, explicou o, "perde-se a perspectiva de que os recursos sejam utilizados ao longo do ano" pelos Ministérios. Ele disse que o cancelamento de gastos alcançou todos os órgãos, mas da forma "mais pulverizada possível para ter o menor impacto possível". "Tentamos diluir essa parcela da forma menos aguda possível para todos os órgãos", declarou. Com o cancelamento desses gastos, o limite para despesas "manejáveis" no orçamento deste ano será menor, de R$ 122,532 bilhões. Para efeito de comparação, no ano passado, o limite para essas despesas que podem ser alteradas pelo governo foi de R$ 124,400 bilhões. Em 2017, com esse limite baixo para padrões históricos, houve falta de recursos para a impressão de passaportes, redução de verba para investimentos federais em infraestrutura e para as fiscalizações contra o trabalho escravo, que chegaram a ser suspensas ou reduzidas. A falta de recursos também atingiu as universidades federais, a área de Ciências e Tecnologia, e ações da Polícia Rodoviária Federal, entre outras. Setores e programas que perdem recursos Veja abaixo quais setores ou programas tiveram parte dos recursos para 2018 cancelados (o detalhamento está no decreto publicado nesta quinta no "Diário Oficial da União"): Gestão de Políticas Públicas de Juventude Simplificação e Integração dos Serviços Públicos (Bem Mais Simples) Políticas de Igualdade e Enfrentamento à Violência contra as Mulheres Fomento à Produção Pesqueira e Aquícola Funcionamento dos Terminais Pesqueiros Públicos de Propriedade e Administração da União Assistência Técnica e Extensão Rural para Agricultura Familiar Desenvolvimento de Assentamentos Rurais Promoção da Educação do Campo Obtenção de Imóveis Rurais para Criação de Assentamentos da Reforma Agrária Implementação da Defesa Agropecuária Fortalecimento do Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária (Suasa) Assistência Técnica e Extensão Rural para o Produtor Rural Apoio ao Desenvolvimento de Agricultura de Baixa Emissão de Carbono – ABC Pesquisa e Desenvolvimento de Tecnologias para a Agropecuária Desenvolvimento do Abastecimento Agroalimentar Equalização de Taxa de Juros em Financiamento à Inovação Tecnológica (Lei nº 10.332, de 2001) Investimento em Empresas Inovadoras Construção do Edifício-Sede do Ministério da Fazenda em Salvador– BA Construção de Edifício-Sede de Unidades do Ministério da Fazenda em Manaus – AM Concessão de bolsas no âmbito do Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Fortalecimento das Instituições de Ensino Superior (Proies) Promoção e Gestão do Comércio Exterior Construção de Infraestrutura nas Unidades Descentralizadas da Suframa Policiamento Ostensivo nas Rodovias e Estradas Federais Construção do Comando de Operações Táticas da Polícia Federal no Distrito Federal Construção da Delegacia de Juiz de Fora/MG Demarcação e Fiscalização de Terras Indígenas e Proteção dos Povos Indígenas Isolados Defesa de Direitos Difusos Força Nacional de Segurança Pública Política Pública sobre Drogas Redes de Cuidados e Reinserção Social de Pessoas e Famílias que Têm Problemas com Álcool e Outras Drogas Levantamentos Geológicos Marinhos Serviços Consulares e de Assistência a Brasileiros no Exterior Promoção Comercial e de Investimentos Concessão de Bolsas de Estudo a Alunos Estrangeiros, no Sistema Educacional Brasileiro Indenizações a Servidores Civis e Militares em Serviço no Exterior Fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS) Transporte Aquaviário - Dragagem de Adequação da Navegabilidade em Portos / Melhoramentos no Canal de Navegação da Hidrovia do Rio Tocantins / Construção de Terminais Fluviais na Região Norte Transporte Terrestre - Construção, manutenção e adequação de 40 estradas Aviação Civil - Regulação e Fiscalização / Formação e Capacitação de Profissionais da Aviação Civil Construção, Reforma e Reaparelhamento de Aeroportos e Aeródromos de Interesse Regional Promoção do Trabalho Decente e Economia Solidária Democracia e Aperfeiçoamento da Gestão Pública Simplificação da Vida da Empresa e do Cidadão: Bem Mais Simples Brasil Esporte, Cidadania e Desenvolvimento Saneamento Básico - Construção e adequação de sistemas de abastecimento de água em comunidades ribeirinhas / Construção e adequação de sistemas públicos de esgotamento sanitário em comunidades ribeirinhas Previdência Social - Educação Previdenciária e Financeira / Serviço de Processamento de Dados de Benefícios Previdenciários e Gestão da Informação Corporativa na Previdência Social Moradia Digna - Apoio à Produção ou Melhoria Habitacional de Interesse Social

Temer sanciona lei da reoneração e edita MPs que reduzem R$ 0,46 no preço do litro do diesel

access_time31/05/2018 08:12

O presidente Michel Temer sancionou nesta quarta-feira (30) a lei que prevê a reoneração da folha de pagamento de setores da economia. Temer vetou o trecho que eliminava a cobrança de PIS-Cofins sobre o óleo diesel até o fim deste ano, conforme aprovado pelo Congresso. A sanção foi publicada em edição extra do "Diário Oficial da União". O veto ao trecho que eliminava a cobrança de PIS-Cofins já era esperado. Isso porque, para substituir o trecho que tratava do tributo, Temer editou três medidas provisórias (MPs) para garantir o acordo com caminhoneiros e reduzir em R$ 0,46 o preço do litro do diesel. As três MPs também foram publicadas na edição extra do "Diário Oficial". Litro do diesel deve ficar R$ 0,46 mais barato a partir de 1º de junho Temer contava com a aprovação da reoneração para ajudar a viabilizar a queda no preço do diesel, um dos itens da proposta de acordo do governo com lideranças dos caminhoneiros para encerrar a greve, que chegou ao décimo dia nesta quarta-feira. Na prática, as três medidas provisórias editadas por Temer garantem: Redução de impostos que incidem sobre o diesel, gerando queda de R$ 0,16 no preço do combustível por litro; Programa de subvenção aos combustíveis para assegurar redução de R$ 0,30 no preço do litro. Medidas provisórias Entre as medidas editadas por Temer está a que abre crédito extraordinário de R$ 9,58 bilhões para compensar a Petrobras e garantir a redução de R$ 0,30 no preço do litro do diesel. Para isso, o governo teve de cortar recursos de diversos ministérios, como o da Saúde e do Planejamento, e cancelar programas de trabalho de diversas pastas: veja o detalhamento dos cortes no "Diário Oficial"(entre as páginas 4 e 40). O governo convocou uma entrevista coletiva no Ministério da Fazenda, para as 10h desta quinta (31), para detalhar as medidas.

Taques participa de reunião política, mas não confirma reeleição

access_time30/05/2018 19:53

O governador Pedro Taques (PSDB) se reuniu na noite de terça-feira (29) com dirigentes partidários de cinco siglas que integram a chamada “Frentinha”. Em pauta, possíveis alianças para as eleições deste ano. O tucano, no entanto, preferiu não falar aos jornalistas sobre sobre seu possível projeto de reeleição. Segundo ele, ainda não há qualquer definição neste sentido. “Isso [reeleição] não foi definido, em absoluto. Tenho que primeiro conversar com os partidos e com o meu partido, o PSDB”, disse Taques, ao deixar a reunião. Compareceram ao encontro indegrantes do Podemos, PRP, PSDC, Avante e PMN. O Pros, que também compõe a Frentinha, não participou da reunião, pois seus membros já se manifestaram contrários à reeleição de Taques. “Tivemos uma conversa muito amistosa, foi um encontro bom. Agradeço os partidos políticos. Estamos conversando sobre o momento que Brasil vive. O que foi feito nesses 3 anos e 5 meses de Governo”, disse. “Estamos conversando muito e agradeço a oportunidade de conversar com pessoas que estão pensando em Mato Grosso”, acrescentou. Conforme apurou a reportagem, durante a reunião, Taques chegou a fazer um balanço de sua gestão, apresentando investimentos realizados, por exemplo, nas áreas de Saúde, Segurança, Infraestrutura e Educação. Falou também sobre o funcionalismo público e a questão salarial, já que, segundo o Poder Executivo, os reajustes concedidos na gestão passada e algumas leis de carreira aprovadas impactaram drasticamente na folha de pagamento. Também estiveram no encontro o secretário de Governo, Domingos Sávio, e os deputados estaduais Max Russi (PSB) e Wilson Santos (PSDB). A Frentinha ainda deverá se reunir com outros pré-candidatos ao Governo, como o ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (DEM), que ainda não definiu se concorrerá ao Paiaguás. Um dos principais objetivos desse grupo é encontrar uma chapa que apoie a reeleição do senador José Medeiros (Podemos).

Secretaria convoca moradores dos Conjuntos Habitacionais

access_time30/05/2018 16:06

A Secretaria Municipal de Assistência Social de Peixoto de Azevedo, através do setor habitacional convoca os moradores dos conjuntos habitacionais Portal do Amazônia no Bairro Nova Esperança, Morar Melhor no Bairro Santa Izabel e Mãe de Deus e São Pedro no Bairro Mãe de Deus. Os proprietários que não retiraram os documentos de instrumento de força de Escritura procurar a Graziela na Secretaria Municipal de Meio Ambiente para dar início ao processo de Titularização que é gratuito e para quem já retirou já pode se dirigir direto ao Cartório.

Prefeitura de Peixoto de Azevedo; Edital 006 2018 Resultado Final

access_time30/05/2018 12:13

A SECRETÁRIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA – SMEC Edital de Seleção nº 006 /2018 – SMEC A SECRETÁRIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA no uso de suas atribuições legais, considerando a LC - 050/98, Lei Complementar nº 16 de 11 de maio de 2011, Lei Municipal nº 378 de dezembro de 2000, para conhecimento dos interessados, TORNA PÚBLICO,  o resultado final do  PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO – PSS, destinado a contratação temporária para exercer os cargos de Professor nível superior, Professor nível médio, Técnico em desenvolvimento Infantil e Técnico em Infraestrutura - Nutrição, nas respectivas funções condizentes ao cargo em conformidade a PORTARIA  Nº. 021/2017/ SMEC /PEIXOTO DE AZEVEDO/MT, que dispões sobre os critérios e procedimentos para o processo de atribuição dos quadros das unidades escolares municipais de ensino e ainda, com a INSTRUÇÃO NORMATIVA № 002/2017/SMEC que rege o processo de atribuição para o exercício letivo de 2018, conforme ANEXO deste. Peixoto de Azevedo – MT, 29 de Maio de 2018. Maria dos Santos Lopes da Silva Secretária Municipal de Educação e Cultura ANEXO – Resultado de Classificação do Seletivo Simplificado – PSS Nº 006/2018 da Secretaria Municipal de Educação Cargo:  Professor (a)/ Licenciatura em Ciências Biológica (ou áreas afins) 24 h - Nível Superior  Escola Municipal “Vida e Esperança” Classificação Candidato(a) Pontuação Situação 1º Luciene de Sousa Uchoa 10 APROVADA Cargo:  Professor (a)/ Nível Médio 24 h - Nível Médio  Sala Anexa Dom Benjamim – Escola Municipal “São Luiz” Classificação Candidato(a) Pontuação Situação NÃO HOUVE INSCRITOS Cargo:  Professor (a)/ Nível Médio 24 h - Nível Médio  Sala Anexa Kopenoty “Aldeia Terena” – Creche Escola Mun. “Irmã Dulce” Classificação Candidato(a) Pontuação Situação 1º Sane Custódio Martins 01 APROVADA Cargo:  Técnico em Desenvolvimento Infantil – TDI 24 h - Nível Médio  Escola Municipal “Cecilia Meireles” Classificação Candidato(a) Pontuação Situação 1º Márcia de Sousa Lima dos Santos 10 APROVADA 2º Adriely Pasa dos Santos 02 CLASSIFICADA Cargo:  Técnico de Infraestrutura – Nutrição 30 h - Nível Médio  Sala Anexa Dom Benjamim – Escola Municipal São Luiz Classificação Candidato(a) Pontuação Situação 1º Gabriele Aparecida Zambarski 02 APROVADA

Convite Audiência Pública dia 05 de Junho de 2018

access_time30/05/2018 12:04

CONVITE DE AUDIÊNCIA PÚBLICA 1º QUADRIMESTRE/2018 Realização: 05/06/2018 A Prefeitura Municipal de Peixoto de Azevedo e Câmara Municipal, no uso de suas atribuições, CONVIDA Vossa Senhoria, que representa esse importante seguimento da Sociedade, para participar da Audiência Pública, que realizar-se-à no Plenário da Câmara Municipal, no dia 05 de Junho do ano em curso, com início previsto às 14h. A REFERIDA AUDIÊNCIA PÚBLICA TERÁ A SEGUINTE PAUTA Análise dos cumprimentos das metas fiscais do 1º Quadrimestre de 2018 - Período de Janeiro a Abril,  do Município de Peixoto de Azevedo - MT. METAS FISCAIS-2018 Salientamos que sua presença será de fundamental importância para o sucesso da referida audiência, a fim de propiciar o pleno desenvolvimento de nossa cidade. E sabedores de vosso comprometimento com a sociedade e na certeza de vosso comparecimento desde já externamos votos de estimas e apreços.

Arábia Saudita criminaliza o assédio sexual

access_time30/05/2018 11:13

A Arábia Saudita adotou nova lei que criminaliza o assédio sexual, anunciou nesta quarta-feira (30) a agência oficial de notícias deste reino muçulmano, a menos de um mês da entrada em vigor de um decreto que autoriza as mulheres a dirigir. O Conselho da Shura, órgão que assessora o governo, aprovou na segunda-feira um projeto que vai impor penas de até cinco anos de prisão e uma multa de 300 mil riyals (US$ 80 mil) para os assediadores. O projeto de lei foi ratificado pelo governo, informou nesta quarta-feira a agência SPA. "É uma adição muito importante à história das regulações no reino", indicou Latifa al-Shaalan, membro do Conselho da Shura, em uma declaração transmitida na terça-feira à noite pelo Ministério da Informação. "Isso conserta uma grande brecha legislativa e é um elemento de dissuasão", acrescentou. A lei, que tem oito artigos, busca "combater o assédio, evitá-lo, punir os autores e proteger as vítimas para salvaguardar a intimidade, dignidade e liberdade pessoal que garante a lei islâmica", afirma a declaração do Conselho. Reformas A histórica suspensão da proibição às mulheres de dirigir está prevista para 24 de junho, no âmbito de uma campanha de liberalização muito midiatizada, impulsionada pelo jovem príncipe herdeiro Mohamed bin Salman, que se define com um reformador. O príncipe também suspendeu a interdição das salas de cinema, autorizando shows mistos e reduzindo os poderes da polícia religiosa, temida durante muito tempo na Arábia Saudita. Mas essas reformas foram manchadas por uma onda de prisões de ativistas pelos direitos humanos, incluindo feministas, desde a semana passada.