Spigreen
Notícias recentes
Prouni 2018: resultado da 2ª chamada está disponível

Prouni 2018: resultado da 2ª chamada está disponível

access_time16/07/2018 09:37

A lista de aprovados na segunda chamada do Programa Universidade para Todos (Prouni) do segundo seme

Vacinação é prorrogada para público de todas as fases da campanha

Vacinação é prorrogada para público de todas as fases da campanha

access_time01/06/2020 10:58

Diante de um baixo índice de vacinação de grupos prioritários, a Campanha Nacional de Vacinação cont

Rotary Club e Casa da Amizade realizam domingo (10) o CHOPP FEST 2018 em Peixoto

Rotary Club e Casa da Amizade realizam domingo (10) o CHOPP FEST 2018 em Peixoto

access_time08/06/2018 12:01

Acontece no próximo domingo (10/06), o CHOPP FEST 2018 em Peixoto de Azevedo.  O evento será real

SAÚDE

Bolsonaro diz que vacinação contra a Covid-19 não será obrigatória

access_time19/10/2020 17:56

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta segunda-feira (19) que a vacinação contra a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, não será obrigatória. Bolsonaro afirmou que cabe ao Ministério da Saúde definir o Programa Nacional de Imunização e que já está decidido que a nova vacina não estará entre as obrigatórias. "Tem uma lei de 1975 que diz que cabe ao Ministério da Saúde o Programa Nacional de Imunização, ali incluídas possíveis vacinas obrigatórias. A vacina contra o Covid — como cabe ao Ministério da Saúde definir esta questão — ela não será obrigatória", disse Bolsonaro durante cerimônia no Palácio do Planalto para apresentação de pesquisa sobre um medicamento. Bolsonaro disse que qualquer vacina precisa ter comprovação científica e ser aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e que não fará isso "a toque de caixa". Segundo o presidente, não se pode, por exemplo, obrigar quem já teve a doença e está imunizado a tomar a vacina. "Então, o governo federal, repito e termino, não obrigará ninguém a tomar esta vacina", afirmou. Recado a Doria Sem citar o nome do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), Bolsonaro disse que quem está propagando que a vacina será obrigatória não está pensando na saúde ou na vida do próximo. "Quem está propagando isso aí, com toda certeza é uma pessoa que pode estar pensando em tudo, menos na saúde ou na vida do próximo", disse o presidente. Na sexta-feira (16), o governador de São Paulo disse que a vacina contra o novo coronavírus será obrigatória no estado, exceto se o cidadão tiver uma orientação médica contrária. Segundo o governador, João Doria, serão adotadas "medidas legais" em relação a quem se recusar. "Em São Paulo, a vacinação será obrigatória, exceto se o cidadão tiver uma orientação ou atestado médico de que não possa tomar a vacina. Adotaremos medidas legais se houver alguma contrariedade nesse sentido. Não é possível em uma pandemia vacinar alguns e não vacinar outros. Enquanto tivermos pessoas não vacinadas em larga escala, teremos a presença do vírus", declarou o governador. Bolsonaro também disse que a pessoa a quem se referia está "levando o terror perante a opinião pública". "Vai obrigar essa pessoa a tomar essa vacina que, inclusive, por parte desta, custa mais de US$ 10? Por outro lado, do nosso lado, custa menos de US$ 4. Não quero acusar ninguém de nada aqui, mas essa pessoa está se arvorando e levando terror perante a opinião pública", disse o presidente. Lei permite obrigatoriedade Em setembro, Bolsonaro já havia afirmado que "ninguém pode obrigar ninguém a tomar vacina". Mas lei assinada pelo próprio Bolsonaro em 6 de fevereiro admite a possibilidade de o governo estabelecer a obrigatoriedade. A lei 13.979 diz que poderá ser adotada para enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do coronavírus “a realização compulsória de vacinação e outras medidas profiláticas”. Na ocasião, a fala de Bolsonaro gerou reações entre médicos, infectologistas e constitucionalistas e na Organização Mundial de Saúde (OMS). Para eles, desestimular a vacinação é inconstitucional e pode trazer graves prejuízos ao combate à pandemia e outras doenças.

Mato Grosso é 5º Estado que mais investiu em saúde pública no país

access_time19/10/2020 17:53

O Estado de Mato Grosso aparece em 5º lugar no ranking nacional de investimentos na saúde pública divulgado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), que considera a atuação da União, dos Estados e Municípios. A colocação se deve ao fato de Mato Grosso ter priorizado investimentos em saúde por habitante no ano de 2019, na ordem de R$ 3,75 por dia e por pessoa – o que equivale a R$ 1.370,68 per capita total por ano. No período analisado pelo Conselho, o Governo do Estado também investiu mais do que a União, cujo valor médio repassado foi na ordem de R$ 378,60 per capita, enquanto a fonte de recursos estaduais chegou ao valor médio per capita de R$ 448,58 por ano. De acordo com o CFM e considerando especificamente o gasto estadual, Mato Grosso está entre os melhores desempenhos e figura com R$ 82,36 a mais do que a média estadual no Brasil, que é de R$ 366,22. “No primeiro ano da atual gestão, foi possível notar que os investimentos na área da Saúde foram reais e palpáveis. Modernizamos grande parte das estruturas que tínhamos e demos início a outros diversos projetos de ampliação, reforma e reestruturação. Acreditamos que, com muito investimento, a Saúde funciona da forma como deve e o cidadão conta com um serviço de qualidade”, disse o secretário estadual de Saúde, Gilberto Figueiredo. O levantamento analisou os dados disponíveis no Sistema Integrado de Planejamento e Orçamento (SIOP), administrado pelo Ministério da Saúde. Investimentos em Saúde Pública De acordo com dados da Superintendência de Obras, Reformas e Manutenções da Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT), somente no período de julho de 2019 a setembro deste ano, o Governo de Mato Grosso já investiu cerca de R$ 40 milhões de reais em unidades regionais de saúde contempladas com reformas, reparos, adequações, modernizações e construções novas. São investimentos iniciados e concluídos pela atual gestão que, em menos de dois anos, modernizou o Hospital Estadual Santa Casa, o Hospital Metropolitano e cinco Hospitais Regionais nas cidades de Sinop, Alta Floresta, Rondonópolis, Peixoto de Azevedo e Cáceres; além dos Escritórios Regionais de Saúde de Alta Floresta, Sinop e Peixoto de Azevedo e do investimento na nova sede do Centro Estadual de Odontologia para Pacientes Especiais (CEOPE), localizado na capital. A SES ainda prevê o investimento de R$ 14,1 milhões na reforma total e ampliação do Hospital Adauto Botelho e de aproximadamente R$ 8 milhões na obra do Hospital Regional de Sorriso, que já estão em execução. O Governo também destinará cerca de R$ 113 milhões para a conclusão e ampliação do Hospital Central, que está em fase de licitação. Per Capita Total Os montantes analisados pelo CFM resultam da soma de recursos de impostos e transferências constitucionais da União a cada uma das unidades federativas e do que é dispensado também pelos Estados e Municípios, com recursos próprios para o pagamento de despesas em Ações e Serviços Públicos de Saúde (ASPS). Essas despesas são voltadas à promoção, proteção e recuperação da saúde e atendem, simultaneamente, aos princípios da Lei Orgânica da Saúde.

Segunda-feira (19): Mato Grosso registra 136.504 casos e 3.732 óbitos por Covid-19

access_time19/10/2020 17:46

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta segunda-feira (19.10), 136.504 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 3.732 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado. Foram notificadas 554 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 136.504 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 14.483 estão em isolamento domiciliar e 117.715 estão recuperados. Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 185 internações em UTIs públicas e 202 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 46,25% para UTIs adulto e em 23% para enfermarias adulto. Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (26.916), Rondonópolis (9.907), Várzea Grande (9.704), Sinop (6.488), Sorriso (6.076), Lucas do Rio Verde (5.817), Tangará da Serra (5.488), Primavera do Leste (4.663), Cáceres (3.382) e Campo Novo do Parecis (2.847). A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link. O documento ainda aponta que um total de 110.457 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 448 amostras em análise laboratorial. Cenário nacional No último domingo (18), o Governo Federal confirmou o total de 5.235.344 casos da Covid-19 no Brasil e 153.905 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 153.675 óbitos e 5.224.362 confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus. Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados de segunda-feira (19). Recomendações Atualmente, não existe vacina para prevenir a infecção pelo novo coronavírus. A melhor maneira de prevenir a infecção é evitar ser exposto ao vírus. Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca do novo coronavírus. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde. O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus. Entre as medidas estão: - Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool; - Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas; - Evitar contato próximo com pessoas doentes; - Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo; - Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Covid-19: governo anuncia resultado de ensaio clínico com nitazoxanida

access_time19/10/2020 17:44

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) concluiu o estudo clínico com o uso do medicamento nitazoxanida em pacientes na fase precoce da covid-19. Neste momento, o ministro Marcos Pontes e pesquisadores apresentam os resultados da pesquisa no Palácio do Planalto. O MCTI iniciou as pesquisas com a nitazoxanida que se basearam em um estudo do Laboratório Nacional de Biociências do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), organização social vinculada ao ministério, que com o uso de inteligência artificial e biologia computacional, iniciou estudos com o reposicionamento de fármacos.

Hospital Estadual Santa Casa começa processo para retomar cirurgias eletivas

access_time14/10/2020 09:26

O Hospital Estadual Santa Casa iniciou o processo para retomada das cirurgias eletivas, com a baixa ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) exclusivos para Covid-19. Na terça-feira (13), a unidade efetuou o desligamento de 10 UTIs específicas para tratamento de pacientes com coronavírus. Com a redução, a unidade passará a contar com 50 leitos de UTI. A medida não irá interferir na prestação de serviço, já que na segunda-feira (12.10), o percentual de ocupação chegou a figurar em 31,6%. O percentual registrado pela Santa Casa foi menor do que a média da ocupação relativa a todo o Mato Grosso, que figura em 54%; a diferença é de 23%. A redução dos leitos já consta do Painel Epidemiológico nº 219 desta terça-feira (13.10). Vale destacar que hoje, já com a redução, a unidade figura com 38% de ocupação das UTIs Covid-19.  “Nosso planejamento prevê uma redução no número de leitos da Santa Casa e a transferência de parte desses leitos para o Hospital Metropolitano. Desta forma, vamos ter leitos suficientes no Hospital Estadual para a retomada das cirurgias eletivas. O Metropolitano seguirá como a principal referência para o atendimento de pacientes com a Covid-19”, explicou o secretário estadual de Saúde, Gilberto Figueiredo. Referência Já o Hospital Metropolitano dispõe de 40 leitos de Terapia Intensiva e 178 leitos clínicos exclusivos para o tratamento da doença, sendo a maior estrutura da Rede Estadual a ser dedicada inteiramente ao atendimento de pacientes com coronavírus. “Estamos trabalhando com responsabilidade para dar celeridade à retomada das cirurgias eletivas em todo o Estado. A ideia é reduzir gradativamente o número de leitos de UTI Covid-19 – conforme as taxas de ocupação – e, assim, conseguir retomar aos poucos as cirurgias eletivas nas nossas unidades”, concluiu Figueiredo.

Covid-19: Banco Mundial aprova US$12 bi para países em desenvolvimento

access_time14/10/2020 09:19

O Banco Mundial informou nessa terça-feira (13) que seu conselho executivo aprovou US$ 12 bilhões em novos fundos para países em desenvolvimento com o objetivo de financiar a compra e distribuição de vacinas para covid-19, assim como testes e tratamentos. O plano de financiamento faz parte de um orçamento de US$ 160 bilhões em recursos totais que a instituição prometeu fornecer aos países em desenvolvimento até junho de 2021 para ajudá-los a combater a pandemia do novo coronavírus. A liberação dos recursos foi anunciada pela primeira vez pela Reuters no fim de setembro. O Banco Mundial informou ainda que o programa de financiamento incluirá apoio técnico aos países destinatários para que possam se preparar para a distribuição de vacinas em larga escala, e que sinalizará às empresas farmacêuticas que haverá forte demanda e amplo financiamento para as vacinas da covid-19 nos países em desenvolvimento.

Testes da vacina chinesa contra a Covid-19 começam em MT

access_time08/10/2020 08:12

A testagem da vacina chinesa contra a Covid-19, identificada como Coronavac, do laboratório Sinovac Life Science, começou na terça-feira (6) em Mato Grosso. O estudo ProfisCOV é conduzido pelo Instituto Butantan e pelo Hospital Universitário Júlio Müller, em Cuiabá, como centro aplicador. A primeira voluntária a receber a dose foi a médica infectologista do HUJM, Giovana Volpato Pazin Feuser. Nesta fase, será disponibilizada somente a voluntários profissionais de saúde, que são mais expostos aos vírus. Esse projeto está sendo executado pelo Instituto Butantan em 16 Centros de Estudos espalhados em sete estados brasileiros, incluindo Mato Grosso, em parceria com o HUJM. Os voluntários para essa fase de avaliação da vacina serão profissionais de saúde que estejam trabalhando na assistência à Covid-19. Inclui médicos, enfermeiros, bioquímicos, farmacêuticos, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas, psicólogos, nutricionistas, fonoaudiólogos, dentistas. Desde que tenham registro em conselho de classe (exigência da Anvisa). Idade acima de 18 anos e sem limite superior de idade, desde que esteja atuando na atenção a pacientes com Covid-19. Os voluntários deverão estar saudáveis. Serão incluídos profissionais de saúde que nunca tiveram e que já tiveram Covid-19. Isto porque a reinfecção pelo coronavirus é um fato já comprovado. Dessa forma, será possível avaliar se a vacina protege tanto para a primeira infecção quanto para a reinfecção. Em Cuiabá, a expectativa é incluir 800 profissionais de saúde voluntários. Metodologia e acompanhamento Cada voluntário receberá duas doses da vacina. A primeira no dia da inclusão na pesquisa e a segunda, entre duas a três semanas após. Como será um ensaio randomizado, a probabilidade de receber placebo será de 50%, em relação 1 para 1, em estudo triplo cego. Nenhum evento adverso grave de relevância foi registrado. O Instituto Butantan disponibilizará aos voluntários um aplicativo onde cada profissional poderá manifestar o interesse de participar. Tão logo manifeste o interesse, o voluntário será agendado para um determinado dia e horário, que funcionará de segunda a segunda feira, em turnos matutinos, vespertinos e noturnos (até 21 h), incluindo sábados, domingos e feriados. O tempo de seguimento, com ligações telefônicas, envios de mensagens e avaliações clínico-laboratoriais periódicas deverá ser de 12 meses após a vacinação.

MT registra 127,7 mil casos de Covid e 3,5 mil mortes

access_time06/10/2020 08:18

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) notificou, até Esta segunda-feira (05), 127.730 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 3.545 óbitos em decorrência do coronavírus no estado. Foram notificadas 810 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 127.730 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 14.925 estão em isolamento domiciliar e 108.587 estão recuperados. Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 229 internações em UTIs públicas e 234 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 55,85% para UTIs adulto e em 27% para enfermarias adulto. Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (24.935), Várzea Grande (9.323), Rondonópolis (9.257), Sorriso (5.711), Sinop (5.596), Lucas do Rio Verde (5.594), Tangará da Serra (5.119), Primavera do Leste (4.255), Cáceres (3.105) e Campo Novo do Parecis (2.764). O documento ainda aponta que um total de 10.2820 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 372 amostras em análise laboratorial.

Temperatura chega a 43ºC no Pantanal de MT e calor e tempo seco ajudam na propagação de fogo subterrâneo

access_time30/09/2020 16:54

A temperatura chegou a 43ºC em Poconé, no Pantanal de Mato Grosso, nessa terça-feira (29). O tempo seco e quente favorece a expansão dos focos de incêndio. Um avião agrícola cedido para reforçar o combate às queimadas no Pantanal abasteceu o reservatório de 3 mil litros d'água, e partiu rumo à divisa de Mato Grosso, com Mato Grosso do Sul. A força-tarefa concentra os esforços para conter o incêndio que se desprendeu da Estação Ecológica Taiamã e está entrando no oeste da Transpantaneira. O objetivo é impedir atingir área preservada em agosto. Já no Porto Jofre, ao sul da estrada, no meio de uma área queimada o veado caminha ofegante, a cada passo a poeira levanta. Como ainda não choveu nessa região do Porto Jofre, a umidade está muito baixa, abaixo de 20%. A previsão é de temperatura muito alta, no fim da manhã já tinha atingido 40ºC, e o calor e o tempo seco dificultam o combate às chamas, por causa do fogo subterrâneo em área já queimadas. Quando o Pantanal fica alagado, a água carrega folhas e galhos. Na seca, tudo isso fica no chão e vai se compactando ao longo dos anos, formando várias camadas e cavidades sob o solo. Com isso, o fogo subterrâneo encontra caminho para voltar a ativa. Nesse período de pico entre as 14h e 15 h, que a temperatura ultrapasse os 30ºC, vento com velocidade acima de 30 km por hora e umidade abaixo de 30%. Até as sementes, que poderiam repor a vegetação destruída virou cinzas. Todas essas sementes estão perdidas porque elas são seca e elas possuem o que a gente chama de halas. Essas halas altamente inflamáveis quando elas caem sobre a serra pilheira, que são aquelas folhas, a matéria orgânica acumulada na superfície do solo, elas estão mais suscetíveis ao fogo e a gente perde todo esse banco de sementes extremamente valioso.

Bebê que teve 80% do corpo queimado por explosão em fogão a lenha tem alta após 40 dias internado

access_time28/09/2020 08:54

O menino de 1 ano que teve 80% do corpo queimado após a explosão de um fogão a lenha, em um sítio em Tangará da Serra, a 242 km da capital, teve alta médica e foi para casa no sábado (26). Nickolas estava internado há cerca de 40 dias em Cuiabá, na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Municipal de Cuiabá (HMC). Agora, o menino vai continuar o tratamento em casa. O acidente ocorreu no dia 16 de agosto em um assentamento rural. A mãe da criança também foi atingida, mas teve ferimentos mais leves. De acordo com o pai do menino, Fernando dos Santos, de 24 anos, a mulher dele, Rayane Souza, de 21 anos, mãe de Nickolas, tentou acender o fogão à lenha quando ocorreu uma explosão. O pai suspeita que havia algum produto altamente inflamável no galão que seria de diesel, o que provocou a explosão. Nikolas foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e então transferido para Cuiabá, onde estava internado.