Kurupí
Notícias recentes
Agricultura estuda mudar financiamento do agronegócio e seguro rural

Agricultura estuda mudar financiamento do agronegócio e seguro rural

access_time31/01/2019 08:40

O governo federal estuda medidas para modificar o financiamento das atividades no campo. Estão em di

Casos de assédio sexual contra mulher em MT aumentam 42% no 1º semestre de 2019

Casos de assédio sexual contra mulher em MT aumentam 42% no 1º semestre de 2019

access_time11/07/2019 09:58

Os casos de assédio sexual contra mulheres tiveram aumento de 42% no primeiro semestre de 2019 em co

PM prende homem acusado de furtar restos mortais de cemitério em Peixoto de Azevedo

PM prende homem acusado de furtar restos mortais de cemitério em Peixoto de Azevedo

access_time04/07/2018 09:32

Policiais militares de Peixoto de Azevedo realizaram na tarde da terça-feira (03), a prisão de um ho

Notícias com a tag: BocaJuniors

É possível! Cinco motivos para acreditar na classificação do Palmeiras contra o Boca

access_time31/10/2018 08:12

O estádio lotado nesta quarta-feira é um sinal de que o torcedor do Palmeiras acredita na vitória sobre o Boca Juniors, da Argentina, e na classificação para a final da Taça Libertadores. Mais de 38 mil ingressos foram vendidos antecipadamente para o confronto, que terá início às 21h45 (horário de Brasília). Líder do Campeonato Brasileiro, o Palmeiras de Felipão tenta voltar a disputar uma final de Libertadores depois de 18 anos. Para isso, precisa vencer o Boca por três gols de diferença. Se a vitória for por 2 a 0, a decisão será nas cobranças de pênaltis. Veja motivos que fazem o palmeirense confiar na classificação: Felipão no banco e viradas Luiz Felipe Scolari foi o comandante do título de 1999 e do vice de 2000 na Libertadores. Em ambas as temporadas, o Palmeiras construiu a campanha com viradas importantes nos mata-matas. Em 1999, o Verdão duelou com o River Plate, da Argentina, na semifinal. No jogo de ida, derrota por 1 a 0 em Buenos Aires. Na volta, vitória palmeirense por 3 a 0. Na decisão, novamente derrota por 1 a 0 na Colômbia contra o Deportivo Cali e vitória no Palestra Italia por 2 a 1. Felipão ergue a taça de campeão da Libertadores em 1999 — Foto: Arquivo / Agência Estado Em 2000, o Palmeiras passou pelo Peñarol nas oitavas de final nas cobranças de pênaltis. Em Montevidéu, derrota por 2 a 0, mas vitória por 3 a 1 na volta – ainda não havia o critério dos gols como visitante como desempate. O jogo contra os uruguaios, aliás, foi a única vez que o Verdão conseguiu inverter a desvantagem de dois gols do primeiro jogo. Na semifinal de 2000, o Verdão perdeu o jogo de ida para o Corinthians por 4 a 3, mas venceu o segundo por 3 a 2. A classificação para a decisão veio nos pênaltis, com direito a mais uma atuação história de Marcos.   Artilharia pesada Deyverson será o escolhido por Felipão para comandar o ataque palmeirense nesta quarta-feira. E a escolha pelo centroavante se justifica pelo desempenho recente: ele virou um dos grandes destaques na boa campanha da equipe no Brasileirão. Pouco utilizado com Roger Machado, Deyverson evoluiu com Felipão e já soma sete gols na competição nacional. Mas ele ainda não marcou no torneio sul-americano. Miguel Borja é o artilheiro da Libertadores de 2018, com nove gols marcados. A média é de quase um gol por jogo do colombiano, já que o camisa 9 entrou em campo nas 11 partidas do Verdão no torneio sul-americano. Campeão da Libertadores em 2016, Borja tem um histórico de decisão no torneio. Ele estreou pelo Atlético Nacional apenas na semifinal daquela edição, mas marcou cinco gols contra São Paulo e Independiente de Valle. Borja e Deyverson na Academia de Futebol — Foto: César Greco/Ag. Palmeiras   Apoio da torcida A torcida do Palmeiras não desanimou depois da derrota por 2 a 0 no jogo de ida. O sentimento entre os alviverdes é de confiança na recuperação da equipe e na classificação para final da Libertadores. A expectativa é de casa cheia. Se em Buenos Aires foram cerca de 1.900 palmeirenses na Bombonera, o time de Felipão deve contar com apoio de aproximadamente 40 mil pessoas nesta quarta-feira. Desde a reinauguração do estádio, em 2014, o Verdão já conquistou a Copa do Brasil de 2015 e o Brasileirão de 2016 no local. Torcida do Palmeirasna arena — Foto: Marcos Ribolli   Força do elenco O discurso do Palmeiras sobre a Libertadores é de disputar o torneio todos os anos. Até para diminuir a expectativa criada, o Verdão tem se cobrado menos em relação ao torneio sul-americano. Mas é fato que o grupo de 2018 está o mais preparado para sonhar com a conquista do campeonato. Com a vantagem de poder dividir o grupo em dois times competitivos, Felipão viu o Palmeiras chegar à liderança do Brasileirão e avançar até a semifinal da Libertadores. Para se recuperar contra o Boca, o treinador tem a possibilidade de mexer no time. Deyverson e Lucas Lima, por exemplo, são dois jogadores que vêm tendo mais sequência no Brasileirão, mas ambos serão utilizados contra os argentinos. A dupla pode melhorar a produção ofensiva do Verdão, que precisa de pelo menos dois gols. Lucas Lima no treino do Palmeiras — Foto: Cesar Greco/Agência Palmeiras Experiência de sobra Um goleiro campeão olímpico, um zagueiro campeão da Libertadores, um volante que disputou Copa do Mundo e um atacante que ganhou quase tudo no Palmeiras. É com a base de Weverton, Edu Dracena, Felipe Melo e Dudu que o Verdão pode se apoiar na decisão contra o Boca Juniors. Além do quarteto, o Palmeiras tem no banco de reservas um treinador campeão do mundo com a seleção brasileira e campeão por diversas vezes em suas outras duas passagens pelo clube alviverde. Felipe Melona arena do Palmeiras — Foto: Marcos Ribolli

Benedetto sai do banco, faz dois gols, e Boca Juniors abre vantagem em semi contra o Palmeiras

access_time25/10/2018 07:21

MAS SERÁ O BENEDETTO? O Palmeiras se segurou bem na Bombonera, mas não contava com a estrela de Darío Benedetto no Boca Juniors. O atacante entrou aos 31 minutos do segundo tempo, fez dois gols e decretou a vitória do Boca por 2 a 0, no jogo de ida da semifinal da Taça Libertadores. A postura alviverde na maior parte do tempo foi de controle, criando pouco, é verdade, mas sem deixar o Boca se impor dentro de casa. A entrada do atacante, porém, acabou com o jogo na Bombonera. Apesar do bom desempenho na Argentina, o Verdão terá de vencer (e bem) em sua arena se quiser continuar sonhando com o título. COMO FICA? O jogo de volta da semifinal é na próxima quarta-feira, dia 31, às 21h45 (de Brasília). O Palmeiras terá de vencer por três gols de diferença para se classificar (um 2 a 0 a favor leva a decisão para os pênaltis). Empate ou vitória alviverde por um gol classificam o Boca Juniors – para enfrentar Grêmio ou River Plate na finalíssima (o Grêmio venceu o jogo de ida, em Buenos Aires, por 1 a 0). CLIQUE AQUI e veja a tabela da Taça Libertadores. ELE MUDOU O JOGO! Titular do Boca Juniors num passado recente, Benedetto não enfrentou o Palmeiras na fase de grupos (uma vitória do Verdão e um empate) por causa de uma grave lesão que o tirou de combate no fim de 2017. Desta vez, porém, saiu do banco aos 31, e marcou aos 38, de cabeça, e aos 42, num chutaço de fora da área após giro em Luan, para empolgar de vez a Bombonera lotada. Benedetto não marcava há quase um ano, mas desencantou na hora certa.

Contra o Boca, Palmeiras testa retrospecto de 100% fora na Libertadores

access_time24/10/2018 08:33

Às 20h45 (de Mato Grosso) desta quarta-feira, na Bombonera, o Palmeiras entra em campo para enfrentar o Boca Juniors, pela semifinal da Copa Libertadores. No temido estádio de Buenos Aires, o clube alviverde defende um aproveitamento de 100% como visitante no torneio continental. Sob o comando de Roger Machado, ainda na fase de grupos da Copa Libertadores, o Palmeiras ganhou de Junior Barranquilla (3 x 0), Boca Juniors (2 x 0) e Alianza Lima (3 x 1). Já com Felipão, bateu o Cerro Porteño (2 x 0) nas oitavas e o Colo-Colo (2 x 0) nas quartas. A série de cinco vitórias consecutivas é a melhor do Palmeiras como visitante na história da Copa Libertadores. Na edição de 1971, sob o comando de Rubens Minelli, o time alviverde ganhou quatro seguidas, contra Deportivo Galícia-VEN (3 x 2), Deportivo Italia-VEN (3 x 2), Fluminense (3 x 1) e Universitário-PER (2 a 1). Embalado, o Palmeiras detém a melhor campanha da Copa Libertadores, com oito vitórias, um empate e apenas uma derrota. Foram 20 gols marcados e quatro sofridos. Autor de nove gols, Borja divide a artilharia com Morelo, do Santa Fe, já eliminado. O Palmeiras foi o único time capaz de vazar o Boca Juniors na Bombonera nesta edição da Copa Libertadores. Como mandante, além da derrota por 2 a 0 contra o time alviverde, a equipe argentina ganhou de Junior Barranquilla (1 x 0), Alianza Lima (5 x 0), Libertad (2 x 0) e Cruzeiro (2 x 0). O Palmeiras deve ter novidades no miolo de zaga diante do Boca Juniors, com Antônio Carlos e Edu Dracena entre os reservas. A tendência é que o time entre em campo com Weverton; Mayke, Luan, Gustavo Gomez e Diogo Barbosa; Felpe Melo, Bruno Henrique e Moisés; Dudu, Willian e Borja. Confira as cinco vitórias do Palmeiras fora: Junior Barranquilla 0 x 3 Palmeiras Boca Juniors 0 x 2 Palmeiras Alianza Lima 1 x 3 Palmeiras Cerro Porteño 0 x 2 Palmeiras Colo-Colo 0 x 2 Palmeiras