Camara Peixoto
Notícias recentes
Prazo para regularização de título de eleitor em MT termina nesta sexta-feira

Prazo para regularização de título de eleitor em MT termina nesta sexta-feira

access_time20/02/2020 18:42

O prazo para fazer a primeira ou segunda via do título de eleitor, transferência e recadastramento b

Grêmio e Palmeiras iniciam duelo de técnicos gaúchos nas quartas da Libertadores

Grêmio e Palmeiras iniciam duelo de técnicos gaúchos nas quartas da Libertadores

access_time20/08/2019 15:31

Os dois times brasileiros de melhor campanha na última Copa Libertadores e colecionadores de títulos

Confirmado primeiro teste positivo de Coronavírus em Peixoto de Azevedo

Confirmado primeiro teste positivo de Coronavírus em Peixoto de Azevedo

access_time29/04/2020 21:16

Em vídeo exibido na rede social o prefeito Mauricio Ferreira de Souza relata o primeiro caso positiv

Notícias com a tag: Bolivia

Bolívia corta 30% do fornecimento de gás natural ao Brasil

access_time21/05/2022 09:33

Sem aviso prévio, a Bolívia cortou em 30% o fornecimento de gás natural à Petrobras neste mês e a estatal foi pega de surpresa. A empresa brasileira sofreu um corte equivalente a mais ou menos de 7 milhões de metros cúbicos de gás ao dia. A estatal boliviana YPFB vinha fornecendo a Petrobras algo em torno de 20 milhões de metros cúbicos por dia. Diante do não previsto, a Petrobras precisou buscar caminhos alternativos e está comprando volumes adicionais de gás natural de liquefeito (GNL) para atender compromissos e contratos com fornecedores no mercado interno. O principal problema da situação é que o GNL é muito mais caro do que o gás natural. Se essa situação persistir por muito tempo, o gás fornecido pela Petrobras pode ficar mais caro. A estatal brasileira de petróleo informou que já está buscando medidas cabíveis para garantir que a YPFB boliviana cumpra com o contrato de fornecimento de gás para ao Brasil. O gás que foi cortado estaria sendo realocado para a Argentina, que vive um período de temperaturas muito baixas e estaria precisando do insumo para aquecimento da população.

Brasil supera a altitude, goleia a Bolívia e quebra recorde nas Eliminatórias

access_time30/03/2022 09:19

Baile na altitude. A Seleção Brasileira visitou a Bolívia nesta terça-feira, pela 18ª rodada das Eliminatórias Sul-Americanas, no Estádio Hernando Siles, e o time de Tite não tomou conhecimento dos donos da casa. Mesmo jogando a 3.600 metros do nível do mar, a equipe canarinho venceu a La Verde por 4 a 0, estabelecendo um recorde na história da competição. Lucas Paquetá, Richarlison (duas vezes) e Bruno Guimarães marcaram os gols da partida. Ritmo lento Jogando na altitude de 3.600 metros de La Paz, a Seleção Brasileira iniciou a partida sem se impor tanto, algo que já era esperado, como o técnico Tite disse que faria antes da partida. Os donos da casa, por outro lado, tentaram aproveitar o costume de jogarem em casa tentando tomar conta do jogo, mas pararam na boa marcação canarinho. Henry Vaca teve boa chance aos 20 minutos, mas parou em boa defesa de Alisson. Paquetop Aos poucos o Brasil foi ganhando confiança e o time de Tite conseguiu abrir o placar aos 23 minutos da etapa inicial. Bruno Guimarães fez bela jogada pelo meio e entregou para Lucas Paquetá na entrada da área. O camisa 7 dominou e bateu na saída do goleiro Cordano para fazer o primeiro gol no Hernando Siles. Pru, pru Ainda no primeiro tempo, a Seleção Brasileira marcou o segundo, desta vez com Richarlison. Fabinho iniciou jogada pelo meio e entregou para Antony na direita. O atacante do Ajax tentou o chute, que foi desviado pela defesa boliviana. A bola sobrou para o Pombo, sozinho na segunda trave, e ele só teve o trabalho de empurrar para o gol vazio. Dupla entrosada No segundo tempo, a dupla Lucas Paquetá e Bruno Guimarães mostrou que o entrosamento dos tempos de Lyon não foi esquecido. Aos 20 minutos, Gabriel Martinelli foi desarmado na entrada da área e a bola sobrou para Paquetá. De primeira, o camisa 7 lançou para Bruno, que bateu de chapa, sem deixar a bola cair, na gaveta, para fazer um golaço. Fechou o caixão Nos acréscimos, Richarlison marcou o seu segundo gol na partida, o quarto da Seleção Brasileira, fechando a conta em La Paz. Rodrygo aproveitou passe de Bruno Guimarães, bateu para defesa do goleiro, e Pombo, novamente oportunista, pegou a sobra para fazer mais um. Muito tempo depois A primeira e última vez que a Seleção Brasileira havia vencido a Bolívia em La Paz pelas Eliminatórias foi em 1981, por 2 a 1, com gols de Sócrates e Reinaldo. Em 1985, o Brasil venceu novamente fora de casa, por 2 a 0, com gols de Casagrande e Careca, mas o jogo foi em Santa Cruz de la Sierra, onde os efeitos da altitude não são sentidos. Em 2013, novamente em Santa Cruz de la Sierra, o Brasil bateu os bolivianos por 4 a 0. Os gols foram de Leandro Damião e Neymar, duas vezes cada um. Recorde Com a vitória, a Seleção Brasileira chegou aos 45 pontos e quebrou o recorde de melhor campanha da história das Eliminatórias Sul-Americanas no formato atual. Até então, a Argentina, no ciclo para a Copa do Mundo de 2002, havia feito 42 pontos e era quem tinha a melhor marca. Sequência O Brasil agora volta a campo somente no mês de junho, na próxima Data-Fifa. Ao todo, o time de Tite deverá fazer três partidas, sendo uma delas contra a Argentina, no duelo válido pela sexta rodada das Eliminatórias, que foi cancelado. Os outros dois jogos devem ser contra seleções asiáticas. Todas as partidas devem acontecer na Ásia ou na Oceania. FICHA TÉCNICA Bolívia 0x4 Brasil Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022 - América do Sul 18ª Rodada Data e hora: 29/03/2022, às 19h30 (de Mato Grosso) Local: Estádio Hernando Siles, em La Paz (BOL) Árbitro: Eber Aquino (PAR) Assistentes: Eduardo Cardozo (PAR) e Milciades Saldivar (PAR) VAR: Leodán González (URU) Bolívia (Técnico: César Farías): Cordano; Villamíl (Ramiro Vaca, intervalo), Quinteros, Carrasco, Sagredo e Fernández; Villarroel (García, 41'/2ºT) e Herrera (Salazar, intervalo); Chura (González, intervalo), Marcelo Moreno e Henry Vaca Brasil (Técnico: Tite): Alisson; Daniel Alves, Marquinhos, Éder Militão e Alex Telles (Guilherme Arana, 38'/2ºT); Fabinho, Bruno Guimarães e Lucas Paquetá (Arthur, 31'/2ºT); Antony (Rodrygo, 31'/2ºT), Richarlison e Philippe Coutinho (Gabriel Martinelli, 8'/2ºT) Cartões Amarelos: Henry Vaca (BOL) Cartões Vermelhos: Não houve Gols: Lucas Paquetá (24'/1ºT, 0-1), Richarlison (44'/1ºT, 0-2 e 45'/2ºT, 0-4) e Bruno Guimarães (20'/2ºT, 0-3)

Acrimat denuncia suspeita de entrada de gado da Bolívia em MT e pede investigação às autoridades

access_time03/07/2021 10:14

A Associação do Criadores de Mato Grosso (Acrimat) solicitou ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea) e ao Grupo Especial de Fronteira (Gefron) apurar a suspeita de entrada irregular de gado da Bolívia em Mato Grosso, e faz uma força tarefa para a fiscalização no trecho da fronteira. O documento foi encaminhado à presidente do Indea, Emanuele Gonçalina de Almeida, e ao superintendente Federal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Mato Grosso, José de Assis Guaresqui. Nele, a Acrimat pede ainda que seja implementada ação de comunicação dirigida aos pecuaristas, disponibilizando um disque denúncia via 0800, bem como a fixação de cartazes em revendas, postos do Indea e sedes dos Sindicatos Rurais, alertando sobre a risco da comercialização de animais sem origem comprovada. Em resposta ao pedido da Acrimat, o superintendente do Mapa em Mato Grosso, disse que com o objetivo da busca de alternativas de controle na região e possíveis soluções para mitigar o problema na fronteira Brasil/Bolívia, o Indea/MT apresentou dados com elementos relativos ao trânsito de animais bovinos ocorrido no estado, como elemento de criação de uma estratégia específica para a região. “No entanto, é de conhecimento de todos a complexidade do assunto. Vários são os fatores que influenciam, de modo negativo, para que as orientações técnicas e as regras que nos asseguram o status sanitário, sejam transgredidas, o que dificultam consideravelmente que somente as ações de controle do Indea, sejam suficientes para coibir tais transgressões”, destaca o órgão no documento enviado à Acrimat. Como conclusão, o Mapa entende pela necessidade do envolvimento de outros segmentos e pede à Acrimat apoio para que alerte os pecuaristas para que não permitam que indivíduos, alheios ao sistema, prejudiquem o desenvolvimento da pecuária de Mato Grosso. O diretor técnico da Acrimat, Francisco de Sales Manzi, diz que a associação recebeu demanda oriunda dos presidentes dos Sindicatos Rurais de Vila Bela da Santíssima Trindade, Pontes e Lacerda e Cáceres sobre a preocupação com o descaminho de gado que está entrando da Bolívia para Mato Grosso, em função da grande diferença de preço. Contudo, para auxiliar os trabalhos dos órgãos competentes, a Acrimat pede a todos os produtores, principalmente os da região de fronteira, que denunciem qualquer movimentação suspeita.

Envasamento do gás de cozinha em MT reduzirá preço para população

access_time22/06/2021 10:50

O secretário de Desenvolvimento Econômico de Mato Grosso, César Miranda, diretores do MT Gás e o senador Jayme Campos se reuniram nesta segunda-feira (21.06), com a diretoria da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), para tratar sobre o envasamento do recipiente de GLP (popular gás de cozinha), o que resultará no barateamento do produto comercializado no Estado. A ação faz parte do planejamento do governador Mauro Mendes junto à Sedec, para que a empresa reguladora de gás do Estado crie uma distribuidora própria de gás de cozinha para Mato Grosso. De acordo com o presidente da MT Gás, Rafael Reis, embora se complementem, o envasamento do GLP e o gás natural contratado são duas ações distintas, a primeira tem como objetivo estimular o novo modelo de envasadoras para a ANP. “Além do contrato assinado de fornecimento da molécula de gás para os próximos 10 anos, também temos a proposta de aquisição do GLP. Em paralelo, estamos trabalhando com o auxílio do senador Jayme Campos para aprovar esse novo modelo que reduzirá o custo operacional das envasadoras, o que consequentemente, irá causar retração do custo do gás para os consumidores de Mato Grosso”, explicou. Uma empresa contratada ficará responsável pelos estudos técnicos, segundo Reis. Conforme o senador, esta é uma ação extremamente benéfica para a população, já que irá impactar diretamente no bolso dos consumidores do estado. “Estamos fazendo essa ponte para agilizar a normatização que o Estado precisa para trazer esse ganho para nossa população. Somente com a autorização da ANP, o governo estadual poderá favorecer nosso povo com a redução do preço desse item tão necessário nos lares de todo Mato Grosso”, pontua Jayme Campos. Estratégia que o secretário César Miranda ressalta como essencial para o desenvolvimento do estado. “Este é um trabalho que vai beneficiar a população como um todo, uma ação que irá afetar positivamente as finanças do mato-grossense e uma recomendação pessoal do governador, de fornecer as melhores condições ao povo deste estado”, pontua. Concretização No começo deste mês, o governador assinou um contrato com a estatal boliviana Yacimentos Petroliferos para o fornecimento de gás natural. O acordo visa garantir o abastecimento do produto a partir de janeiro de 2022. Com isso, Mato Grosso receberá até R$ 3,5 milhões de metros cúbicos de gás natural ao mês durante o ano o próximo ano e, até 2027, pode chegar até 6,5 milhões de metros cúbicos.

Sete criminosos são presos na fronteira ao alugarem carros e tentar levá-los para a Bolívia

access_time04/05/2020 10:42

Sete pessoas foram presas pelo Grupo Especial de Fronteira (Gefron) depois que alugaram três veículos e tentaram levar os automóveis para a Bolívia. A situação ocorreu no sábado (2) e foi divulgada no domingo (3). De acordo com o Gefron, foram recuperados uma S-10 cinza, uma Duster cinza e uma Saveiro de cor amarela que foram locadas, mas que os condutores não devolveram. Os homens levariam os carros para a Bolívia. Os três veículos estão avaliados em cerca de R$ 184 mil. Durante patrulhamento na MT-388, no sábado, por volta de meio-dia, policiais do Gefron pararam o veículo Duster. Após checagem, descobriram que se tratava de veículo locado. O carro estava com apropriação indébita. O motorista disse aos policiais que levaria o carro para a Bolívia e que ganharia R$ 2 mil para entregar o carro para seis pessoas que o estavam esperando naquele país. A equipe do Gefron foi até o local onde seria o ponto de encontro e antes disso, avistou uma caminhonete atolada próximo à fronteira, junto a S-10, estava uma Saveiro. Os suspeitos que estavam no local para retirar a S-10 do atoleiro eram os mesmos que iriam receber a Duster na Bolívia. Os policiais deram ordem de parada aos indivíduos que tentaram fugir, mas não conseguiram. O Gefron chegou que a S-10 também estava com a locação atrasada e a Saveiro estava no apoio dos demais. Diante dos fatos e considerando a forma e o local do ocorrido, todos foram encaminhados para a delegacia de Fronteira (Defron) para providências que o caso requer.

Mais de 2 mil quilos de droga foram apreendidos em MT na fronteira com a Bolívia em 2020

access_time03/03/2020 08:04

Neste ano já foram apreendidos cerca de 2,1 mil quilos de droga nas regiões de fronteira de Mato Grosso com a Bolívia. Se comparado ao mesmo período do ano passado, houve um aumento de 276% nas apreensões. Em 2019, foram 560 quilos de droga apreendidos na fronteira, segundo o Grupo Especial de Segurança de Fronteira (Gefron). Para o coordenador do Gefron, Fábio Ricas, isso se deve à ampliação da cobertura da segurança pública na região. “O governo vem priorizando essas ações de fronteira e tem destinado mais recursos para que as operações sejam intensificadas”, disse. Segundo Fábio, a maioria dos recursos foram destinados ao aperfeiçoamento na metodologia com investimento na área da tecnologia, como por exemplo o controle do fluxo de veículos por meio de câmeras com tecnologia UCR que faz a identificação dos veículos que passam pelas regiões de fronteira. Mato Grosso é considerado um dos corredores de entrada de pasta base e cloridato de cocaína no país.

Fronteira entre Brasil e Bolívia é bloqueada por bolivianos em ato contra reeleição de Evo Morales

access_time29/10/2019 06:15

A fronteira entre Brasil e a Bolívia foi fechada nesta segunda-feira (28) impedindo o tráfego de pessoas e veículos do país vizinho até o município de Cáceres, a 220 km de Cuiabá. O ato faz parte dos protestos contra o resultado das eleições presidenciais na Bolívia, que garantiram a Evo Morales o quarto mandato consecutivo. De acordo com o tenente coronel Fábio Ricas, do Grupo Especial de Segurança de Fronteira (Gefron), só estão circulando ambulâncias e veículos de urgência tanto no acesso oficial, pela BR-070, quanto pelo município boliviano de Las Betas, que dá acesso a Porto Esperidião. Apesar do movimento ser pacífico, como afirmou o tenente, o maior problema é o transporte coletivo, pois as linhas de ônibus não estão conseguindo transitar e orienta que os motoristas busquem outra rota.

Incêndio destrói 500 mil hectares de vegetação na Bolívia e abala campanha de Evo Morales

access_time22/08/2019 08:59

A Bolívia sofre com o maior incêndio de sua história recente. Uma área de pelo menos 500 mil hectares já foi consumida pelo fogo. A nuvem de fumaça que sai de Roboré, município do departamento de Santa Cruz, chegou, inclusive, a cidades brasileiras que ficam perto da fronteira boliviana. O presidente Evo Morales, que está em campanha eleitoral, rejeitou o apoio internacional para controlar as chamas, e vem recebendo críticas da oposição. Os primeiros focos do incêndio foram detectados há 16 dias. O fogo atinge pelo menos dez povoados do município Roboré, no sudeste boliviano, quase na fronteira com o Brasil. A cidade abriga um dos mais emblemáticos parques do país, onde há uma rica fauna e flora. Nas imediações também está a Chiquitanía, como são chamadas as Missões Jesuíticas na Bolívia. Há suspeitas de que as queimadas, promovidas pelos agricultores com a justificativa de preparar a terra para a lavoura, tenham saído do controle e alastrado o fogo. Dados não-oficiais apontam que o fogo devastou uma área equivalente a 500 mil campos de futebol. O clima seco e os ventos fortes típicos desta época do ano podem ter ajudado a espalhar as chamas. Até o momento não há perdas humanas por causa do incêndio, mas os animais sofrem com o fogo e o calor. Ainda não foi possível determinar o impacto dos danos materiais. Em alguns setores os moradores tiveram que ser evacuados. Por causa da péssima qualidade do ar, as aulas foram interrompidas. A fumaça afeta, inclusive, regiões do Brasil e do Paraguai que ficam perto da fronteira boliviana. Não há previsão de quando será possível extinguir o incêndio. Aluguel de avião e erro de logística O presidente Evo Morales rejeitou a ajuda internacional. Em compensação, decidiu pagar caro pelo aluguel de um Boeing 747-400, uma imensa aeronave-tanque. Chamado de “Supertanker”, este avião gigante deve chegar ainda nesta quinta-feira (22) ao país. O Boeing 747-400 consegue transportar até 150 mil litros e será usado no combate ao fogo. No entanto, precisa de uma pista de 2.400 metros de comprimento para operações de pouso e decolagem. Na Bolívia, apenas o Aeroporto Internacional de Viru-Viru, na cidade de Santa Cruz de la Sierra, localizado a 30 minutos de voo do foco do incêndio, oferece essas dimensões. Por temas logísticos, o governo boliviano avalia levar o “Supertanker” a uma base em Corumbá, no Mato Grosso do Sul, município brasileiro que está a poucos quilômetros do foco da queimada. Aeronaves de menor porte também participam dos trabalhos de combate ao fogo. Além disso, mais de mil integrantes das forças de segurança do Estado foram para Roboré participar das operações de combate ao fogo. Pelo menos cem profissionais ajudarão no resgate de animais afetados pelo incêndio. Evo demorou e sociedade sai na frente Os bolivianos, sobretudo os do departamento de Santa Cruz, estão muito comovidos com a situação. A sociedade também reclama que o presidente Evo Morales demorou a reagir sobre o incêndio. Por isso civis resolveram agir por conta própria e organizaram pontos para arrecadar produtos que serão enviados a moradores da região afetada pelo incêndio. Para as doações são solicitados colírios, soros, galões de água, lanternas, alimentos não perecíveis e outros itens. Cidadãos também fizeram uma vaquinha e alugaram um avião. A aeronave de pequeno porte, geralmente empregada na fumigação das áreas agrícolas, está sendo usada para jogar água sobre os focos de incêndio. Gustavo Castro, assessor imobiliário, um dos pioneiros da iniciativa, contou à RFI porque tomou esta decisão. “Somos cidadãos e atuamos como voluntários para ajudar. Não pertencemos a nenhuma instituição, a nenhum partido, nada. Somos civis e é isso que as pessoas têm que entender: nenhum governo vai cuidar das suas coisas como nós mesmos.” Incêndio esquenta corrida presidencial O incêndio também entrou para o debate político. Candidatos opositores ao presidente Evo Morales visitaram a região de Roboré. Entre eles, o ex-presidente Carlos Mesa, do partido Comunidad Ciudadana, que está em segundo lugar nas pesquisas de intenção de voto. Mesa questionou por que o governo demorou mais de uma semana para tomar uma atitude sobre o incêndio. Apenas a segunda-feira (19) Evo Morales sobrevoou o local das chamas. Críticos ao presidente afirmam que a ampliação da fronteira agrícola, que permite a plantação em áreas que antes eram de preservação, influenciou neste desastre ambiental. Já integrantes do partido Movimiento al Socilaismo (MAS), do qual Morales faz parte, fez um apelo para que o incidente não fosse politizado. Na quarta-feira (21) diversos departamentos da Bolívia protestaram contra a reeleição de Morales. Apenas Santa Cruz de la Sierra, que é a capital econômica da Bolívia e principal reduto da oposição, decidiu não participar da greve geral em respeito aos afetados pelo incêndio. Evo Morales bateu o recorde de permanência ininterrupta na presidência do país. Embora não seja permitido pela Constituição, uma manobra autorizada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) abriu espaço para ele buscar a quarta reeleição.