Banner Outras
Notícias recentes
Segunda-feira (11): Mato Grosso registra 545 casos confirmados e 19 óbitos por Covid-19

Segunda-feira (11): Mato Grosso registra 545 casos confirmados e 19 óbitos por Covid-19

access_time11/05/2020 17:51

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta segunda-feira (11.05), 545 caso

Três são detidos por captação ilícita de clientes a mando de advogados

Três são detidos por captação ilícita de clientes a mando de advogados

access_time26/06/2018 19:30

Tês homens foram presos em Cuiabá, na segunda-feira (25), suspeitos de participarem de um esquema de

Governo do RJ confirma a primeira morte por coronavírus

Governo do RJ confirma a primeira morte por coronavírus

access_time19/03/2020 10:19

A Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro e a prefeitura de Miguel Pereira confirmaram, na m

Notícias com a tag: Colniza

Operação tenta prender quadrilha de MT e SP que importava droga da Bolívia em aviões para o Brasil

access_time31/10/2018 08:22

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (31) a Operação Carcará, que investiga a atuação de uma organização criminosa de Mato Grosso e São Paulo que importava droga da Bolívia. De acordo com a PF, os policiais cumprem 29 mandados de prisão e buscas e apreensões em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Paraná e São Paulo. As ordens foram expedidas pela 5ª Vara da Justiça Federal de Mato Grosso. Os mandados de prisão e busca ocorrem em Tangará da Serra, Cuiabá, Suzano, Itaquaquecetuba, Goiânia, Corumbá, Londrina. A operação investiga os crimes de tráfico internacional de drogas, organização criminosa e lavagem de dinheiro. Segundo a PF, a organização criminosa, com sede em Mato Grosso e São Paulo, 'importava' droga da Bolívia com alto teor de pureza. O entorpecente era carregado por meio de aeronaves, sendo depositado na cidade de Colniza, a 1.065 km de Cuiabá. Do município, o material seguia para São Paulo em caminhões com fundos falsos, geralmente localizados nos tanques de combustíveis. Operação cumpre mandados de prisão e busca em Tangará da Serra. Foto: TV Centro América As investigações apontam que o grupo utilizava rastreadores via satélite para monitorar os caminhões carregados com drogas. A PF ainda apurou que um dos presos, que já estava preso por homicídio, possuía aeronave e carteira de piloto para voar.