anuncie aqui
Notícias recentes
Candidata ao Senado em MT, Selma Arruda diz que defende porte de arma

Candidata ao Senado em MT, Selma Arruda diz que defende porte de arma

access_time25/09/2018 15:57

Candidata ao Senado pelo PSL, Selma Arruda afirmou, durante entrevista ao Bom Dia MT, nesta terça-fe

Suprema Corte da Índia decide descriminalizar a homossexualidade no país

Suprema Corte da Índia decide descriminalizar a homossexualidade no país

access_time06/09/2018 07:30

Em uma decisão histórica, a Suprema Corte da Índia descriminalizou nesta quinta-feira (6) a homossex

Governo vai fazer pente-fino em 2 milhões de benefícios do INSS

Governo vai fazer pente-fino em 2 milhões de benefícios do INSS

access_time10/01/2019 08:23

O governo federal vai fazer uma auditoria em 2 milhões de benefícios pagos pelo Instituto Nacional d

Notícias com a tag: Colniza

Operação tenta prender quadrilha de MT e SP que importava droga da Bolívia em aviões para o Brasil

access_time31/10/2018 08:22

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (31) a Operação Carcará, que investiga a atuação de uma organização criminosa de Mato Grosso e São Paulo que importava droga da Bolívia. De acordo com a PF, os policiais cumprem 29 mandados de prisão e buscas e apreensões em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Paraná e São Paulo. As ordens foram expedidas pela 5ª Vara da Justiça Federal de Mato Grosso. Os mandados de prisão e busca ocorrem em Tangará da Serra, Cuiabá, Suzano, Itaquaquecetuba, Goiânia, Corumbá, Londrina. A operação investiga os crimes de tráfico internacional de drogas, organização criminosa e lavagem de dinheiro. Segundo a PF, a organização criminosa, com sede em Mato Grosso e São Paulo, 'importava' droga da Bolívia com alto teor de pureza. O entorpecente era carregado por meio de aeronaves, sendo depositado na cidade de Colniza, a 1.065 km de Cuiabá. Do município, o material seguia para São Paulo em caminhões com fundos falsos, geralmente localizados nos tanques de combustíveis. Operação cumpre mandados de prisão e busca em Tangará da Serra. Foto: TV Centro América As investigações apontam que o grupo utilizava rastreadores via satélite para monitorar os caminhões carregados com drogas. A PF ainda apurou que um dos presos, que já estava preso por homicídio, possuía aeronave e carteira de piloto para voar.