anuncie aqui
Notícias recentes
Brasil e Chile avançam em negociação para acordo de livre comércio

Brasil e Chile avançam em negociação para acordo de livre comércio

access_time25/07/2018 07:30

O presidente Michel Temer disse hoje (24) que o avanço nas negociações para o estabelecimento de um

General iraniano acusa Israel de 'roubar nuvens' para provocar seca no Irã

General iraniano acusa Israel de 'roubar nuvens' para provocar seca no Irã

access_time04/07/2018 08:57

Um general iraniano acusou Israel de "manipular as condições meteorológicas" a fim de evitar que cai

Mercado reduz projeção de alta do PIB e vê inflação maior neste ano

Mercado reduz projeção de alta do PIB e vê inflação maior neste ano

access_time18/06/2018 10:36

As projeções de crescimento da economia brasileira para este ano seguem em declínio ao mesmo tempo e

Notícias com a tag: Dinamarca

VAR volta a entrar em ação, e Austrália empata com a Dinamarca

access_time21/06/2018 12:07

TUDO IGUAL O VAR voltou a aparecer com a marcação de um pênalti - o quinto na Copa, o terceiro no Grupo C - e ajudou a Austrália a empatar com a Dinamarca em 1 a 1, nesta quinta-feira, em Samara. Com o resultado, todas as selelções seguem vivas no Grupo C, que tem França x Peru, às 11h, no complemento da segunda rodada. A Dinamarca lidera com quatro pontos, e a Austrália tem um, enquanto a França tem três e o Peru ainda não pontuou. A última rodada terá os dois jogos do Grupo C acontecendo ao mesmo tempo, às 10h (horário de Brasília) da próxima terça-feira: a Dinamarca pega a França no estádio de Lujniki, em Moscou, e a Austrália encara o Peru em Sochi. ESSE NÃO CURTIU O VAR Nenhum jogador sofreu mais com o auxílio do árbitro de vídeo do que Yurary Poulsen, da Dinamarca, nesta Copa do Mundo. Já são dois pênaltis na conta dele em duas partidas, ambos flagrados pelo VAR – um contra o Peru, um agora contra a Austrália. Pior: ele recebeu amarelo nos dois lances e, por isso, está suspenso contra a França, na terça-feira. Yurary Poulsen, da Dinamarca: dois jogos, dois pênaltis flagrados pelo VAR, dois cartões amarelos (Foto: Reuters) NA MARCA DA CAL Já são 11 pênaltis em oito dias de Copa, superando os 10 de toda a primeira fase do Mundial de 2014. Dos 11, cinco foram marcados com o auxílio do VAR. E só dois foram desperdiçados: Cueva (Peru) e Messi (Argentina). E só um jogador já bateu (e converteu) dois pênaltis: Jedinak, que já havia marcado contra a França, deixou sua marca nesta quinta diante da Dinamarca. FELIZ E... COM DOR Eriksen chegou a 13 gols nos últimos 15 jogos pela Dinamarca. Na comemoração, ele foi deslizar de joelho e se deu mal. O meia já se levanta sentindo dor no local ralado no chão. Tá achando que é Premier League, meu querido? PRIMEIRO TEMPO A Dinamarca foi melhor no início e demorou apenas seis minutos para abrir o placar, com o craque Eriksen num belo chute, após assistência de Jorgensen. O time dinamarquês criou outras chances para ampliar, mas, aos poucos, foi recuando, esperando a chance de um contra-ataque para matar o jogo. A Austrália, que demorou 25 minutos para conseguir uma boa jogada no ataque, acabou empatando num escanteio em que a bola bateu na mão de Yurary Poulsen - pênalti assinalado pelo VAR, convertido por Jedinak. SEGUNDO TEMPO A Austrália voltou melhor na etapa final, mais confiante e com melhor toque de bola. A Dinamarca, por sua vez, caiu muito de produção, principalmente por conta do sumiço de Eriksen. As substituições do técnico Age Hareide atrapalharam - tirou Yurary Poulsen e Jorgensen para as entradas de Braithwaite e Cornelius, um nível abaixo dos titulares. A Austrália esteve muito mais perto do segundo gol do que a Dinamarca. O goleiro Schmeichel acabou sendo decisivo, com defesas difíceis em finalizações de Arzani e Leckie. Destaque para a feia lesão de Nabbout – o atacante deslocou o ombro direito numa jogada com Stryger Larsen. Andrew Nabbout deixa Dinamarca x Austrália com dores no ombro (Foto: Reuters)

Dinamarca bate Peru em novo jogo com VAR (e erro de Cueva); Guerrero passa em branco

access_time16/06/2018 14:25

QUE PENA, PERU... Em sua volta à Copa do Mundo após 36 anos, o Peru contou com o apoio de sua torcida, maioria absoluta em Saransk. Teve um pênalti dado pelo VAR (que o são-paulino Cueva desperdiçou). E foi melhor na maior parte do jogo. Mas acabou sendo derrotado pela Dinamarca por 1 a 0, gol de Poulsen. O flamenguista Guerrero entrou aos 17 minutos do segundo tempo e deu nova dinâmica ao time peruano e quase marcou um golaço de calcanhar. COMO FICA E O QUE VEM POR AÍ A Dinamarca empata com a França na liderança do Grupo C com três pontos, mas os franceses levam vantagem nos gols marcados, já que venceram a Austrália por 2 a 1. A segunda rodada do Grupo C será disputada na quinta-feira. A Austrália encara a Dinamarca às 8h (de Mato Grosso) em Samara. Já a França pega o Peru em Ecaterimburgo, às 11h. Cueva lamenta pênalti perdido, e Schmeichel comemora (Foto: REUTERS/Marcos Brindicci) OLHA O VAR AÍ! Aos 43 minutos do primeiro tempo, o VAR entrou novamente em ação, mudando a decisão do árbitro Bakary Gassama, de Gâmbia (o mesmo que se enrolou com o VAR na Copa das Confederações no ano passado). Em disputa com Poulsen, Cueva caiu na área e ficou pedindo pênalti, mas o juiz nada marcou. Após quase meio minuto, Gassama paralisou o jogo para acionar o recurso do VAR. E então decidiu por dar o pênalti. Na cobrança, porém, Cueva isolou. O são-paulino pegou muito mal na bola e mandou por cima do gol. Ele saiu de campo chorando para o intervalo, amparado por todos os seus companheiros, especialmente Paolo Guerrero. PRIMEIRO TEMPO Empurrado pela sua torcida, maioria absoluta no estádio de Saransk, o Peru começou melhor, pressionando a Dinamarca. Carrillo, aberto pela direita, era disparado o jogador mais perigoso em campo, com suas jogadas em velocidade. A partir dos 20 minutos, porém, a Dinamarca passou a controlar as ações do jogo, ficando mais com a bola - terminou o primeiro tempo com 59% de posse. As melhores chances dos dinamarqueses, porém, foram em jogadas de bola parada - em escanteios para os grandalhões Poulsen (1,93m), Jorgensen (1,94m) e Christensen (1,92m), ou de falta, com Eriksen. No final, porém, quem teve a melhor oportunidade foi o Peru, no pênalti que Cueva sofreu e isolou. Guerrero consola Cueva após pênalti perdido pelo Peru contra a Dinamarca (Foto: Max Rossi/Reuters) SEGUNDO TEMPO O Peru novamente começou melhor e teve chance para abrir o placar num lance em que Cueva deixou o marcador no chão, mas preferiu tocar a chutar, e Carrillo acabou perdendo. Na jogada seguinte, aos 13, gol da Dinamarca, com Poulsen, aproveitando boa jogada de Sisto e Eriksen. Guerrero entrou quatro minutos depois e deu nova cara para o time do Peru, fazendo o pivô e deslocando Farfán para a armação. O Peru empilhou uma oportunidade atrás da outra. Guerrero quase marcou um golaço de calcanhar, Farfán teve uma chance clara defendida por Schmeichel... o placar mais justo seria o empate. Péssimo resultado para o Peru, que agora terá de vencer França e Austrália para se classificar sem depender de uma combinação de resultados. Poulsen, do RB Leipzig, fez o gol da vitória da Dinamarca sobre o Peru (Foto: Clive Mason/Getty Images)