anuncie aqui vermelho
Notícias recentes
França pede doações e avalia danos na Notre-Dame

França pede doações e avalia danos na Notre-Dame

access_time16/04/2019 09:02

As chamas que destruíram parcialmente a Catedral de Notre-Dame, em Paris, ainda nem estavam completa

Juíza manda bloquear contas e apreender carro de ex-vereador em Cuiabá

Juíza manda bloquear contas e apreender carro de ex-vereador em Cuiabá

access_time06/07/2021 07:00

A juíza Edleuza Zorgetti Monteiro da Silva, da 5ª Vara Cível de Cuiabá, autorizou busca e bloqueio d

BMW 320i x Audi A4, duelo de alta performance

BMW 320i x Audi A4, duelo de alta performance

access_time01/09/2020 20:07

O atual cenário econômico brasileiro indica a tendência pela contenção de gastos. Diante de tantas d

Notícias com a tag: Inglaterra

Itália vence Inglaterra nos pênaltis e conquista a Eurocopa

access_time11/07/2021 18:31

Os ingleses cantam há mais de 20 anos "the football's coming home" (o futebol está indo para casa), mas vão ter que adiar o sonho novamente. Está indo para Roma. A Itália venceu a Inglaterra nos pênaltis após empate por 1 a 1 no tempo normal e na prorrogação e conquistou a Eurocopa 2020, em Wembley. Shaw fez gol relâmpago para os donos da casa no início do jogo, e Bonucci empatou na segunda etapa. Nas penalidades, Donnarumma brilhou mais uma vez, e a Azzurra ergueu a taça novamente depois de quase 50 anos. ITÁLIA É BI! A Itália conquistou a Eurocopa pela segunda vez na história. O primeiro título foi em 1968. A Azzurra também teve dois vices, em 2000 e 2012. A Inglaterra disputou sua primeira decisão do torneio. Os italianos agora estão empatados com a França na segunda posição na lista dos maiores vencedores do torneio. Alemanha e Espanha, ambos com três taças, estão no topo. GOL RELÂMPAGO E DOMÍNIO ITALIANO As esperanças da Inglaterra foram renovadas e ampliadas com apenas um minuto e 57 segundos de jogo. Em jogada iniciada por Kane, Trippier cruzou da direita, e Shaw apareceu na ponta esquerda de dentro da área para finalizar de primeira e marcar o gol mais rápido da história das finais de Euro. Mas foi só. Essa foi a única finalização inglesa até os 10 minutos do segundo tempo. A Itália teve mais posse de bola, mas também foi pouco agressiva na primeira etapa. Na volta do intervalo, a final ganhou um pouco de emoção. Insigne e Chiesa obrigaram Pickford a fazer boas defesas aos 10 e 16 minutos. Donnarumma, por sua vez, só trabalhou em cabeçada de Stones. Aos 21, veio o empate. Após cobrança de escanteio de Emerson da direita, Verratti acertou a trave em cabeceio, e Bonucci empurrou para as redes: 1 a 1. O domínio italiano seguiu nos minutos finais do tempo regulamentar com a postura retraída da Inglaterra. Em todo o jogo, foram 20 finalizações italianas contra seis ingleses, e 61% de posse de bola para a Azzurra. Mas a prorrogação foi de pouca intensidade. Nenhuma seleção conseguiu ameaçar o rival, e a decisão foi para os pênaltis.

Príncipe Philip morre aos 99 anos, no Castelo de Windsor

access_time09/04/2021 09:36

O príncipe Philip, marido da rainha britânica Elizabeth e uma figura-chave na família real britânica por quase sete décadas, morreu aos 99 anos, informou o Palácio de Buckingham nesta sexta-feira (9). O duque de Edimburgo, como era oficialmente conhecido, esteve ao lado da rainha ao longo de todos os 69 anos de seu reinado, o mais longo da história do Reino Unido. Durante este período, ele ganhou a reputação de ter uma atitude dura, séria e de uma propensão a gafes ocasionais. "É com profunda tristeza que Sua Majestade, a Rainha, anuncia a morte de seu amado marido, Sua Alteza Real, o Príncipe Philip, duque de Edimburgo", informou o palácio em comunicado publicado em uma rede social. A conta oficial da família real no Twitter informa ainda: "Sua Alteza Real faleceu pacificamente nesta manhã no Castelo de Windsor. Mais anúncios serão feitos oportunamente. A Família Real se junta às pessoas ao redor do mundo lamentando sua perda." Philip desempenhou papel-chave na modernização da monarquia no período após a Segunda Guerra Mundial e, por trás dos muros do Palácio de Buckingham, era a única figura central para a qual a rainha podia se voltar e confiar. "Ele tem sido, simplesmente, minha força e permanência todos esses anos", disse Elizabeth em uma rara homenagem pessoal a Philip feita em um discurso para marcar o 50º aniversário de casamento de ambos em 1997. O príncipe, que ia completar 100 anos em 10 de junho, tinha saído recentemente do hospital, onde foi submetido a uma intervenção cirúrgica por problemas cardíacos, e regressado ao Palácio de Windsor. Príncipe da Grécia e da Dinamarca Conhecido pelo seu senso de humor particular, Filipe de Mountbatten, nascido com o título de príncipe da Grécia e da Dinamarca, é o consorte mais antigo da história da monarquia britânica. Após ter servido na Marinha durante a Segunda Guerra Mundial, casou-se em 20 de novembro de 1947 com a então princesa Elizabeth, filha do rei George VI. Filipe, que realizou mais de 22 mil compromissos públicos, descreveu-se de forma bem-humorada como "o inaugurador de placas mais experiente do mundo". Afastou-se das funções públicas em 2017, ano a partir do qual se tornou cada vez mais raras as suas aparições públicas, à exceção dos grandes eventos familiares. It is with deep sorrow that Her Majesty The Queen has announced the death of her beloved husband, His Royal Highness The Prince Philip, Duke of Edinburgh. His Royal Highness passed away peacefully this morning at Windsor Castle. pic.twitter.com/XOIDQqlFPn — The Royal Family (@RoyalFamily) April 9, 2021 *Com informações da Reuters e da RTP

Boris Johnson está infectado com o coronavírus

access_time27/03/2020 08:34

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, de 55 anos, está infectado com o coronavírus, de acordo com uma nota do governo divulgada nesta sexta-feira (27). O político conservador teve sintomas leves e vai se isolar. De acordo com um comunicado do governo britânico, ele vai continuar a liderar os esforços contra a epidemia. Segundo um porta-voz do governo, os sintomas apareceram na quinta-feira, um dia após Johnson ter ido ao Parlamento do país para uma sessão de perguntas e respostas. A mídia britânica afirma que outros ministros poderão se isolar, por terem tido contato com Johnson. Over the last 24 hours I have developed mild symptoms and tested positive for coronavirus. I am now self-isolating, but I will continue to lead the government’s response via video-conference as we fight this virus. Together we will beat this. #StayHomeSaveLives pic.twitter.com/9Te6aFP0Ri — Boris Johnson #StayHomeSaveLives (@BorisJohnson) March 27, 2020 Em uma rede social, Johnson afirmou que nas últimas 24 horas ele apresentou sintomas leves e seu teste para a doença Covid-19 foi positivo. "Agora estou me auto-isolando, mas vou continuar a liderar a resposta do governo via vídeoconferência enquanto nós lutamos contra esse vírus", afirmou ele. Johnson ainda agradeceu aos que, como ele, estão trabalhando de casa, de forma remota. Ele agradeceu o sistema público de saúde do Reino Unido por estar trabalhando para ajudar o país a atravessar a pandemia, e reiterou que ficar em casa é fundamental para impedir o espalhamento do vírus. Mudança de estratégia no país Na segunda-feira (23), Johnson, fez um pronunciamento à nação no qual anunciou que os britânicos só podem se deslocar para ir ao trabalho, caso não possam realizá-lo remotamente, e para comprar itens essenciais ou para atender necessidades médicas próprias ou de pessoas vulneráveis. O Reino Unido tem 11.658 casos confirmados de coronavírus. Até sexta-feira (27), 578 pessoas haviam morrido por causa da doença que ele causa. O país mudou de estratégia para combater a Covid-19. Inicialmente, o Reino Unido adotou a estratégia de mitigação da pandemia e de "imunização de rebanho", ou infecção de grande parte da população, que, na teoria, desenvolveria imunidade coletiva com o objetivo de proteger todos os cidadãos. Mas isso mudou: um modelo matemático apresentado pelo Imperial College de Londres deu um panorama extremamente sombrio de como a doença iria se propagar pelo país, como iria impactar o sistema público de saúde (o SUS do Reino Unido, chamado de NHS) e quantas pessoas iriam morrer. Por isso, o país adotou as medidas de distanciamento social e isolamento obrigatório em vigor. Coronavírus real Na quarta-feira (25), o teste do príncipe Charles deu positivo. Charles, de 71 anos, é o filho mais velho da rainha Elizabeth II e o herdeiro do trono. "O príncipe de Gales foi testado positivamente para o Coronavírus", publicou a Casa de Clarence, o nome do palácio onde vive o príncipe. Ele tem sintomas leves, mas está em boa saúde e tem trabalhado de casa nos últimos dias de maneira usual. Charles esteve com a mãe, a rainha Elizabeth II, no dia 12 de março, de acordo com informações de fontes da realeza britânica passadas à Reuters. A rainha tem 93 anos.

Príncipe Charles, de 71 anos, testa positivo para o novo coronavírus

access_time25/03/2020 07:31

O príncipe Charles, do Reino Unido, testou positivo para o novo coronavírus, segundo a imprensa britânica. De acordo com a BBC, ele apresenta sintomas "brandos" da doença. O príncipe de 71 anos está isolado na casa da família real em Balmoral, na Escócia, de onde vem trabalhando nos últimos dias. Segundo o escritório do filho mais velho da rainha Elizabeth II, "ele tem sintomas "brandos da doença, mas apesar disso tem um bom estado de saúde". Sua mulher, Camilla, a duquesa da Cornuália, também foi testada, mas seu exame para o vírus deu negativo. Ambos estão autoisolados. Uma fonte real disse que o príncipe de Gales foi testado na segunda-feira e obteve os resultados na terça-feira. Charles falou com a rainha Elizabeth e seus filhos. Segundo representantes do príncipe, não é possível pontuar onde ele foi contaminado, devido ao grande número de atividades públicas das quais participou nos últimos dias. Seu último conttao com a rainha Elizabeth foi em 12 de março, período anterior à possível contaminação. A monarca de 93 anos está  isolada da família, no Castelo de Windsor, que tem menos funcionários e está mais distante do centro de Londres.

Escândalo sexual do príncipe Andrew ofusca campanha eleitoral britânica

access_time18/11/2019 22:46

Um escândalo de denúncia sexual envolvendo o príncipe Andrew ofuscou a campanha eleitoral do Reino Unido nesta segunda-feira, quando o filho da rainha Elizabeth enfrentou uma forte reação a uma negativa confusa de acusações de sexo com uma adolescente. O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, e seu principal oponente, o líder do Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, haviam planejado divulgar seus planos para a quinta maior economia do mundo antes da eleição de 12 de dezembro. Em vez disso, os discursos foram ofuscados pela explicação de Andrew para seu relacionamento com o falecido financista norte-americano Jeffrey Epstein e pela refutação de ter feito sexo com uma das acusadoras de Epstein, Virginia Giuffre, quando ela tinha 17 anos. Em um evento organizado pelo CBI, o principal lobby britânico do setor empresarial, Johnson foi indagado duas vezes sobre o príncipe Andrew, inclusive se ele compartilhava a “incredulidade da nação” a respeito do relato de Andrew sobre seu comportamento e o que aconselharia a rainha a fazer. “Não serei induzido a comentar questões relativas à família real”, disse Johnson depois de prometer acabar com a incerteza sobre a separação britânica da União Europeia finalizando o processo até 31 de janeiro. Mais cedo, ele havia sido questionado por um repórter se incentivaria o príncipe a cooperar com as autoridades dos Estados Unidos no tocante às ações de Epstein. O premiê respondeu: “Boa tentativa”. Os comentários de Andrew à rede BBC dominaram o noticiário e provocaram o repúdio da mídia nacional, que disse que suas explicações são insatisfatórias. Os advogados das vítimas de Epstein disseram que o príncipe mostrou pouca solidariedade pelas pessoas abusadas. O príncipe, cujo título oficial é Duque de York, disse em uma entrevista à BBC exibida no sábado que não poderia ter feito sexo com uma adolescente na casa de uma socialite de Londres porque voltou ao seu lar após uma festa infantil na noite em questão e que não se lembra de tê-la conhecido. Andrew deu várias razões para sustentar que o relato da vítima, que disse tê-lo conhecido quase duas décadas atrás em um clube noturno londrino dançando e suando antes de fazer sexo com ele, não pode ser verdadeiro. Entre elas está um problema médico que o impede de transpirar, o fato de que “nunca foi festeiro” e de evitar “exibições públicas de afeto”. Mas a mídia britânica publicou fotos de Andrew em diversas festas na companhia de várias mulheres, em algumas das quais ele aparece demonstrando afeto e transpirando claramente.