anuncie aqui 596-81
Notícias recentes
Ministra do Turismo e 5 deputados pedem desfiliação do União Brasil

Ministra do Turismo e 5 deputados pedem desfiliação do União Brasil

access_time11/04/2023 07:11

A ministra do Turismo, Daniela Carneiro, conhecida como Daniela do Waguinho, em referência ao marido

Ministério da Saúde promove Dia D de Mobilização contra a Dengue

Ministério da Saúde promove Dia D de Mobilização contra a Dengue

access_time02/03/2024 08:50

Neste sábado, 2, o Ministério da Saúde promove o Dia D de Mobilização contra a Dengue em todo o Bras

Dieckmann comenta novamente sobre polêmica envolvendo Loreto

Dieckmann comenta novamente sobre polêmica envolvendo Loreto

access_time04/08/2023 11:00

Após fazer um post no Instagram para desmentir os rumores de que o ator José Loreto teria flertado c

Notícias com a tag: aborto

Nova ministra da Mulher defende aborto e desarmamento

access_time04/01/2023 11:20

A nova ministra da Mulher do governo Lula (PT), Aparecida Gonçalves, defendeu o aborto e o desarmamento civil. Para ela, é necessário cautela, de modo a evitar “perda de direitos” das mulheres. Gonçalves aproveitou para atacar o Congresso, por causa do perfil conservador do Parlamento. Embora Lula tenha dito na campanha que era contra o aborto, seu governo caminha para outra direção. “Da forma como está colocado hoje pelo Congresso e da forma como está sendo convocado pelo Senado, qualquer discussão sobre aborto, nós vamos perder mais do que nós vamos avançar”, afirmou Aparecida, em entrevista o jornal Folha de S.Paulo, publicada na terça-feira 3. “O que for possível avançar para legalizar o aborto, nós vamos avançar. Agora, se for para retroceder, é melhor a gente assegurar o que está garantido em leis.” No Brasil, o aborto é considerado legal em casos de estupro, de feto anencéfalo e quando há risco de morte da mãe. Aparecida Gonçalves também defendeu as políticas desarmamentistas propostas pelo governo Lula. Ela diz que o acesso dos civis às armas aumenta o número de assassinato de mulheres e que cidadãos não devem andar armados. “Quanto mais aumenta o direito a posse de armas, mais aumenta o assassinato das mulheres”, observou. “Essa é uma questão muito importante para nós, ela é fundamental. Ela é urgente. Além da urgência da campanha do desarmamento, nós temos que fazer uma campanha com a mulher, de não ódio, de não misoginia.”