anuncie aqui vermelho
Notícias recentes
Comissão encerra discussão do parecer da reforma da Previdência

Comissão encerra discussão do parecer da reforma da Previdência

access_time27/06/2019 08:48

A Comissão Especial da Reforma da Previdência (PEC 6/19) na Câmara dos Deputados encerrou na tarde d

Ministros deixam temporariamente governo para assumir vaga na Câmara

Ministros deixam temporariamente governo para assumir vaga na Câmara

access_time01/02/2019 09:12

Três ministros do governo federal deixam os cargos hoje (1º) para assumir o mandato de deputado fede

Taxa de mortalidade aumenta 36% em MT e estado tem maior índice do Centro-Oeste

Taxa de mortalidade aumenta 36% em MT e estado tem maior índice do Centro-Oeste

access_time18/03/2021 15:34

Dados do Ministério da Saúde apontam que Mato Grosso é o quinto estado com maior taxa de mortalidade

Notícias com a tag: advocacia

Advogados que atuam em MT são alvos do Gaeco-MS por "advocacia predatória"

access_time07/06/2021 08:15

O juiz da Terceira Vara Cível de Cuiabá, Luiz Octávio Saboia Ribeiro, pediu informações ao Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) de Mato Grosso do Sul, sobre três advogados que estariam realizando “advocacia predatória” contra instituições financeiras. Um despacho do último dia 25 de maio revelou que um processo que trata sobre a anulação de descontos em folha de pagamento, proposta por uma cliente do Banco Olé Bonsucesso Consignado, acabou se transformando em diligências envolvendo dois Estados do Centro-Oeste Brasileiro. Segundo informações do processo, o Banco Olé pede a suspensão do processo em razão do advogado que patrocina a cliente. O defensor, identificado como Luiz Fernando Cardoso Ramos, seria o responsável por ajuizar nada menos do que 49.244 ações contra instituições financeiras. A prática, conhecida como “advocacia predatória”, pode ser resumida no fato do advogado sequer conhecer quem está patrocinando, e assinar milhares de processos que possuem conteúdo “genérico” – neste caso, contra bancos. Além de Luiz Fernando Cardoso Ramos, o processo também cita outros dois advogados suspeitos da prática - Alex Fernandes da Silva e Josiane Alvarenga Nogueira, que assinam, respectivamente, 16.078 e 13.288 processos contra instituições financeiras. Os autos revelam ainda que os advogados são residentes de Mato Grosso do Sul. “Mencionados advogados são residentes na cidade de Iguatemi/MS, e movem ações em todo o país, sendo que figuram entre os maiores litigantes individuais contra instituição financeiras do país, vez que somam 78.610 ações”, diz trecho dos autos. O magistrado informou ainda que, somente no período entre janeiro e março deste ano, o Banco Santander foi alvo de 3.159 ações (uma média de 8 mil por dia). O juiz Luiz Octávio Saboia Ribeiro deu 20 dias para o Gaeco/MS enviar informações referentes a um procedimento investigatório criminal (PIC) envolvendo os advogados suspeitos. Após analisar o documento, ele deverá decidir sobre a suspensão dos autos.