anuncie aqui 596-81
Notícias recentes
TSE libera monetização de canais de direita

TSE libera monetização de canais de direita

access_time03/03/2023 17:17

O corregedor-geral do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Benedito Gonçalves, decidiu restab

PF faz operação contra tráfico de drogas em Peixoto, Sorriso e Cuiabá

PF faz operação contra tráfico de drogas em Peixoto, Sorriso e Cuiabá

access_time28/09/2023 11:22

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira, 28/9, a Operação Pelos Ares, com o objetivo reprimir

EUA decretam fim da exigência da vacina contra covid para viajantes

EUA decretam fim da exigência da vacina contra covid para viajantes

access_time03/05/2023 06:00

O governo dos Estados Unidos vai deixar de exigir apresentação de comprovante da vacina contra a cov

Notícias com a tag: apostas

Lula regulamenta apostas, e vencedor vai pagar 30% de imposto

access_time25/07/2023 13:16

O apostador premiado de jogos esportivos passará a pagar imposto de 30% sobre o valor do prêmio. O governo federal publicou a medida provisória (MP) regulamentando o mercado de apostas esportivas no Diário Oficial da União nesta terça-feira, 25. As regras assinadas por Luiz Inácio Lula da Silva já estão em vigor, mas terão de ser analisadas em até 120 dias pelo Congresso Nacional para não perder validade. Projeções do Ministério da Fazenda indicam que o governo pode arrecadar até R$ 2 bilhões, em 2024, com a regulamentação. Como será o mercado de apostas esportivas? As empresas, conhecidas como "bets", serão taxadas em 18% sobre o chamado "Gross Gaming Revenue" (GGR), que é a receita obtida com todos os jogos após o pagamento dos prêmios aos jogadores de apostas esportivas e Imposto de Renda (IR) sobre a premiação. A medida estabelece que as empresas serão taxadas em 18% sobre o GGR, restando 82% da receita para que as "bets" mantenham as operações. As taxas foram distribuídas da seguinte forma: 10% de contribuição para a seguridade social; 0,82% para educação básica; 2,55% ao Fundo Nacional de Segurança Pública; 1,63% aos clubes e atletas que tiverem seus nomes e símbolos ligados às apostas; 3% ao Ministério do Esporte. Além disso, o jogador de apostas esportivas passa a pagar 30% de IR sobre os prêmios recebidos acima da faixa de isenção, que vai até R$ 2.112.

Confira quais jogadores já foram afastados por suspeita de envolvimento em manipulação de jogos

access_time10/05/2023 12:07

Os clubes da Série A do Campeonato Brasileiro começaram a tomar medidas após o avanço da Operação Penalidade Máxima, deflagrada pelo Ministério Público de Goiás. Até o momento, Santos, Fluminense, Cruzeiro e Athletico-PR afastaram jogadores suspeitos de participar de um esquema de manipulação de jogos para lucro com apostas esportivas. Por enquanto, a Justiça de Goiás já tornou 16 pessoas réus. Há a expectativa que mais atletas entrem na mira no MPGO. A ação investiga uma possível manipulação de resultados em 13 partidas de futebol: 8 do Campeonato Brasileiro da Série A de 2022, 1 da Série B de 2022 e 4 de campeonatos estaduais realizados em 2023. Os casos investigados envolvem apostas por lances específicos, como cartões amarelos e vermelhos, além de pênaltis. Abaixo, veja quem já foi afastado das equipes da elite do futebol nacional. Eduardo Bauermann (Santos) Eduardo Bauermann disputa jogada com Hulk durante partida entre Santos e Atlético-MG O primeiro jogador da Série A de 2023 a ser afastado foi o zagueiro Eduardo Bauermann, do Santos. Em comunicado publicado nesta terça-feira, 9, o Peixe avisou que o defensor permanecerá fazendo atividades físicas no CT Rei Pelé, mas que não entrará em campo nos próximos jogos. Na noite da última segunda-feira, a revista “Veja” revelou prints de conversas do atleta com um apostador de uma quadrilha especializada em manipular jogos do futebol nacional para lucrar com apostas esportivas. De acordo com o MPGO, Bauermann teria recebido pelo menos R$ 50 mil para levar um cartão amarelo no duelo contra o Avaí, no Brasileirão 2022, algo que não aconteceu. Cobrado pelo criminoso, o santista aceitou outra aposta: ser expulso no contra o Botafogo na partida seguinte. O zagueiro até tomou o cartão vermelho, mas apenas após o confronto, o que irritou ainda mais o apostador. Oficialmente, o atleta diz ser inocente. Vitor Mendes (Fluminense) Vitor Mendes, do Fluminense, em partida diante do América-MG O Fluminense foi o segundo clube a tomar uma mediada, afastando o zagueiro Vitor Mendes das atividades nesta quarta-feira, 10. O nome do defensor não consta na denúncia que o Ministério Público de Goiás ofereceu à Justiça. O jogador, no entanto, aparece em prints de conversas entre apostadores, divulgadas pelo site “GE.com” nesta terça-feira. Segundo a matéria, há suspeitas de que Vitor Mendes teria recebido R$ 35 mil para tomar um cartão amarelo na partida entre o Juventude, então o time que defendia, e o Fortaleza, no Brasileirão do ano passado. Contratado pelo Fluminense por empréstimo, o zagueiro é reserva na equipe comandada por Fernando Diniz, mas costuma entrar durante as partidas. Richard (Cruzeiro) Uma reportagem do “GE” também fez com que o meio-campista Richard, do Cruzeiro, se afastasse do Cruzeiro. Na época no Ceará, o volante e o lateral Nino Paraíba teriam recebido R$ 40 mil cada para receber cartões amarelos no duelo contra o Cuiabá, pelo Brasileiro 2022. Por causa da matéria, a Raposa avisou que o atleta está “afastado preventivamente das atividades”. O jogador, assim como Vitor Mendes, não consta na denúncia que o Ministério Público de Goiás ofereceu à Justiça. Pedrinho e Bryan Ruiz (Athletico) Pedrinho durante partida do Athletico-PR na Copa do Brasil O lateral Pedrinho, do Athletico-PR, é outro que ainda não é investigado, mas foi citado pelo MP nas conversas obtidas pela investigação. Segundo a apuração, o jovem de 20 anos pode ter recebido quase R$ 100 mil para ser advertido com um amarelo no embate contra o Cuiabá, no Brasileiro do ano passado. Em nota, o Furacão afirmou que afastará o atleta “até que os fatos divulgados nesta quarta-feira (10) sejam rigorosamente apurados”. Pedrinho seria titular no embate contra o Internacional, nesta quarta-feira, 10, pela quinta rodada do Nacional. Horas depois, o clube paranaense também decidiu afastar Bryan Garcia, equatoriano suspeito de ter cometido o mesmo crime.

Ex-diretor preso roubava dinheiro da merenda de escola e usava para fazer apostas

access_time02/03/2023 13:57

Diego Fernando Hermann, 34 anos, ex-diretor da Escola Estadual 13 de Maio, em Nova Guarita, preso na terça-feira (28), por desviar mais de R$ 250 mil de recursos públicos destinado para a unidade escolar, usava o dinheiro para fazer apostas em loterias. De acordo com a Polícia Civil, Diego Fernando desviava os cheques da escola e os depositava em contas de pessoas conhecidas, até professores da Escola 13 de Maio eram usadas como ‘laranjas’. Ele também fazia saques diretos na agência bancária e chegou a compensar um cheque de R$ 3,5 mil em um mercado de Nova Guarita. Entre julho e agosto de 2022, o ex-diretor usou cheques em três ocasiões diferentes para o pagamento de apostas de mais de R$ 11 mil em uma lotérica de Terra Nova do Norte. Em outra situação, ele entregou um cheque no valor de R$ 20.380,00 a um terceiro para, supostamente, realizar o pagamento de um serviço de R$ 380,00, e recebeu de volta R$ 13 mil. Investigações As investigações contra o ex-diretor tiveram início em novembro de 2022, quando representantes do Conselho Deliberativo da Escola Estadual 13 de Maio registraram boletim de ocorrência contra Diego Fernando, na Delegacia de Terra Nova do Norte. Segundo a denúncia, ele teria deixado de prestar conta dos gastos relativos ao ano anterior, além de ter desviado valores que deveriam ser empregados na manutenção do prédio da escola, na merenda escolar, pagamento de internet e compra de materiais de limpeza, entre outros. O ex-diretor assumiu a direção escolar em 2019 e a escola era considerada uma das melhores da região, apresentando estrutura, ensino e manutenção predial em ótimas condições. Ele ficou na função de diretor até meados de 2022, quando foi afastado administrativamente. O Conselho Deliberativo declararou à Polícia Civil que Diego havia solicitado que fossem assinados cheques em branco, sob o argumento que facilitaria o pagamento das despesas escolares. Contudo, conselheiras perceberam que o investigado não realizou os investimentos e a manutenção prevista na escola nos anos de 2021 e 2022, sendo que a unidade chegou ao ponto de ser interditada em meados de 2022 por risco de desabamento. Responsável pelo inquérito policial, o delegado José Getúlio Daniel apontou que, no decorrer da investigação, a análise das microfilmagens dos cheques compensados na conta da escola comprovaram que, em ações fraudulentas, o ex-diretor desviou e se apropriou, em 23 oportunidades, de valores que somam, aproximadamente, R$ 251.330,00. A investigação apurou, ainda, que o ex-diretor não apresentou à Direção Regional de Educação a prestação de contas do ano letivo de 2021, o que apontou indícios de que ele estava praticando condutas ilícitas nas contas da escola.