Spigreen
Notícias recentes
Cooperativa de agricultores de MT beneficia castanha-do-brasil extraída por índios do PA

Cooperativa de agricultores de MT beneficia castanha-do-brasil extraída por índios do PA

access_time21/11/2018 10:57

Uma cooperativa de agricultores de Juruena, a 893 km de Cuiabá, está beneficiando anualmente cerca d

Guaidó anuncia volta à Venezuela e pede mobilização contra o regime

Guaidó anuncia volta à Venezuela e pede mobilização contra o regime

access_time11/02/2020 09:58

O líder da oposição e presidente do Parlamento da Venezuela, Juan Guaidó, anunciou hoje (11) que vol

Mais de 600 mil infrações de trânsito são registradas em 2019 em MT; alta velocidade lidera

Mais de 600 mil infrações de trânsito são registradas em 2019 em MT; alta velocidade lidera

access_time04/12/2019 10:42

Mato Grosso registrou 655,5 mil infrações de trânsito de janeiro a 2 de dezembro deste ano, conforme

Notícias com a tag: auxilio-emergencial

Mais 4 milhões recebem novas parcelas do auxílio nesta segunda

access_time17/08/2020 07:51

Mais 4 milhões de beneficiários recebem novas parcelas do auxílio emergencial de R$ 600 nesta segunda-feira (17). A Caixa vai depositar na conta poupança digital a primeira, segunda, terceira e quarta parcelas para 3,9 milhões nascidos em setembro, que fazem parte do ciclo 1 do calendário. Outros 97 mil nascidos em setembro do último lote liberado também vão receber. Na terça (18), os beneficiários do Bolsa Família começam a receber a quinta e última parcela. Esse grupo segue o calendário regular de pagamento do programa, que é realizado nos dez últimos dias úteis de cada mês, de forma escalonada, de acordo com o NIS (Número de Identificação Social). Para os demais, o auxílio primeiro é depositado na conta poupança digital, em que o beneficiário pode movimentar para pagamento de boletos, conta de água, luz e telefone, além de fazer compras, por meio do aplicativo Caixa Tem. O resgate em dinheiro e transferência só são liberados no calendário de saque. Organizado por ciclos, o pagamento das cinco parcelas do auxílio emergencial vai até dezembro para os cadastrados pela Caixa e CadÚnico. O novo lote também foi incluído nessas datas. O auxílio, criado para combater os impactos da pandemia de covid-19 na população de baixa renda e trabalhadores informais, já foi pago para 66,2 milhões de pessoas, num total de R$ 156,8 bilhões. O valor é de R$ 600, mas para mães chefes de família chega a R$ 1.200. Calendário da 5ª parcela ao Bolsa Família NIS final 1 - 18 de agosto NIS final 2 - 19 de agosto NIS final 3 - 20 de agosto NIS final 4 - 21 de agosto NIS final 5 - 24 de agosto NIS final 6 - 27 de agosto NIS final 7 - 28 de agosto NIS final 8 - 29 de agosto NIS final 9 - 30 de agosto NIS final 0 - 31 de agosto Calendário para os demais beneficiários Para o ciclo 1 Pagamento da 4ª parcela para quem recebeu a 1ª em abril Pagamento da 3ª parcela para quem recebeu a 1ª em maio Pagamento da 2ª parcela para quem recebeu a 1ª em junho ou até 4 de julho Pagamento da 1ª parcela para quem se cadastrou entre 17 de junho e 2 de julho Crédito em poupança digital 17 de agosto - nascidos em setembro 19 de agosto - nascidos em outubro 21 de agosto - nascidos em novembro 26 de agosto - nascidos em dezembro Saque em dinheiro 22 de agosto - nascidos em junho 27 de agosto - nascidos em julho 1º de setembro - nascidos em agosto 5 de setembro - nascidos em setembro 12 de setembro - nascidos em outubro e novembro 17 de setembro - nascidos em dezembro Para o ciclo 2 Crédito da 5ª parcela para quem recebeu a 1ª em abril de 2020 Crédito da 4ª parcela para quem recebeu a 1ª em maio de 2020 Crédito da 3ª parcela para quem recebeu a 1ª em junho de 2020 Crédito da 2ª parcela para quem recebeu a 1ª em julho de 2020 Crédito em poupança digital 28 de agosto - nascidos em janeiro 2 de setembro - nascidos em fevereiro 4 de setembro - nascidos em março 9 de setembro -  nascidos em abril 11 de setembro -  nascidos em maio 16 de setembro - nascidos em junho 18 de setembro - nascidos em julho 23 de setembro - nascidos em agosto 25 de setembro - nascidos em setembro 28 de setembro - nascidos em outubro e novembro 30 de setembro - nascidos em dezembro Saque em dinheiro 19 de setembro - nascidos em janeiro 22 de setembro - nascidos em fevereiro 29 de setembro- nascidos em março 1º de outubro- nascidos em abril 3 de outubro- nascidos em maio 6 de outubro- nascidos em junho 8 de outubro- nascidos em julho 13 de outubro- nascidos em agosto 15 de outubro- nascidos em setembro 20 de outubro- nascidos em outubro 22 de outubro- nascidos em novembro 27 de outubro- nascidos em dezembro Para o ciclo 3 Pagamento da 5ª parcela para quem recebeu a 1ª parcela em maio Pagamento da 4ª parcela para quem recebeu a 1ª em junho Pagamento da 3ª parcela para quem recebeu a 1ª parcela em julho Crédito em poupança digital 9 de outubro - nascidos em janeiro e fevereiro 16 de outubro - nascidos em março e abril 23 de outubro - nascidos em maio e junho 30 de outubro - nascidos em julho e agosto 6 de novembro -  nascidos em setembro e outubro 13 de novembro - nascidos em novembro e dezembro Saque em dinheiro 29 de outubro - nascidos em janeiro e fevereiro 3 de novembro -  nascidos em março e abril 10 de novembro -  nascidos em maio e junho 12 de novembro - nascidos em julho e agosto 17 de novembro - nascidos em setembro e outubro 19 de novembro - nascidos em novembro e dezembro Para o ciclo 4 Pagamento da 5ª parcela para quem recebeu a 1ª em junho Pagamento da 4ª e da 5ª parcelas para quem recebeu a 1ª em julho Crédito em poupança digital 16 de novembro - nascidos em janeiro e fevereiro 18 de novembro - nascidos em março e abril 20 de novembro - nascidos em maio e junho 23 de novembro - nascidos em julho e agosto 27 de novembro - nascidos em setembro e outubro 30 de novembro - nascidos em novembro e dezembro Saque em dinheiro 26 de novembro - nascidos em janeiro e fevereiro 1º de dezembro- nascidos em março e abril 3 de dezembro- nascidos em maio e junho 8 de dezembro- nascidos em julho e agosto 10 de dezembro- nascidos em setembro e outubro 15 de dezembro- nascidos em novembro e dezembro

Caixa libera saque de 2ª parcela de auxílio para nascidos em setembro

access_time09/06/2020 08:25

A Caixa Econômica Federal encerra no próximo sábado (13) o calendário de liberação de saques e transferências da segunda parcela do auxílio emergencial de R$ 600 (R$ 1,2 mil para mães solteiras), criado para ajudar as pessoas a enfrentar os impactos da crise causada pela pandemia de covid-19. Hoje (9), será feita a liberação para 2,6 milhões de beneficiários nascidos em setembro. A liberação do saque e a transferência da poupança social da Caixa para outros bancos estão sendo feitas de acordo com o mês de nascimento dos beneficiários. Os recursos estão sendo transferidos automaticamente para as contas indicadas. Amanhã (10), será liberado o saque para 2,6 milhões nascidos em outubro; na quinta-feira (11), feriado, não haverá liberação; na sexta-feira (12), para 2,5 milhões nascidos em novembro; e no sábado (13), para 2,5 milhões nascidos em dezembro. Segundo a Caixa, quem não sacar o auxílio nesse período continua com o crédito disponível nas contas indicadas e poderá realizar o saque, independentemente do dia de nascimento, a partir da próxima segunda-feira (15). A transferência dos valores será feita para quem indicou contas para recebimento em outros bancos ou poupança existente na Caixa. Com isso, esses beneficiários poderão procurar as instituições financeiras com quem têm relacionamento, caso queiram sacar. Segundo a Caixa, mais de 50 bancos participam da operação de pagamento do auxílio emergencial. Todos os beneficiários do Bolsa Família elegíveis para o auxílio emergencial já receberam o crédito da segunda parcela.

Cerca de 11 mi estão em análise para receber auxílio de R$ 600

access_time01/06/2020 16:51

A Caixa Econômica Federal divulgou nesta segunda-feira (1º) que cerca de 11 milhões de brasileiros ainda estão em processo de análise ou reanálise para receber o auxílio emergencial de R$ 600.  "Assim que a Dataprev terminar a análise e o benefício for validado pelo Ministério da Cidadania, nós receberemos as informações dos novos elegíveis e vamos pagar a primeira parcela", afirmou o presidente do banco estatal, Pedro Guimarães. De acordo com a Caixa, foram contabilizados 106,8 milhões de cadastros para o recebimento do benefício, dos quais 42,2 milhões foram considerados inelegíveis. Entre eles, há 5,3 milhões em reanálise. Outros 5,6 milhões estão no primeiro processo de avalição. "Mais de metade da população brasileira se cadastrou para o recebimento desse benefício. 59 milhões já foram aprovados e temos 10,9 milhões em análise", pontuou Guimarães. Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o Pais conta com cerca de 211 milhões de habitantes. Para quem recebeu a primeira parcela do auxílio nos últimos dias, Guimarães disse que haverá um "espaçamento" para os próximos pagamentos. "Quem recebeu a primeira há 10 dias, deve receber a segunda nas próximas semanas", garantiu. O benefício de ajuda do governo federal foi liberado para trabalhadores informais, desempregados, microempreendedores individuais, intermitentes e toda população de baixa renda. Saques Ao comentar sobre a quantidade de saques no final de semana, a Caixa revela que já foram realizadas 499 mil transações para a retirada de R$ 324,3 milhões por nascidos no mês de janeiro. Houve ainda nos últimos dois dias 735,5 mil movimentações dos recursos d auxílio emergencial pelo aplicativo do Caixa Tem, que permite comprar apenas com o uso do aparelho celular. “Significa que o aplicativo já realiza um número maior de saques do que aqueles em que você precisa comparecer nas agências ou nas lotéricas”, destaca Guimarães. Para o presidente da Caixa, os números comprovam a eficiência do sistema adotado pelo banco. “Isso vai na direção de reduzir a necessidade das pessoas de irem às agências. E vai na direção do que queremos, de acelerar o pagamento, reduzindo qualquer aglomeração”, comemora ele.

BC pede produção extra de dinheiro para pagamento do auxílio emergencial

access_time08/05/2020 12:14

O Brasil enfrenta a ameaça de insuficiência de cédulas de dinheiro para pagar o auxílio emergencial a 60 milhões de pessoas em situação de vulnerabilidade pela crise do coronavírus, com os estoques atuais considerados baixos pelo Banco Central, segundo duas fontes e um documento visto pela Reuters. A pedido do BC, a Casa da Moeda, que é responsável pela produção das cédulas, solicitou na segunda-feira aos seus funcionários que aumentem a produção de dinheiro físico a partir deste mês para fazer frente ao pagamento do auxílio emergencial, segundo ofício obtido pela reportagem. A estatal fala que pagará hora extra conforme necessário e diz que a questão é “urgente”, de acordo com o documento visto pela Reuters. O programa de auxílio emergencial de 600 reais por mês para aqueles que não têm contratos regulares de trabalho passou por um lançamento que enfrentou problemas, com a formação de enormes filas em frente às agências da Caixa Econômica Federal, trazendo risco de contágio em meio à pandemia de coronavírus. Algumas pessoas que não têm contas bancárias regulares até acamparam na porta das agências durante a noite. Os tropeços iniciais no programa aprovado pelo Congresso vêm em meio a crescentes críticas de que o governo do presidente Jair Bolsonaro não tomou medidas drásticas o suficiente para estimular uma economia que, segundo algumas previsões, poderá encolher em dois dígitos este ano. Cerca de um terço da população do Brasil é desbancarizada, um porcentual maior do que na China e até na Índia, de acordo com o Banco Mundial, obrigando o país a depender muito de dinheiro físico, mesmo quando cartões de crédito e outras formas de pagamento se tornam mais comuns em outros lugares. O governo começou a pagar uma parcela inicial do programa no início de abril, mas atrasou a segunda, inicialmente prevista para o final do mês passado. Um novo cronograma deve ser lançado em breve para o programa, que tem duração de três meses. Uma das fontes disse que a escassez de cédulas de dinheiro levou ao atraso da segunda parcela, enquanto outra disse que o pagamento ainda não tinha ocorrido porque a primeira parcela ainda estava sendo paga, o que causaria mais tumulto nas agências. Esta pessoa, porém, confirmou que há uma escassez de moeda que preocupou o governo. ESTOQUE DE SEGURANÇA O secretário de Política Econômica, Adolfo Sachsida, disse à Reuters que havia um “problema técnico com as fontes de pagamento” dos fundos, mas negou que houvesse qualquer problema com falta de moeda. “Se, por acaso, houver falta de dinheiro, falta de notas físicas, encontraremos uma maneira de corrigir isso”, disse ele. O Banco Central, que supervisiona a oferta de moeda, confirmou que está em negociações com a Casa da Moeda para antecipar o recebimento da produção contratada para o ano, dizendo que já houve um aumento de 23% na quantidade de moeda forte em circulação em abril, um aumento de 55,5 bilhões de reais em relação ao ano anterior, segundo declaração enviada à Reuters. Algumas dessas cédulas estão sendo acumuladas por indivíduos e empresas para formação de reservas, por preocupações com a crise, e porque, com grande parte da economia fechada, há menos lugares para gastar dinheiro no comércio em geral, disse o órgão regulador. O BC também ponderou que “parcela considerável” dos valores pagos em espécie no auxílio emergencial ainda não voltou ao sistema. Só em abril, foram pagos 35,8 bilhões de reais no total, entre depósitos em conta e liberação em espécie, segundo dados do Tesouro. “A consulta (à Casa da Moeda) visa construir estoques de segurança e mitigar eventuais consequências do fenômeno de entesouramento que se observa desde o início da pandemia”, afirmou o BC. As negociações têm como objetivo aumentar a produção semanal de dinheiro da Casa da Moeda em 40%, segundo o presidente do sindicato dos servidores do órgão Aluízio da Silva Junior, acrescentando que o sindicato ainda não decidiu sobre a questão, que deve ser analisada em assembleia na próxima semana. O Banco Central disse não ter conhecimento de atrasos nos pagamentos da ajuda. O Ministério da Cidadania, responsável pelos fundos de emergência, não respondeu a um pedido da Reuters para comentar o assunto. A Caixa Econômica Federal, banco responsável pelos pagamentos, também disse que não comentaria. O número de pessoas que procuram o auxílio emergencial surpreendeu as autoridades do governo, que esperavam pagar 98 bilhões de reais a 54 milhões de brasileiros. Cálculos oficiais recentes, no entanto, atualizaram o número para 124 bilhões de reais e 60 milhões de pessoas —equivalente à população da Itália. A Caixa Econômica estima que cerca de 30 milhões de contas digitais serão abertas por pessoas não bancarizadas como consequência do pagamento de emergência, um legado que pode ajudar a inclusão financeira depois da pandemia.