anuncie aqui
Notícias recentes
Paulo Vieira de Souza, apontado como operador do PSDB, é preso novamente

Paulo Vieira de Souza, apontado como operador do PSDB, é preso novamente

access_time30/05/2018 07:52

O ex-diretor da Dersa, Paulo Vieira de Souza, apontado como operador do PSDB, foi novamente preso pr

Erradicação do Trabalho Infantil é tema de capacitação em Peixoto de Azevedo.

Erradicação do Trabalho Infantil é tema de capacitação em Peixoto de Azevedo.

access_time08/06/2018 11:08

A Secretaria Municipal de Assistência Social através do Creas está realizando uma capacitação para o

Às vésperas do prazo final, 11 partidos têm convenção no fim de semana

Às vésperas do prazo final, 11 partidos têm convenção no fim de semana

access_time04/08/2018 07:48

Em meio a dificuldades para definição de vices e composição de alianças, no último fim de semana par

Notícias com a tag: datafolha

87% dos brasileiros apoiam greve dos caminhoneiros e rejeitam alta de imposto e corte de gasto, diz Datafolha

access_time30/05/2018 08:08

Uma pesquisa do Datafolha divulgada nesta quarta-feira (30) mostra que 87% dos brasileiros apoiam a paralisação dos caminhoneiros, mas o mesmo percentual rejeita cortes no orçamento e aumento de imposto para atender às reivindicações da categoria. O levantamento com 1,5 mil pessoas aponta que apenas 10% são contra a paralisação dos caminhoneiros, 2% são indiferentes e 1% não soube opinar. Sobre a continuidade da paralisação, porém, o apoio diminui: 56% acham que ela deve continuar enquanto 42% defendem o seu fim. Veículo de Dracena tem mensagem de apoio à greve dos caminhoneiros (Foto: Mariana Gouveia/TV Fronteira) A pesquisa telefônica foi feita na terça-feira (29), dia em que os bloqueios diminuíram e os caminhões começaram a circular com mais frequência nas estradas do país. A margem de erro do levantamento é de três pontos para mais ou para menos. Contra aumento de impostos Embora seja solidário às reivindicações dos caminhoneiros, 87% dos entrevistados não concorda com as medidas encontradas pelo governo para atender os caminhoneiros. Apenas 10% aprovaram o aumento de impostos e o corte dos gastos federais, dentro de uma paleta bastante variada de opões. As medidas anunciadas pelo governo para acabar com a greve são: desconto de R$ 0,46 no litro do diesel por 2 meses; estabelecimento de uma tabela de preços mínimos por km rodado no transporte rodoviário de cargas; isenção de pedágio para eixos suspensos e reserva de 30% dos fretes da Conab destinado a caminhoneiros autônomos. O desconto no diesel vai custar R$ 9,5 bilhões até o fim do ano. Uma parte desse valor vai ser compensada por corte de despesas e por uma reserva do orçamento. O governo também cogitou aumentar tributos, mas um dia depois voltou atrás. Negociação A avaliação sobre a condução da negociação entre o governo Michel Temer e os caminhoneiros também foi alvo da sondagem: 77% desaprovaram, 16% acham que foi regular, 6% aprovaram e 1% não souberam avaliar. Para 96%, Temer demorou para negociar, contra 3% que consideram que o presidente o fez no momento correto.