anuncie aqui 596-81
Notícias recentes
Homem é baleado em Peixoto de Azevedo e suspeito preso

Homem é baleado em Peixoto de Azevedo e suspeito preso

access_time28/04/2023 11:06

Um jovem, de 22 anos, foi baleado na rua Corumbá, no bairro Santa Isabel, ontem à tarde, em Peixoto

Rony marca no final, Palmeiras vira sobre a Inter de Limeira e lidera grupo no Paulistão

Rony marca no final, Palmeiras vira sobre a Inter de Limeira e lidera grupo no Paulistão

access_time25/01/2024 06:17

Nesta quarta-feira, o Palmeiras conquistou sua primeira vitória no Campeonato Paulista. No Allianz P

Bandidos invadem residência e furtam eletrônicos e mais de R$ 1 mil em Peixoto de Azevedo

Bandidos invadem residência e furtam eletrônicos e mais de R$ 1 mil em Peixoto de Azevedo

access_time18/05/2023 18:04

O morador, de 37 anos, do bairro Santa Izabel, esteve na delegacia de Polícia Civil, hoje, alegando

Notícias com a tag: economia

Mercado eleva projeção para juros e inflação e reduz crescimento do país

access_time13/02/2023 12:33

Os analistas do mercado financeiro elevaram novamente a previsão de inflação e para a taxa básica de juros, a Selic, para o fim deste ano e para 2024. O relatório do Boletim Focus foi divulgado nesta segunda-feira, 13, pelo Banco Central (BC). A inflação, medida pelo IPCA, índice que é usado pelo governo, deve fechar o ano em 5,79%, preveem os analistas. Há uma semana, a projeção era de 5,78%. A meta central de inflação foi fixada em 3,25% e será considerada formalmente cumprida ficar entre 1,75% e 4,75%, em 2023. Já a expectativa com a taxa de juros para o fim do ano saiu de 12,50% para 12,75% ao ano. Atualmente, a Selic está em 13,75%. A piora nas projeções ocorre em meio a uma escalada das críticas do presidente Luiz Inácio Lula da Silva nas últimas semanas à política de manutenção dos juros adotada pelo BC. Para 2024, a projeção dos analistas é que a inflação irá subir de 3,93% para 4%. É a quarta elevação seguida estimada pelo mercado financeiro. Em relação à taxa de juros, para o fim de 2024, a estimativa aumentou de 9,75% para 10% ao ano. Já em relação ao Produto Interno Bruto (PIB), o mercado reduziu a previsão de crescimento do país para este ano. De 0,79% caiu para 0,76%. Para 2024, a projeção do PIB permaneceu estável em 1,5%.