anuncie aqui vermelho
Notícias recentes
Projetos de lei e 121 hidrelétricas previstas ameaçam a biodiversidade no Pantanal

Projetos de lei e 121 hidrelétricas previstas ameaçam a biodiversidade no Pantanal

access_time29/06/2019 09:28

Mesmo após mais de dois séculos de ocupação humana, o Pantanal mantinha 83,2% de sua área de florest

Terra Nova cria central de monitoramento do Coronavírus e disponibiliza telefone para dúvidas e informações

Terra Nova cria central de monitoramento do Coronavírus e disponibiliza telefone para dúvidas e informações

access_time26/03/2020 07:45

A Secretaria de Saúde de Terra Nova do Norte em parceria com o Gabinete de Enfrentamento do Coronaví

Ministro Marco Aurélio completa 31 anos no STF

Ministro Marco Aurélio completa 31 anos no STF

access_time14/06/2021 08:59

Neste domingo, 13, o ministro Marco Aurélio completou 31 anos como integrante do STF. Entre importan

Notícias com a tag: garimpeiro

Dia do Garimpeiro em Mato Grosso será comemorado em live

access_time16/07/2021 07:17

A tradicional comemoração do Dia do Garimpeiro, 21 de julho, será realizada virtualmente este ano na região Norte de Mato Grosso. A “Live Novos Garimpeiros” será realizada em Peixoto de Azevedo e transmitida pelo YouTube às 19h30 (horário de Mato Grosso). Programada para ter 2h30 de duração, a live terá atrações musicais com a participação de artistas locais, como Maik&Ciel, Alcirene Matos, Dircel Acústico e Beatriz Freitas, premiação do concurso de poesia, exibição de vídeos mostrando os avanços da pequena mineração em Mato Grosso e, ainda, o lançamento oficial do Projeto Garimpo 4.0. Desenvolvida pela Anoro – Associação Nacional do Ouro, a iniciativa visa incentivar a legalização do garimpo, levar orientação sobre as boas práticas na atividade e a proteção ambiental. Localizado no Norte de Mato Grosso, Peixoto de Azevedo tem como principal base da sua economia a mineração de ouro. A data é tão importante para a cidade que virou feriado local. O município também é sede da maior cooperativa de garimpeiros do Brasil, a Coogavepe – Cooperativa dos Garimpeiros do Vale do Rio Peixoto, que possui hoje mais de 5 mil associados e atende 8 municípios da região. Com o crescimento da legalização da atividade da pequena mineração, está sendo possível mensurar a importância do setor para a economia de Mato Grosso. A região movimentou em 2021 o montante de R$ 1,3 bilhão em ouro e arrecadou R$ 28,9 milhões em impostos (Cefem e Iof-ouro). Em 2020, a comemoração que era tradição deixou de ser realizada devido a pandemia da Covid-19. Este ano, a realização da “Live Novos Garimpeiros” foi a forma encontrada para manter a tradição. O QUE? LIVE NOVOS GARIMPEIROS  QUANDO: 21 DE JULHO LOCAL: PEIXOTO DE AZEVEDO  HORÁRIO: 19h30 HORÁRIO DE MT TRANSMISÃO: YOUTUBE CANAL DA DP MARKETING DIGITAL  LINK:  https://youtu.be/qxycE-pxywo

Grande minerador de Mato Grosso defende ampliar benefícios fiscais

access_time15/07/2021 13:36

O empresário do ramo da mineração Valdiney Mauro de Sousa defendeu a ampliação de benefícios fiscais para o setor de mineração em Mato Grosso. O gestor, que é considerado um dos maiores exportadores de ouro do Estado, foi ouvido pela CPI da Sonegação Fiscal na segunda-feira (14). Valdiney disse que o benefício atrairia novos investidores para o Estado. A ideia, contudo, vai na contramão do que defende o próprio governo, que desde o início da gestão vem realizando o corte de incentivos para acabar com a "mamata" de diversos setores. "O Estado tem que incentivar as grandes mineradoras virem pra cá e começa pelo incentivo fiscal. O grande atrativo é a facilidade. Por exemplo: vem uma empresa canadense no Pará, o cara investiu 100 milhões de dólares e com 5, 6 anos não sai a licença ambiental. O que um cara desse faz? Ele vai embora porque é muita burocracia", expressou. No depoimento que durou cerca de 40 minutos, Valdiney criticou a burocracia da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema) para liberar as licença ambientais para a exploração e também os garimpeiros que atuam de forma ilegal. "Temos que tirar o garimpeiro para virar minerador, tem que ser criado uma mine-mineração. A partir do momento que ele virar uma portaria de lavra, ele vai pagar um pouco mais de imposto e o grande investidor vai ter o interesse de vir conhecer. Quando a gente fala garimpeiro por aí todo mundo leva susto e imagina que é um cara com picareta na cabeça e mercúrio", disse. Ao final da oitiva, o presidente da CPI deputado Wilson Santos (PSDB) afirmou que o empresário admitiu que o setor possui "grandes sonegadores" e propôs uma nova política de impostos ao setor. "O Valdiney Sousa é um dos maiores empresários do Estado e admitiu que existe sonegação no setor. Ele também falou que a burocratização da Sema só atrapalha a atração de novos investidores nacionais e internacional. Ele defendeu a flexibilização do licenciamento ambiental e está aberto a uma nova taxação no setor tendo em vista que o ouro paga 2,5% quando fica em território nacional", colocou. Ainda de acordo com o tucano, a CPI caminha para a última etapa, onde vai investigar o setor dos frigoríficos e do agronegócio. Os documentos e relatórios de todas as oitivas serão encaminhadas para o relator da comissão deputado Nininho (PSD). A expectativa é que o relatório final seja apresentado em novembro. "Vamos concluir os trabalhos e apresentar para a sociedade estadual. Depois disso, vamos sugerir a essa Casa de Leis as medidas para reduzir a sonegação fiscal em Mato Grosso", concluiu. A CPI da Renúncia e Sonegação Fiscal foi instalada no dia 12 de março de 2019, para investigar indícios de sonegação de impostos e renúncias fiscais indevidas em Mato Grosso. Contudo, os trabalhos foram suspensos em virtude dos problemas sanitários ocasionados pela pandemia do novo coronavírus. CPI da Sonegação A Comissão é subdividida em cinco sub-relatorias, de mineração, agronegócio, combustíveis, frigoríficos e incentivos fiscais. Em 2019, o então vice-presidente da CPI da Renúncia e Sonegação Fiscal, deputado Carlos Avallone (PSDB), apresentou o relatório da sub-relatoria do setor de combustíveis. Esse relatório apontou que, em 2018, o Brasil deixou de arrecadar R$ 626,8 bilhões (7,7% do PIB nacional). No mesmo ano, em Mato Grosso, o estado deixou de arrecadar cerca de R$ 1,9 bilhão por causa da sonegação, que corresponde a 1,5% do PIB estadual.