anuncie aqui 596-81
Notícias recentes
Sete presos fazem buraco em tela de cela e fogem de penitenciária em Peixoto de Azevedo

Sete presos fazem buraco em tela de cela e fogem de penitenciária em Peixoto de Azevedo

access_time07/08/2023 21:19

Sete presos fizeram um buraco na tela de uma cela e fugiram do Centro de Detenção Provisória (CDP) e

"São meus amigos e meus padrinhos políticos, sim", diz Fávaro sobre relação com os Maggi

access_time18/08/2023 06:22

Durante seu depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do MST, nesta quinta-feira (17), o

Rony marca no final, Palmeiras vira sobre a Inter de Limeira e lidera grupo no Paulistão

Rony marca no final, Palmeiras vira sobre a Inter de Limeira e lidera grupo no Paulistão

access_time25/01/2024 06:17

Nesta quarta-feira, o Palmeiras conquistou sua primeira vitória no Campeonato Paulista. No Allianz P

Notícias com a tag: medica

Prefeitura investiga morte suspeita de menina de 3 anos em UPA; médica foi afastada

access_time13/03/2023 10:12

A pequena Manoella Tecchio, de apenas 3 anos de idade, morreu na última quinta-feira (09) em uma Unidade de Pronto Atendimento de Sinop, após dar entrada com tosse seca. A Prefeitura Municipal determinou abertura de uma sindicância para apurar o caso e afastou a médica responsável pelo atendimento. Conforme sites locais, o pai de Manoella contou que a menina estava com sintomas de gripe e, na segunda-feira (06), apresentou tosse seca. Eles a levaram até a UPA e a médica pediu exame de sangue e urina, que não teria constatado nada. A profissional, então, teria medicado um remédio para tosse alérgica e mandou a criança para casa. Porém, a menina não melhorou e, na terça-feira (07), voltaram a levá-la até a UPA. Manoella foi examinada novamente. “Quando fizeram o Raio-X, o pulmão já estava completamente comprometido. Já não tinha o que fazer. De imediato eles disseram que iriam precisar de UTI Neonatal, porém Sinop não tem e eles iriam solicitar para Sorriso, Lucas do Rio Verde ou Alta Floresta para poder levar ela”, contou o pai. Apesar do pedido, nenhuma das cidades tinha leito disponível. Os profissionais da UPA tentaram realizar um procedimento para salvar a criança ali mesmo, mas a menina não resistiu. “A gente não sabe o que aconteceu e como foi feito, pois a gente não teve acesso e a gente não sabe se foi feito algum tipo de drenagem ou não. Simplesmente Manoella teve quatro paradas cardíacas e na quinta ela não resistiu e acabou falecendo”, lembra o pai. Ainda segundo informou o pai da menor, a causa da morte apontada pela unidade médica seria choque séptico e pneumonia. Após a repercussão do caso, a Prefeitura de Sinop se manifestou sobre a morte da menor e emitiu nota, afirmando que determinou ao Instituto de Gestão de Políticas Públicas (IGPP), abertura de sindicância para apurar o atendimento e os protocolos adotados que envolveram a morte. “A sindicância implica no afastamento das atividades profissionais da médica que atendeu a paciente. Para que a investigação dos fatos não seja afetada, a medica deverá permanecer afastada da instituição de saúde até que as investigações sejam concluídas. Com isso, a profissional, ficará impedida de acessar as instalações da UPA”, diz trecho. Confira a nota completa: "A Prefeitura de Sinop determinou, ao Instituto de Gestão de Políticas Públicas (IGPP), que faz a gestão da unidade, a abertura, imediata, de uma sindicância para apurar o atendimento e os protocolos adotados que envolveram a morte de uma paciente de 03 anos, na Unidade de Pronto Atendimento de Sinop, drª Anete Mota Maria Maria (UPA 24h), ocorrido no dia 08 de março. A sindicância implica no afastamento das atividades profissionais da médica que atendeu a paciente. Para que a investigação dos fatos não seja afetada, a medica deverá permanecer afastada da instituição de saúde até que as investigações sejam concluídas. Com isso, a profissional, ficará impedida de acessar as instalações da UPA. A secretária de Saúde, Daniela Galhardo, informou que toda suspeita precisa ser apurada. “Nós não podemos fazer julgamentos precipitados, mas precisamos apurar como foi realizado o atendimento. Por isso, determinamos a abertura da investigação, que culminou com o afastamento da profissional” . A paciente de 3 anos, foi admitida na Unidade de Pronto Atendimento de Sinop (UPA 24h), no dia 7 de março, com queixa de deficiência respiratória, tendo, em poucas horas, um agravamento do seu quadro clínico. De acordo com a direção da unidade, todos os protocolos médicos foram aplicados, no entanto, na madrugada do dia 08 de março, a paciente evoluiu a óbito."