ALUGAR CAMPO
Notícias recentes
Adolescente é apreendido pela Polícia Civil após perseguir ex-namorada

Adolescente é apreendido pela Polícia Civil após perseguir ex-namorada

access_time06/02/2024 05:54

A Delegacia de Peixoto de Azevedo apreendeu, na segunda-feira (05.02), um adolescente pelo crime de

Modelo de rede digital afeta desenvolvimento infantil, diz secretário

Modelo de rede digital afeta desenvolvimento infantil, diz secretário

access_time11/10/2023 09:35

O uso excessivo ou inadequado de dispositivos digitais por crianças e adolescentes está ligado ao au

Fotos nuas de Michael Jackson podem ser compartilhadas

Fotos nuas de Michael Jackson podem ser compartilhadas

access_time05/04/2024 08:31

As fotos nuas de Michael Jackson podem ser compartilhadas com o mundo depois que dois homens que afi

Notícias com a tag: pmmt

Investigador xingou PM de "policial de b." e matou porque achou que era bandido, diz advogado

access_time28/04/2023 14:01

O advogado Rodrigo Pouso de Miranda declarou nesta sexta-feira (28), em entrevista a reportagem, que o policial militar Thiago de Souza Ruiz foi morto na madrugada de quinta-feira (27), porque foi confundido com bandido pelo investigador da Polícia Civil, Mário Wilson Vieira Gonçalves. Pouso é advogado da família da vítima, que morreu com cinco tiros em uma conveniência de Cuiabá. De acordo com o jurista, os dois se conheceram naquele dia, a partir de um amigo em comum. E, pela primeira vez, sentaram em uma mesa para tomar cervejas. "Antes de sentarem, houve uma conversa inicial e o Mário disse que o Thiago seria 'um policial de bosta'. A partir daí, gerou uma desconfiança que foi apaziguada pelo Gilson, que aparece de camisa preta no vídeo", disse. Em seguida, enquanto estavam sentados na mesa da conveniência tomando cerveja, o PM Thiago Ruiz levantou a camisa para mostrar uma cicatriz nas proximidades da coluna, que teria relação com sua atividade policial. A partir daí, o investigador Mário Wilson pega a arma do PM e começa a questionar se realmente era PM ou criminoso, o que foi considerado por Thiago Ruiz uma ofensa verbal. "Em nossa avaliação, se trata de um investigador completamente despreparado para a função que exerce. O correto seria ter tirado a arma, se afastado e exigido a identificação do policial militar se, de fato, houvesse alguma dúvida a respeito da identidade do Thiago. Esse despreparo levou a uma morte por motivo fútil", disse. O advogado Ricardo Monteiro, responsável pela defesa do investigador Mário Wilson, confirmou que o autor e a vítima se conheceram no dia do fato. E ainda confirmou a versão de que o investigador entendeu que estava numa situação de risco, o que motivou os disparos. "Não havia uma relação de amizade. Sequer se conheciam. A primeira vez que viu essa pessoa na vida foi na loja de conveniência. Ele viu a arma na cintura da pessoa e, pela postura da pessoa, entendeu que aquilo não era conduta de alguém da polícia e poderia ser problema. Daí se identificou como investigador e tirou a arma. E daí ocorre o que está registrado no vídeo", revelou.

Investigador da Polícia Civil matou cabo da PM após desentendimento

access_time27/04/2023 09:02

O cabo da Polícia Militar Thiago de Souza Ruiz, 36 anos, foi morto após se desentender com um investigador da Polícia Civil, na madrugada desta quinta-feira (27), em uma conveniência próxima à Praça 8 de Abril, no bairro Quilombo, em Cuiabá. Conforme apurado pela reportagem, Thiago estava na conveniência, quando se desentendeu com um investigador da Polícia Civil. Os dois entraram em luta corporal e o policial civil atirou no militar. O cabo chegou a ser socorrido em estado grave e levado até o Hospital Jardim Cuiabá, mas não resistiu. O policial civil fugiu logo após o crime em um Corolla e ainda não foi encontrado. Uma testemunha, também policial civil, entregou a arma usada no crime. Em nota, a Polícia Civil informou que o investigador afirmou que irá se apresentar espontaneamente ainda nesta quinta. O caso é investigado.

Líder de facção criminosa morre em confronto com a PM de Matupá

access_time28/02/2023 10:27

Líder de uma facção criminosa morreu nessa segunda-feira (27), em Matupá, ao reagir à abordagem de uma equipe da Patrulha Rural da Polícia Militar. Com o criminoso, foram encontrados R$ 147, além de 13 pacotes de cocaína e um carregador calibre 45 com cinco munições intactas. De acordo com o boletim de ocorrência, em quatro meses aconteceram seis homicídios por arma de fogo na cidade. A Polícia Militar acredita que os crimes ocorreram por briga de território do tráfico de drogas e iniciou ações de repressão. Na segunda, um dos alvos da ação seria o suposto líder da facção. Durante patrulhamento, foi avistado um carro Corsa Classic branco, que seria do bandido. Foi dada ordem de parada, que o criminoso obedeceu. No entanto, no momento da revista pessoal, o criminoso sacou uma pistola e tentou atirar nos policiais, que revidaram e atingiram o líder da facção. Ele foi socorrido e encaminhado até o hospital da cidade, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. O material apreendido com ele foi entregue à Polícia Civil, que irá investigar o caso.