Kurupí
Notícias recentes
Produtores avaliam ter frota própria para fugir da tabela de fretes

Produtores avaliam ter frota própria para fugir da tabela de fretes

access_time04/08/2018 07:45

Alguns setores produtivos, em especial do agronegócio, avaliam alternativas para transporte de suas

Mato Grosso é o estado com a maior frota de aeronaves agrícolas do país

Mato Grosso é o estado com a maior frota de aeronaves agrícolas do país

access_time12/07/2018 09:24

Com 464 exemplares, Mato Grosso é o estado com a maior frota de aeronaves agrícolas do país. O estad

Quase 3 meses após tragédia, 32 barragens da Vale estão interditadas

Quase 3 meses após tragédia, 32 barragens da Vale estão interditadas

access_time22/04/2019 08:42

Passados quase três meses da tragédia de Brumadinho (MG), 32 barragens da mineradora Vale sediadas e

Notícias com a tag: queimadas

Fiscalização em embarga quase 11 mil hectares por desmatamento ilegal

access_time01/09/2019 11:06

Uma força tarefa embargou em Mato Grosso, na última semana, 10.864 hectares por desmatamento ilegal na Amazônia. Segundo o governo, os proprietários ficam impedidos de desempenhar qualquer atividade econômica nas terras por causa do embargo. As multas pelos crimes ambientais que incluem desmatamento ilegal, uso irregular do fogo e transporte ilegal de madeira somam quase R$ 60 milhões de reais. Também foram apreendidos 13 tratores, 9 motosserras e seis pessoas foram presas em flagrante. No extremo norte do estado, os infratores foram encontrados realizando desmate ilegal e operando uma serraria móvel em plena área de floresta. Foram identificados mais de 4 mil hectares de área desmatada ilegalmente. Em Nova Bandeirantes, por exemplo, foram aplicados cerca de R$ 20 milhões em multas, pelos crimes de transporte ilegal de madeira, desmate em áreas de reserva legal e de manejo florestal. Na Região do Araguaia, 5 mil hectares foram autuados. Em uma das propriedades, localizada no município de Araguaiana, a equipe apreendeu cinco tratores de uma empreiteira de Minas Gerais.

Governo muda decreto e permite queimadas para agricultura fora da Amazônia

access_time31/08/2019 11:31

O governo federal alterou o decreto que proibia as queimadas em todo o país durante o período da seca e restringiu a proibição apenas à Amazônia Legal. A região da Amazônia Legal compreende parte dos sete estados da região Norte (Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins), além de Maranhão e Mato Grosso – áreas de outros biomas dentro desses estados poderão fazer as queimadas. Já o bioma Amazônia é mais extenso e abrange também terras de países vizinhos como Bolívia, Venezuela, Equador, Peru e Guianas. A mudança consta de uma edição extra do "Diário Oficial da União" publicada na sexta-feira (30). O decreto original, publicado na quinta (29), suspendia a permissão do emprego do fogo em todo o Brasil por um período de 60 dias com o objetivo de proteger o meio ambiente. O novo decreto estabelece que a suspensão não se aplica a "práticas agrícolas, fora da Amazônia Legal, quando imprescindíveis à realização da operação de colheita". O texto ressalta que a queimada controlada dependerá de autorização prévia de órgão ambiental estadual, que poderá negá-la se forem constatados risco de vida, danos ambientais ou condições meteorológicas desfavoráveis. A autorização também deixará de ser concedida se a qualidade do ar atingir índices prejudiciais à saúde humana ou os níveis de fumaça, originados de queimadas, atingirem limites mínimos de visibilidade que comprometam as operações aeronáuticas e rodoviárias. A autorização será ainda suspensa ou cancelada se for registrado risco de vida ou ambiental, no caso de segurança pública ou de descumprimento das normas vigentes. A suspensão das queimadas, conforme a primeira versão do decreto, continua não sendo aplicada aos casos de controle fitossanitário autorizado por órgão ambiental, em práticas de prevenção e combate a incêndios e na agricultura de subsistência de indígenas. Mapa mostra os limites do bioma amazônico no Brasil (verde), da região administrativa chamada Amazônia Legal (vermelho) e da Pan-Amazônia (amarelo) — Foto: Reprodução/Ipea/Exército Brasileiro Permissão Hoje, a legislação permite as queimadas somente em situações específicas e desde que liberadas por órgão ambiental. O uso do fogo é empregado na produção e manejo de atividades agropastoris, mas tem que obedecer a uma série de regras, como respeitar áreas com limites físicos previamente definidos. A proibição por 60 dias foi anunciada em meio à crise ambiental e diplomática provocada pela escalada do número de queimadas e do desmatamento na Amazônia.