anuncie aqui vermelho
Notícias recentes
Advogado é preso suspeito de entregar celular a reeducando em MT

Advogado é preso suspeito de entregar celular a reeducando em MT

access_time31/10/2018 08:31

Um advogado foi preso nesta terça-feira (30) no Centro de Ressocialização de Sorriso, suspeito de te

Detran-MT retoma atendimento presencial em todo estado

Detran-MT retoma atendimento presencial em todo estado

access_time06/05/2021 08:47

O Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso (Detran-MT) vai retomar o atendimento ao público

Bandidos roubam garimpo e levam caminhonete em Peixoto de Azevedo

Bandidos roubam garimpo e levam caminhonete em Peixoto de Azevedo

access_time06/12/2019 13:55

Segundo informações repassadas a nossa reportagem três elementos chegaram no garimpo quando os traba

Notícias com a tag: racismo

Homem é condenado por ofensas raciais no WhatsApp

access_time28/02/2020 08:59

O juízo da 5ª vara Cível de Santos/SP condenou homem que proferiu insultos a respeito do caráter e da condição social de pessoas pardas a pagar indenização por danos morais ao Fundo de Reparação de Interesses Difusos Lesados. Segundo consta nos áudios, o homem enviou áudio em grupo particular do WhatsApp, em que proferia ofensas de cunho racial às pessoas pardas, afirmando que elas não têm caráter. Um ano depois, o áudio viralizou e ele foi exonerado da função pública que exercia e se desfiliou de partido político. Segundo o juiz de Direito José Wilson Gonçalves, “posto que seja em grupo de WhatsApp, não se admite que alguém diga que os pardos brasileiros são todos maus-caracteres”.  O magistrado entendeu que a alegação de ausência de intenção de atingir os pardos brasileiros não procede, visto que o homem “sabe perfeitamente o significativo e o alcance das expressões usadas, ainda que esse uso tenha se dado em ambiente fechado de rede social, não tendo relevância, ademais, a crença, mesmo que verdadeira, de que o conteúdo não seria compartilhado. O compartilhamento apenas tornou conhecida publicamente a gravíssima ilicitude cometida por ele”. Assim, o condenou ao pagamento de danos morais no valor de R$ 10 mil. O valor será revertido especificamente para programas de combate ao racismo. Informações: TJ/SP.