Spigreen
Notícias recentes
Talude do complexo do Gongo Soco pode se romper até dia 25, diz ANM

Talude do complexo do Gongo Soco pode se romper até dia 25, diz ANM

access_time21/05/2019 08:48

A Agência Nacional de Mineração (ANM) informou hoje (20), que o rompimento do talude do complexo da

Acordo de livre comércio entre Japão e União Europeia entra em vigor

Acordo de livre comércio entre Japão e União Europeia entra em vigor

access_time01/02/2019 09:19

Um acordo abrangente de livre comércio entre o Japão e a União Europeia (UE) - o Acordo de Parceria

Defesa do agressor de Bolsonaro não revela quem está arcando com honorários

Defesa do agressor de Bolsonaro não revela quem está arcando com honorários

access_time10/09/2018 08:19

Os advogados de Adélio Bispo de Oliveira, autor da facada no candidato Jair Bolsonaro, não informam

Notícias com a tag: ranking

Oito municípios de MT estão entre os 50 do país que mais desmataram em 2019

access_time27/05/2020 18:50

Relatório Anual de Desmatamento, organizado pelo projeto MapBiomas e divulgado nessa terça-feira (26) mostra que oito cidades de Mato Grosso estão entre os 50 municípios que mais desmataram em 2019. Colniza, a 1.065 km de Cuiabá, foi o 10º município brasileiro que mais desmatou, com 17.709 hectares. Conforme o relatório, Aripuanã vem logo em seguida, em 11º lugar, com uma área desmatada de 15.596 hectares. Nova Bandeirantes figura em 17º lugar, com 9.985 hectares desmatados. Em 34º lugar dos municípios que mais desmataram em 2019, está Apiacás, com 7.124 hectares. Juara está em 40º lugar na lista, com área de 5.779 hectares desmatados. Em 47º, está Marcelândia, com 5.227 hectares desmatados. Cocalinho está em 48º na lista, com área desmatada de 5.091 hectares. Por fim, em 50º lugar, está Paranatinga, com 4.666 hectares desmatados. Colniza Aripuanã Nova Bandeirantes Apiacás Juara Marcelândia Cocalinho Paranatinga O MapBiomas é uma iniciativa que envolve universidades, ONGs e empresas de tecnologia para mapear a cobertura e uso do solo do Brasil e monitorar as mudanças do território. Estados Ainda segundo o relatório, os estados que apresentaram o maior número de eventos de desmatamento são: Pará (18,5 mil), Acre (9,3 mil), Amazonas (7 mil), Rondônia (5,3 mil) e Mato Grosso (4,7 mil). Já em termos de área desmatada os maiores são: Pará (299 mil ha), Mato Grosso (202 mil ha) e Amazonas (126 mil ha). Juntos estes três estados responderam por mais da metade da área de desmatamento detectado no país em 2019. Do total de áreas desmatadas, 11,1% dos alertas (12% em área) sobrepõem-se integralmente ou em partes com Unidades de Conservação (UC); 5,9% (3,6% em área) com Terras Indígenas (TI); e 65% (77% em área) com imóveis rurais inseridos no Cadastro Ambiental Rural. O desmatamento no Brasil só pode ser realizado legalmente mediante uma prévia Autorização de Supressão da Vegetação (ASV) que pode ser emitida pelos governos federal e estadual e, eventualmente, pelo município. As autorizações são vinculadas ao CAR das propriedades desde o ano 2018, quando também se tornou regra o registro no SINAFLOR de todas as ASV emitidas pelos estados. Apenas os estados do Mato Grosso e do Pará não possuem dados integrados com o SINAFLOR. O acesso à base de dados das autorizações foi realizado pelo geoservice do SINAFLOR/IBAMA e os dados do Mato Grosso e do Pará foram obtidos nos portais das respectivas secretarias de Meio Ambiente.