Spigreen
Notícias recentes
Secretaria Municipal de Saúde de Peixoto de Azevedo foi representada em capacitação de Auriculoterapia em Cuiabá

Secretaria Municipal de Saúde de Peixoto de Azevedo foi representada em capacitação de Auriculoterapia em Cuiabá

access_time13/06/2019 10:23

A Enfermaria Aline Deise Corrêa Danielli Silva esteve participando de uma formação em Auriculoterapi

Profissionais do sexo recorrem à web com queda de até 80% na clientela por quarentena

Profissionais do sexo recorrem à web com queda de até 80% na clientela por quarentena

access_time04/04/2020 08:07

Profissionais do sexo estão recorrendo à internet para "compensar" a queda no movimento durante a qu

Homem espanca a avó, tenta esganá-la e a arrasta pelos cabelos em MT, diz polícia

Homem espanca a avó, tenta esganá-la e a arrasta pelos cabelos em MT, diz polícia

access_time01/01/2019 09:13

Um jovem de 25 anos foi preso na madrugada desta segunda-feira (31) suspeito de tentar matar a avó,

Notícias com a tag: vacina

Mais de 57 mil doses de vacinas contra a Covid-19 chegam em MT

access_time08/04/2021 17:56

Mato Grosso recebeu 57.550 doses de vacinas contra a Covid-19 nesta quinta-feira (8), no Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá. São 31.750 doses da vacina da AstraZeneca e 25.800 doses da CoronaVac. Com a nova remessa, o estado contabiliza 618.760 doses recebidas dos imunizantes até agora. As novas doses recebidas da AstraZeneca são destinadas à segunda dose de trabalhadores da saúde e primeira dose para idosos entre 65 e 69 anos. Já as unidades da CoronaVac serão utilizadas como segunda dose para trabalhadores da saúde e idosos entre 70 e 74 anos e como primeira dose para profissionais das Forças Armadas, de Segurança e Salvamento e idosos entre 65 e 69 anos. Mato Grosso é o segundo estado que menos vacinou contra a Covid-19 no país. Dados divulgados pelo Consórcio de Veículos de Imprensa, que coleta dados das secretarias estaduais de cada estado, mostra que apenas 5,8% da população do estado foi vacinada com a primeira dose. O número corresponde a 204,4 mil pessoas. Desse total 60.767 pessoas receberam a segunda dose. O número é considerado baixo em comparação a 1,2 milhão de habitantes as que fazem parte dos grupos prioritários estimado pelo Ministério da Saúde. As equipes da Vigilância Estadual trabalham na conferência da quantidade, na catalogação dos imunizantes e no encaixotamento para distribuição e retirada dos municípios. Simultaneamente à operação logística, as equipes administrativas trabalham na resolução da Comissão Intergetores Bipartite (CIB), colegiado que oficializa o quantitativo de doses a ser destinado para os 141 municípios. Vacinas Coronavac serão utilizadas como segunda dose para trabalhadores da saúde e idosos entre 70 e 74 anos e como primeira dose para profissionais da segurança — Foto: Michel Alvim

MS continua vacinando contra Covid-19 grupo prioritário

access_time26/01/2021 20:18

A Secretaria Municipal de Saúde de Peixoto de Azevedo por meio do Departamento de Imunização continua desenvolvendo a Força Tarefa de Vacinação contra a COVID-19. Os servidores do Setor de Emergência Hospitalar, Serviço de Resgate, Laboratório de Análises Clínicas e Setor de Radiologia receberam a primeira dose da vacina CoronaVac desenvolvida em parceria entre o Instituto Butantan e o laboratório Sinovac Biontec. Após imunizar os anciões atendidos pelo Lar dos Idosos, a Secretaria de Saúde Peixotense também esteve no Casa de Apoio aos Idosos da Dona Vani, onde respeitando todos os protocolos do Ministério da Saúde fez a vacinação. Até o momento, as pesquisas já comprovaram que a CoronaVac é segura e produz uma resposta imune. Já no distrito União do Norte, médicos, enfermeiros, técnicos, auxiliares e demais profissionais das duas Unidades Básicas de Saúde receberam a vacina produzida pelo Instituto Butantan. A comunidade distante cerca de 65 km de Peixoto de Azevedo já registra 205 casos confirmados, 69 suspeitos em monitoramento e 04 óbitos Cumprindo o Plano Nacional de Operacionalização de Vacinação, nesta primeira fase serão vacinados prioritariamente pessoas idosas institucionalizadas com 60 anos ou mais, pessoas com deficiência institucionalizadas, indígenas aldeados, e trabalhadores da saúde que atuam na linha de frente do combate ao coronavírus. “O Prefeito Maurício Ferreira tem nos dado total apoio na logística para que tenhamos transporte, recursos humanos e as condições necessárias para que a vacina chegue ao público prioritário desta 1ª Fase. É importante que se diga que a nossa equipe de imunização atua com todo Equipamento de Proteção Individual e respeitando fielmente as Medidas de Segurança e o Esquema Vacinal”, disse o Secretário Thiago Pereira.

OMS: não há expectativa de vacinação até início de 2021

access_time23/07/2020 07:54

Pesquisadores têm alcançado progresso no desenvolvimento de vacinas contra a covid-19, com alguns estudos em estágio avançado, mas o uso não é esperado até o início de 2021, disse o chefe do Programa de Emergências da Organização Mundial da Saúde (OMS), Mike Ryan, nessa quarta-feira. A OMS está trabalhando para garantir uma distribuição justa das vacinas, mas neste meio tempo é essencial conter a disseminação do novo coronavírus, disse Ryan, já que os novos casos diários estão quase em níveis recordes em todo o mundo. "Estamos fazendo um bom progresso", afirmou o especialista, observando que várias vacinas já estão em testes de Fase 3 e que até agora nenhuma fracassou em termos de segurança ou capacidade de provocar uma reação imunológica. "Realisticamente, só na primeira parte do próximo ano começaremos a ver as pessoas serem vacinadas", disse Ryan em um evento público nas mídias sociais. A OMS está empenhada em ampliar o acesso a possíveis vacinas e a ajudar a aumentar a capacidade produtiva, acrescentou. "Precisamos ser justos nisto, porque este é um bem global. Vacinas para esta pandemia não são para os ricos, não são para os pobres, são para todos." O governo dos Estados Unidos pagará US$ 1,95 bilhão por 100 milhões de doses de uma vacina contra covid-19 que está sendo desenvolvida pela Pfizer e pela empresa de biotecnologia alemã BioNTech, se ela se mostrar segura e eficiente, disseram as empresas. Mike Ryan também alertou as escolas a serem cautelosas com reaberturas, até a transmissão comunitária da covid-19 estar sob controle. O debate norte-americano sobre a retomada das aulas se intensificou agora que a pandemia está se alastrando em dezenas de estados. "Temos que fazer todo o possível para levar nossas crianças de volta à escola, e a coisa mais eficiente que podemos fazer é deter a doença em nossa comunidade", disse. "Porque se você controla a doença na comunidade, pode abrir as escolas."

Mais de 68 mil pessoas entre 20 e 29 anos precisam se vacinar contra sarampo

access_time29/11/2019 22:42

No total, 68.814 pessoas com idades entre 20 e 29 anos não estão imunizadas contra o sarampo, em Mato Grosso. Esses dados são da Secretaria Estadual de Saúde que realiza uma campanha de vacinação neste sábado (30). Além do público-alvo, crianças de 6 meses a 4 anos e 11 meses, que ainda não tomaram a vacina, também podem ser imunizadas. Para alcançar o número estimado, todos os postos de saúde estarão abertos das 8h às 17h. De acordo com a coordenadora de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Estadual de Saúde (SES), Alessandra Moraes, diferente dos anos anteriores, essa faixa etária foi selecionada por ter casos de sarampo confirmados em outros estados. Ainda segundo ela, esse grupo precisa ter duas doses da vacina para ser considerado imunizado. Se não puder comprovar que já recebeu alguma dose, a pessoa vai tomar a primeira dose da vacina normalmente. Segundo a SES, mais de 100 municípios já atingiram a meta de vacinação estabelecida pelo Ministério da Saúde. Porém, 38 cidades ainda não atingiram a cobertura necessária. Sobre o sarampo O sarampo é uma doença viral altamente contagiosa, que pode evoluir para complicações graves e óbitos. A doença é transmitida por meio das secreções expelidas pelo doente ao falar, tossir e espirrar. O comportamento endêmico/epidêmico do sarampo varia de um local para outro e depende basicamente da relação entre o grau de imunidade e a suscetibilidade da população, bem como da circulação do vírus na área.