anuncie aqui 596-81
Notícias recentes
“Advocacia é atividade de risco; é preciso avançar no porte de arma”

“Advocacia é atividade de risco; é preciso avançar no porte de arma”

access_time13/07/2024 20:19

A presidente da OAB-MT, Gisela Cardoso, disse considerar a advocacia como uma “atividade de risco” e

Onça-pintada é resgatada após ser atropelada em Marcelândia

Onça-pintada é resgatada após ser atropelada em Marcelândia

access_time27/02/2024 08:39

A onça-pintada macho foi resgatada, ontem à noite, após ser atropelada por um veículo não identifica

Incêndio se alastra e fogo ameaça atingir maior caverna de arenito do Brasil

Incêndio se alastra e fogo ameaça atingir maior caverna de arenito do Brasil

access_time02/10/2023 18:01

O Corpo de Bombeiros trabalha para conter um incêndio que já destruiu mais de 4km de uma área de veg

Congresso aprova Orçamento com R$ 53 bilhões em emendas e salário mínimo de R$ 1.412
Plenário do Congresso Nacional em dezembro de 2023
Foto por: WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO

Congresso aprova Orçamento com R$ 53 bilhões em emendas e salário mínimo de R$ 1.412

Texto também prevê R$ 54 bilhões para o PAC e mantém déficit zero para 2024

access_time22/12/2023 15:59

Orçamento de 2024 foi aprovado nesta sexta-feira, 22, em plenário do Congresso Nacional. O texto foi aprovado por votação simbólica da Comissão Mista de Orçamento (CMO) na quinta-feira, 21, e destina cerca de R$54 bilhões para o Novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Anteriormente, o valor previsto pelo governo era de R$ 61,3 bilhões. Essa questão foi o principal obstáculo enfrentado pelo relator do texto, o deputado federal Luiz Carlos Motta (PL-SP), que teve a análise adiada a pedido do governo para buscar uma solução que contemplasse a recomposição dos investimentos no programa.

No geral, a Lei Orçamentária Anual (LOA) prevê despesas de R$ 5,5 trilhões, sendo que a maior parte deste valor se refere ao refinanciamento da dívida pública. O texto também prevê o valor de R$ 4,96 bilhões para o fundo eleitoral, o mesmo total disponibilizado pelo fundo nas eleições do ano passado. A aprovação do valor gerou discordâncias durante a sessão do Congresso. O senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG) comentou a pauta: “Como presidente do Congresso Nacional, eu tenho absoluto respeito pela vontade da maioria. Eu reconheço o trabalho da CMO, que foi um trabalho muito dedicado, muito árduo. Em relação ao fundo do eleitoral, me permito fazer um apontamento de equilíbrio. Eu tenho uma posição favorável ao financiamento público de campanha, sou egresso da OAB e foi um êxito da OAB de ter permitido o financiamento público eleitoral. Reconheço que é um papel nosso buscar critérios e a racionalidade do quanto a ser aplicado em campanhas eleitorais”.

Outro tema previsto na matéria é a revisão do salário mínimo, que deve ficar em torno de R$ 1.412 para o próximo ano. O valor é menos R$ 9 do que os R$ 1.421 que constam no projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) que foi enviado pelo governo ao Congresso em agosto deste ano. A alteração no montante se deve à variação da inflação acumulada neste ano. Já as emendas parlamentares somam R$ 53 bilhões, sendo que R$ 25 bilhões serão destinados a emendas individuais, R$ 11,3 bilhões para emendas de bancadas e R$ 16,7 bilhões para emendas de comissões.





Por: Jovem Pan

Outras notícias

Comentários