anuncie aqui 596-81
Notícias recentes
Vigilante reage a roubo em loja, toma arma e mata assaltante com tiro na cabeça

Vigilante reage a roubo em loja, toma arma e mata assaltante com tiro na cabeça

access_time07/06/2023 10:02

O bandido Andrey Ferreira Lacerda, 18 anos, foi morto na noite dessa terça-feira (06) após tentar ro

Pesquisa Ipec: velha mídia reabre ‘lojinha de porcentagens’ para socorrer Lula

Pesquisa Ipec: velha mídia reabre ‘lojinha de porcentagens’ para socorrer Lula

access_time09/06/2023 14:25

No momento em que o governo Lula enfrenta seu pior momento e começa a cambalear, o jornal O Globo co

Delegado detalha esquema de Carlinhos Bezerra para monitorar todos os passos de Thays

Delegado detalha esquema de Carlinhos Bezerra para monitorar todos os passos de Thays

access_time31/01/2023 10:14

O delegado Marcel Oliveira, da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), res

Operação da PF investiga bando por grilar e desmatar 22 mil hectares da União
Cerca de 80 policiais participam da operação (foto: PF)

Operação da PF investiga bando por grilar e desmatar 22 mil hectares da União

Foram cumpridos 11 mandados de busca e apreensão em Mato Grosso e no Pará, contra engenheiros, empresários e servidores

access_time06/12/2023 08:30

A Polícia Federal deflagrou, nesta quarta-feira (06), a Operação Retomada II com o intuito de desarticular uma organização criminosa que grilava terras da União para desmatar. Estima-se que tenham sido “grilados” cerca de 22 mil hectares que, em boa parte, foram objeto de desmatamento para a inserção de gado.

Cerca de 80 policiais participam da operação.

Foram cumpridos 11 mandados de busca e apreensão em Mato Grosso e no Pará, contra engenheiros, empresários e servidores.

Duas empresas de regularização fundiária também foram alvo, bem como o escritório de uma advogada que teria acesso privilegiado a autuações e embargos realizados por uma autarquia ambiental federal.

Durante as investigações identificou-se que empresas, por meio de seus sócios e funcionários, teriam fraudado cadastros de áreas públicas da União através da inserção de dados falsos em sistemas e falsificação de documentos. Os funcionários das empresas atuavam, ainda, no planejamento e acompanhamento em tempo real do desmatamento.

A advogada mencionada também é investigada por, supostamente, negociar o pagamento de propina a servidores públicos estaduais que teriam flagrado o desmatamento ilegal.

A Justiça Federal também decretou o sequestro de aproximadamente R$ 116 milhões, nove imóveis, além do afastamento das funções dos servidores públicos e da advogada.

Ainda no ano de 2023, no mês de agosto, a Polícia Federal deflagrou a primeira fase da Operação Retomada.

Oportunidade na qual foram cumpridos três mandados de busca e apreensão nos municípios de Sinop e Novo Progresso, sequestro de veículos, cerca de 20 imóveis, sendo 11 fazendas, bem como a indisponibilidade de 10 mil cabeças de gado.





Por: REPÓRTER MT

Outras notícias

Comentários