Kurupí
Notícias recentes
Prefeito é suspeito de fazer licitação 10 dias depois de inauguração de obra para simular legalidade

Prefeito é suspeito de fazer licitação 10 dias depois de inauguração de obra para simular legalidade

access_time23/05/2018 09:19

O prefeito de Alta Floresta, a 800 km de Cuiabá, Asiel Bezerra de Araújo (MDB), foi denunciado à Jus

Brasil pretende atrair mão de obra estrangeira qualificada para o país

Brasil pretende atrair mão de obra estrangeira qualificada para o país

access_time22/05/2018 09:28

A nova Lei da Migração completa esta semana um ano da promulgação. O governo federal pretende atrair

Novo presidente do Detran pretende facilitar serviços aos usuários

Novo presidente do Detran pretende facilitar serviços aos usuários

access_time22/01/2019 09:19

O engenheiro civil Gustavo Reis Lobo de Vasconcellos foi definido como o novo presidente do Departam

Notícias com a tag: Libertadores

Bruno Henrique faz dois e Flamengo vence o Inter pela Libertadores

access_time21/08/2019 22:36

A torcida do Flamengo lotou o Maracanã, nesta quarta (21) para o primeiro jogo diante do Internacional pelas quartas de final da Conmebol Libertadores e saiu feliz. A equipe carioca bateu os gaúchos por 2 a 0 e agora decide a vaga na próxima semana (28) jogando no Beira Rio, em Porto Alegre. A vantagem do fator campo e torcida foi fundamental para a vitória flamenguista, que foi embalado por milhares de vozes nos 90 minutos da partida. O Flamengo fez jogo de cena durante a semana, na tentativa de ludibriar o técnico Odair Hellmann, do Inter. Os jogadores Gabriel Barbosa, o Gabigol, e o meia uruguaio Arrascaeta foram dados como fora de jogo. Gabriel devido um problema na coxa esquerda. Já Arrascaeta teria sido acometido por uma virose. Quando as escalações foram passadas, ambos estavam lá, titulares como sempre foram.  O Flamengo, como dono da casa, saiu para cima do Inter e fez a proposta de jogo. Primeiro, explorou o lado esquerdo do seu ataque, buscando triangulações entre Filipe Luiz, Arrascaeta e Bruno Henrique, um lado esquerdo forte. Mas por ali o Inter era forte com o lateral direito Bruno e o zagueiro Rodrigo Moledo caindo por aquele setor. As melhores chances para o Flamengo só surgiram quando o time passou a explorar o lado direito do seu ataque, com as subidas de Rafinha, Gabriel e Bruno Henrique. Aos 18min, a primeira chance para o Rubro-Negro. Bruno Henrique evoluiu pelo meio e bateu forte obrigando o goleiro Marcelo Lomba, do Inter, a botar para escanteio. Aos 28min, novamente Bruno Henrique, agora num cabeceio e com nova defesa de Lomba. Quase ao final do primeiro tempo, Gabriel ficou sozinho à frente de Marcelo Lomba, mas errou o chute. O Flamengo veio para a segunda etapa com a mesma proposta de jogo: tentar acuar o Inter. Jorge Jesus tirou Arrascaeta de campo para a entrada de Gerson, também um bom condutor de bola, mas que joga em mais velocidade. Mas a equipe gaúcha passou a jogar marcando a saída de bola do Flamengo, a tão conhecida marcação alta. Isso poderia expor o Inter a contra-ataques, mas também dificultava para os cariocas, que tinham dificuldade para evoluir com a bola dominada. E a marcação alta do Inter foi funbdamental para o Flamengo construir sua vitória. Em dois contra-ataques, o primeiro pela esqwuerda com Everton Ribeiro, ele enxergou Bruno Henrique entrando. O atacante só teve o trabalho de tocar no canto direito de Marcelo Lomba aos 30min: 1 a 0. Aos 33min, novamente Bruno Henrique, que recebeu, envolveu a zaga do Colorado e  tocou, novamente, no canto direito de Marcelo Lomba: 2 a 0.  FICHA TÉCNICA FLAMENGO 2 X 0 INTERNACIONAL Local: Estádio Mário Filho (Maracanã), Rio de Janeiro (RJ) Data: 21/08/2019 Árbitro: Roberto Tobar (CHI) Assistentes:  Christian Schiemann (CHI) e Claudio Rios (CHI) VAR: Julio Bascunan (CHI) Cartões amarelos: Guerrero, Patrick, Willian Arão  Cartões vermelhos: Gols: Bruno Henrique, aos 30min e aos 33min do segundo tempo. FLAMENGO: Diego Alves; Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Mari e Filipe Luiz; Willian Arão, Cuellar e Arrascaeta (Gerson); Everton Ribeiro, Bruno Henrique (Pires da Motta) e Gabriel Barbosa. Técnico: Jorge Jesus.  INTERNACIONAL:  Marcelo Lomba; Bruno, Victor Cuesta, Rodrigo Moledo e Uendell; Rodrigo Lindoso, Edenilson e Patrick;  D´Alessandro (Nico Lopes), Rafael Sobis (Wellington Silva) e Guerrero. Técnico: Odair Hellmann. Público: 66.366 Renda: R$ 4.758.998,75

No Maracanã, Flamengo e Inter iniciam disputa por vaga na semi da Libertadores

access_time21/08/2019 16:37

Flamengo e Internacional se enfrentam nesta quarta-feira, às 20h30 (de Mato Grosso), no Maracanã, no Rio de Janeiro, pelo confronto de ida das quartas de final da Copa Libertadores. O Rubro-Negro sofreu para eliminar o Emelec do Equador na etapa anterior, com os dois times trocando triunfos de 2 a 0 como mandantes, o que forçou uma definição por pênaltis. Já o Colorado não teve grandes sustos diante do Nacional, ganhando por 1 a 0 no Uruguai e por 2 a 0 no Rio Grande do Sul. A temporada dos dois times tem sido positiva. No Brasileirão, por exemplo, o Flamengo é o vice-líder com 30 pontos e briga pelo caneco. O Colorado, com 24 pontos, também não está longe do páreo e também é semifinalista da Copa do Brasil. Em termos de escalação o Flamengo vai manter a base que vem atuando, mas ganhou um desfalque importante. O atacante Gabigol, artilheiro da equipe em 2019, não se livrou das dores na coxa esquerda que o fizeram deixar o campo na partida do último sábado contra o Vasco, e foi vetado para o confronto desta quarta. Orlando Berrío é o mais provável substituto de Gabigol nos 11 iniciais. Outra possibilidade é a volta de Everton Ribeiro aos titulares, com Bruno Henrique atuando mais centralizado. O meia-atacante, entretanto, ainda não se encontra 100% em função de dores no pé esquerdo. Outra possibilidade é a volta de Everton Ribeiro aos titulares, com Bruno Henrique atuando mais centralizado. O meia-atacante, entretanto, ainda não se encontra 100% em função de dores no pé esquerdo. Já o lateral Rafinha, que cumpriu suspensão contra o Vasco no último sábado, retorna ao time no lugar de Rodinei. Já o técnico Odair Hellmann, tem apenas uma dúvida que se localiza no meio-campo. Sem contar ainda com Edenílson, Nonato e Bruno Silva concorrem por uma vaga no time titular. Recuperado de lesão no tornozelo, o volante Rodrigo Lindoso retoma a titularidade. A partida marcará o reencontro do centroavante Paolo Guerrero com a torcida do Flamengo no Maracanã. Os torcedores vermelhos já esgotaram a sua cota de ingressos para o duelo de amanhã. Fora de casa na edição desta temporada no torneio, os gaúchos em quatro jogos venceram três e empataram uma vez. O confronto de volta entre as duas equipes, na Arena Beira-Rio, em Porto Alegre (RS), será na quarta-feira da próxima semana. O classificado fará uma semifinal brasileira contra o vitorioso do embate entre Grêmio e Palmeiras. FICHA TÉCNICA FLAMENGO X INTERNACIONAL Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ) Data: 21 de agosto de 2019 (Quarta-feira) Horário: 20h30 (de Mato Grosso) Árbitro: Roberto Tobar (Chile) Assistentes: Christian Schiemann (Chile) e Claudio Rios (Chile) FLAMENGO: Diego Alves, Rafinha, Thuler, Pablo Marí e Filipe Luís; Gustavo Cuéllar, Willian Arão, Gerson e De Arrascaeta; Bruno Henrique e Orlando Berrío (Everton Ribeiro) Técnico: Jorge Jesus INTERNACIONAL: Marcelo Lomba, Bruno, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Uendel, Rodrigo Lindoso, Nonato (Bruno Silva), D´Alessandro e Patrick, Nico López e Paolo Guerrero Técnico: Odair Hellman

Palmeiras vence o Grêmio em Porto Alegre e fica perto das semifinais da Libertadores

access_time21/08/2019 00:13

Quase lá O Palmeiras deu nesta terça-feira um importante passo para chegar às semifinais da Copa Libertadores. Com um golaço de Gustavo Scarpa no primeiro tempo e um jogador a menos desde os 31 minutos da etapa final (Felipe Melo foi expulso), o Verdão venceu o Grêmio por 1 a 0, na Arena, em Porto Alegre, e agora joga por um empate na próxima terça, às 20h30, no Pacaembu, para ficar com a vaga. O vencedor deste confronto enfrenta Flamengo ou Internacional. O que o Grêmio precisa? O Tricolor terá de vencer em São Paulo. Se conseguir devolver o placar (1 a 0), a decisão será nos pênaltis. Uma vitória marcando dois ou mais gols (2 a 1 ou 3 a 2, por exemplo) dá a vaga aos gaúchos. Veja aqui a tabela e faça as contas no Simulador da Libertadores! Primeiro tempo Empurrado pela torcida, o Grêmio tentou sufocar desde o início da partida, mas encontrou um Palmeiras bem posicionado na defesa. Everton foi seguido de perto por Dudu e pouco apareceu. O máximo que o Tricolor conseguiu foi um chute de longe sem grande perigo de Jean Pyerre, aos sete minutos. O Verdão começou bem, com Dudu perdendo boa chance aos quatro minutos, mas o excesso de passes errados atrapalhou. O gol alviverde saiu aos 30 em cobrança de falta de longa distância. E que golaço! Marcos Rocha ajeitou, e Gustavo Scarpa acertou um lindo chute no ângulo esquerdo de Paulo Victor. Os gremistas voltaram a insistir, controlaram o jogo, mas sem assustar. Nos minutos finais, time e torcida reclamaram de dois pênaltis: um de Diogo Barbosa em Alisson e outro após a bola tocar no braço de Luan na área. Em ambos, o árbitro Patricio Lostau ignorou. Scarpa festeja o golaço no primeiro tempo (Foto: Wesley Santos/Agência PressDigital)   Segundo tempo O Palmeiras ficou muito perto de aumentar a vantagem no início da etapa final. Dudu, de cabeça, exigiu ótima defesa de Paulo Victor – Luan não conseguiu completar. No lance seguinte, também pelo alto, Luiz Adriano desviou com perigo. O Grêmio mostrou nervosismo para reagir. A entrada de Diego Tardelli no lugar de André em nada alterou a força ofensiva. O time voltou a concentrar seu jogo em Everton. Aos 23, ele recebeu nas costas da defesa e chutou fraco para Weverton pegar. O Verdão ganhou velocidade com Carlos Eduardo na vaga de Luiz Adriano. Em passe dele, aos 30, Dudu carimbou a trave. No minuto seguinte, Felipe Melo cometeu falta em Luciano e, como já tinha amarelo, recebeu o cartão vermelho. Os gremistas foram para cima. Jean Pyerre, aos 40, bateu perto, à esquerda. O time pressionou, rondou a área insistentemente, mas os palmeirenses se fecharam muito bem e garantiram a vitória fora de casa. É Libertadores? Chama o Scarpa! O meio-campista marcou nesta terça seu sexto gol (um golaço, na verdade) em sete partidas pelo Palmeiras na competição deste ano. Ele é também agora o artilheiro do torneio, ao lado de Marco Rúben, do Athletico, e o goleador do Verdão na temporada, com dez, um acima de Dudu. Felipe Melo é expulso e chora O volante recebeu o cartão vermelho no segundo tempo após uma falta em Luciano. Ele já havia levado o primeiro amarelo na etapa inicial ao cometer uma infração em Jean Pyerre. O jogador chorou ainda no gramado, foi consolado pelos companheiros, mas, após a partida, disse não concordar com a decisão do árbitro. Felipe Melo chora ao ser expulso contra o Grêmio (Foto: Vinícius Costa/BP Filmes)

Grêmio e Palmeiras iniciam duelo de técnicos gaúchos nas quartas da Libertadores

access_time20/08/2019 15:31

Os dois times brasileiros de melhor campanha na última Copa Libertadores e colecionadores de títulos nos últimos anos iniciam nesta terça-feira, às 21h30, em Porto Alegre, um confronto direto para saber quem tem o treinador mais "copeiro" e o elenco mais competitivo do Brasil. Grêmio e Palmeiras fazem pelas quartas de final do torneio continental um confronto entre técnicos especialistas em Libertadores. Único brasileiro a ganhar a competição como jogador e como treinador, o gremista Renato Portaluppi, o Renato Gaúcho, terá como adversário o conterrâneo mais experiente na história do torneio. Bicampeão da Libertadores com títulos pelo Grêmio (1995) e Palmeiras (1999), Luiz Felipe Scolari é o técnico brasileiro com mais jogos pela competição. São 72 compromissos em sete edições. Dono de 22 títulos em torneios mata-mata, Felipão terá um rival acostumado a competições nesse formato. Apenas nessa atual passagem pelo Grêmio, Renato Gaúcho conquistou taças como a Copa do Brasil, a Libertadores e a Recopa Sul-Americana. Semifinalistas em 2018, Grêmio e Palmeiras também definem em Porto Alegre e na semana seguinte no Pacaembu qual é o time brasileiro de maior poderio recente na Libertadores. Os gaúchos podem chegar pela terceira vez seguida entre os quatro melhores, enquanto o clube paulista busca atingir esta etapa pelo segundo ano consecutivo, após ter feito nessas temporadas a melhor campanha da fase de grupos. O Grêmio, último brasileiro a conquistar uma Libertadores, em 2017, e o Palmeiras, campeão nacional em 2016 e 2018, apostam em elencos badalados para avançar. O clube gaúcho tem, por exemplo, o zagueiro Geromel, convocado por Tite para a última Copa do Mundo, e o atacante Éverton, em alta após se destacar pela seleção brasileira na Copa América. O Palmeiras, reforçado nos últimos anos por contratações caras, confia no ex-gremista Dudu e no bom momento do goleiro Weverton, chamado para defender a seleção brasileira nos próximos amistosos. "Ser lembrado num momento tão especial como esse prova que o trabalho que venho fazendo todos os dias está sendo visto", disse. Apesar de os dois times terem se enfrentado no sábado, pelo Campeonato Brasileiro, e na mesma Arena do Grêmio, a partida pela Copa Libertadores deve ser bem diferente. Os treinadores pouparam os titulares e nos últimos dias fizeram mistério. O Grêmio não escalou desde o início Geromel e Éverton para evitar o desgaste. O Palmeiras fez o mesmo. O atacante Luiz Adriano só viajou na segunda-feira a Porto Alegre para participar da partida pela Libertadores, assim como Willian. A equipe de Felipão levou também o volante Jean para ficar como reserva na lateral direita. O clube perdeu opções para a posição recentemente com a lesão de Mayke e a saída de Fabiano para o Boavista, de Portugal - Marcos Rocha será o titular nesta terça-feira.

É possível! Cinco motivos para acreditar na classificação do Palmeiras contra o Boca

access_time31/10/2018 08:12

O estádio lotado nesta quarta-feira é um sinal de que o torcedor do Palmeiras acredita na vitória sobre o Boca Juniors, da Argentina, e na classificação para a final da Taça Libertadores. Mais de 38 mil ingressos foram vendidos antecipadamente para o confronto, que terá início às 21h45 (horário de Brasília). Líder do Campeonato Brasileiro, o Palmeiras de Felipão tenta voltar a disputar uma final de Libertadores depois de 18 anos. Para isso, precisa vencer o Boca por três gols de diferença. Se a vitória for por 2 a 0, a decisão será nas cobranças de pênaltis. Veja motivos que fazem o palmeirense confiar na classificação: Felipão no banco e viradas Luiz Felipe Scolari foi o comandante do título de 1999 e do vice de 2000 na Libertadores. Em ambas as temporadas, o Palmeiras construiu a campanha com viradas importantes nos mata-matas. Em 1999, o Verdão duelou com o River Plate, da Argentina, na semifinal. No jogo de ida, derrota por 1 a 0 em Buenos Aires. Na volta, vitória palmeirense por 3 a 0. Na decisão, novamente derrota por 1 a 0 na Colômbia contra o Deportivo Cali e vitória no Palestra Italia por 2 a 1. Felipão ergue a taça de campeão da Libertadores em 1999 — Foto: Arquivo / Agência Estado Em 2000, o Palmeiras passou pelo Peñarol nas oitavas de final nas cobranças de pênaltis. Em Montevidéu, derrota por 2 a 0, mas vitória por 3 a 1 na volta – ainda não havia o critério dos gols como visitante como desempate. O jogo contra os uruguaios, aliás, foi a única vez que o Verdão conseguiu inverter a desvantagem de dois gols do primeiro jogo. Na semifinal de 2000, o Verdão perdeu o jogo de ida para o Corinthians por 4 a 3, mas venceu o segundo por 3 a 2. A classificação para a decisão veio nos pênaltis, com direito a mais uma atuação história de Marcos.   Artilharia pesada Deyverson será o escolhido por Felipão para comandar o ataque palmeirense nesta quarta-feira. E a escolha pelo centroavante se justifica pelo desempenho recente: ele virou um dos grandes destaques na boa campanha da equipe no Brasileirão. Pouco utilizado com Roger Machado, Deyverson evoluiu com Felipão e já soma sete gols na competição nacional. Mas ele ainda não marcou no torneio sul-americano. Miguel Borja é o artilheiro da Libertadores de 2018, com nove gols marcados. A média é de quase um gol por jogo do colombiano, já que o camisa 9 entrou em campo nas 11 partidas do Verdão no torneio sul-americano. Campeão da Libertadores em 2016, Borja tem um histórico de decisão no torneio. Ele estreou pelo Atlético Nacional apenas na semifinal daquela edição, mas marcou cinco gols contra São Paulo e Independiente de Valle. Borja e Deyverson na Academia de Futebol — Foto: César Greco/Ag. Palmeiras   Apoio da torcida A torcida do Palmeiras não desanimou depois da derrota por 2 a 0 no jogo de ida. O sentimento entre os alviverdes é de confiança na recuperação da equipe e na classificação para final da Libertadores. A expectativa é de casa cheia. Se em Buenos Aires foram cerca de 1.900 palmeirenses na Bombonera, o time de Felipão deve contar com apoio de aproximadamente 40 mil pessoas nesta quarta-feira. Desde a reinauguração do estádio, em 2014, o Verdão já conquistou a Copa do Brasil de 2015 e o Brasileirão de 2016 no local. Torcida do Palmeirasna arena — Foto: Marcos Ribolli   Força do elenco O discurso do Palmeiras sobre a Libertadores é de disputar o torneio todos os anos. Até para diminuir a expectativa criada, o Verdão tem se cobrado menos em relação ao torneio sul-americano. Mas é fato que o grupo de 2018 está o mais preparado para sonhar com a conquista do campeonato. Com a vantagem de poder dividir o grupo em dois times competitivos, Felipão viu o Palmeiras chegar à liderança do Brasileirão e avançar até a semifinal da Libertadores. Para se recuperar contra o Boca, o treinador tem a possibilidade de mexer no time. Deyverson e Lucas Lima, por exemplo, são dois jogadores que vêm tendo mais sequência no Brasileirão, mas ambos serão utilizados contra os argentinos. A dupla pode melhorar a produção ofensiva do Verdão, que precisa de pelo menos dois gols. Lucas Lima no treino do Palmeiras — Foto: Cesar Greco/Agência Palmeiras Experiência de sobra Um goleiro campeão olímpico, um zagueiro campeão da Libertadores, um volante que disputou Copa do Mundo e um atacante que ganhou quase tudo no Palmeiras. É com a base de Weverton, Edu Dracena, Felipe Melo e Dudu que o Verdão pode se apoiar na decisão contra o Boca Juniors. Além do quarteto, o Palmeiras tem no banco de reservas um treinador campeão do mundo com a seleção brasileira e campeão por diversas vezes em suas outras duas passagens pelo clube alviverde. Felipe Melona arena do Palmeiras — Foto: Marcos Ribolli

Renato explode contra Conmebol e se diz "p* da vida" com VAR: "O Grêmio foi roubado"

access_time31/10/2018 08:03

Renato Gaúcho gosta de salientar a cada entrevista coletiva que não reclama da arbitragem após as partidas. Mas o treinador do Grêmio "explodiu" com a Conmebol e o árbitro assistente de vídeo no início da madrugada desta quarta-feira, na sequência da eliminação em plena Arena para o River Plate na semifinal da Libertadores. "O Grêmio foi roubado. Acho que o lance não tem dúvida. Será que era o Stevie Wonder (cantor cego) não veria?" (Renato Gaúcho) Com termos como "p* da vida", "raiva", "humilhação", "desrespeito", entre outros, Renato afirmou que seu time foi "roubado" dentro de casa. Ele até tentou falar sobre a estratégia utilizada para a partida, o desenrolar dos 90 minutos, mas acabava retornando ao VAR. Segundo os gremistas, houve toque de mão de Borré no lance do gol de empate argentino sem revisão, o que aconteceu no pênalti de Bressan – neste caso, o Tricolor considerou justa a marcação da infração. – O Grêmio só não está classificado por causa do VAR. Se funciona, eu estaria sorrindo, a torcida feliz, e o Grêmio na final da Libertadores. Estaria tudo certo. O Grêmio foi roubado. Acho que o lance não tem dúvida. Será que era o Stevie Wonder (cantor cego) não veria? Vendo o jogo naquela cabine, como o cara não vê, com aquele monte de câmera, que o jogador faz o gol com o braço? Será que ele vai dormir hoje por causa disso? Quem sabe até vai, porque não tem nada a ver com o Grêmio – disparou Renato Gaúcho. Portaluppi também foi questionado sobre a presença do técnico do River, Marcelo Gallardo, no vestiário do time, no intervalo. Uma decisão da Conmebol suspendeu o treinador na noite de segunda-feira por ser reincidente em retardar o começo de jogos ou retornos para o segundo tempo. Ele preferiu deixar para a direção falar, mas voltou a criticar a entidade sul-americana. – A diretoria sabe, é um motivo a mais. Mas quem fala é o presidente. É uma desmoralização da Conmebol. No mínimo, teriam que ter tirado o treinador do vestiário. Depois vocês perguntam como eles (River) mandaram a escalação. Junta tudo isso com a palhaçada do VAR, faz uma salada e vê no que vai dar. Amanhã, a Conmebol suspende o Gallardo por 100 dias, e o River está na final. Eu queria estar suspenso por 200 dias e na final. É uma humilhação da Conmebol, foi um desrespeito ao Grêmio – acrescentou o técnico gremista. Com a derrota por 2 a 1, o Grêmio está fora da Libertadores. Agora, concentra as forças no Brasileirão. No sábado, às 17h, enfrenta o Atlético-MG no Horto, em Belo Horizonte. Atualmente, o time está em quinto com 52 pontos, 11 atrás do líder Palmeiras. O Galo é o sexto, com 46.