anuncie aqui
Notícias recentes
Escândalo sexual João de Deus passa 1ª noite sozinho em cela de presídio em Goiás

Escândalo sexual João de Deus passa 1ª noite sozinho em cela de presídio em Goiás

access_time17/12/2018 07:15

O médium João de Deus, preso suspeito de abusos sexuais durante tratamentos espirituais em Abadiânia

Estados Unidos e China avançam em acordo comercial, diz agência

Estados Unidos e China avançam em acordo comercial, diz agência

access_time04/03/2019 08:39

Os Estados Unidos e a China estão próximos de fechar um acordo para reduzir as tarifas norte-america

Mulheres são presas após tentarem matar homens dentro de motel em MT

Mulheres são presas após tentarem matar homens dentro de motel em MT

access_time14/04/2019 16:25

Duas mulheres foram presas na madrugada deste sábado (13), em Várzea Grande, região metropolitana de

ENTRETENIMENTO

Subida do nível do mar preocupa cientistas

access_time21/05/2019 08:44

Cientistas afirmam que o nível do mar está subindo mais depressa do que o previsto. A causa: o degelo das geleiras na Antártida e Groenlândia. Um estudo, que previu que o mar subiria menos de um metro até ao ano de 2100, está sendo contestado porque cientistas acreditam que esse total poderá duplicar. O relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), produzido em 2013, previa que o nível do mar subiria no máximo de um metro até ao ano de 2100. Sem uma significativa redução das emissões do gás de efeito de estufa, as águas poderiam subir entre 52 e 98 centímetros. Contudo, um novo estudo, mais abrangente, prevê que o nível do mar poderá aumentar mais de dois metros, se as emissões continuarem na sua trajetória, e se as temperaturas subirem até 5 graus Celsius. A hipótese, no entanto, é extrema, e a probabilidade de as temperaturas subirem 5 graus é de 5%.   Cientistas alertam, porém, para o fato de que 5% é ainda um percentual considerável e que corresponde a um elevado risco. *Com informações da RTP (emissora pública de televisão de Portugal)

Adolescentes com sobrepeso têm risco elevado de doença cardiovascular

access_time16/05/2019 09:01

Adolescentes com sobrepeso apresentam o mesmo risco de doença cardiovascular que jovens obesos, mostra pesquisa da Universidade Estadual Paulista (Unesp) em Presidente Prudente e Marília. O estudo, apoiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do estado de São Paulo (Fapesp), foi desenvolvido com 40 adolescentes com idades entre 10 e 17 anos e comparou resultados de testes cardíacos entre grupos de obesos e com excesso de peso. Os resultados foram publicados na revista científica Cardiology in the Young. “Já sabemos que adolescentes obesos têm alto risco de desenvolver, mais futuramente, uma doença cardiovascular como hipertensão; dislipidemia, que inclui aumento nos triglicérides e aumento no colesterol HDL no sangue; desenvolver diabetes, AVC, infarto. Mas quando comparando essas variáveis fisiológicas entre o grupo obeso e com sobrepeso a resposta deles foi idêntica”, disse Vitor Engrácia Valenti, professor da Unesp de Marília e coordenador da pesquisa. Até então o sobrepeso na adolescência não era considerado um fator de risco tão importante. Segundo o pesquisador, os resultados chamam atenção para a necessidade de cuidados desde o ganho de peso inicial dos adolescentes. “Quando começam a perceber a questão de alimentação, de exercício físico, sedentarismo, quando percebem que o filho já está começando a entrar um pouco no sobrepeso, começa a perceber gordura na barriga, que ele tem dificuldade para realizar algum tipo de esforço é importante levar o filho ao cardiologista, nutricionista, endocrinologista. É fazer ações preventivas”, disse. A Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), de 2017 e feita pelo Ministério da Saúde, aponta que quase um em cada 5 (18,9%) brasileiros são obesos e que mais da metade da população das capitais brasileiras (54%) estão com excesso de peso. Valenti, a partir de dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), chega a conclusão de que o país tem cerca de 35% de crianças com sobrepeso e 15% obesas. Estudo Os pesquisadores dividiram os 40 adolescentes em dois grupos com meninos e meninas na mesma proporção e com diferentes valores de escore-z – escala usada no diagnóstico nutricional de crianças e adolescentes, baseada no número de desvios padrão acima ou abaixo da média da população na mesma idade. Eles foram submetidos a um protocolo de exercício físico moderado, de caminhada por 20 minutos em uma esteira sem inclinação, que exigia 70% da frequência cardíaca máxima estimada para a faixa de idade. A variabilidade da frequência cardíaca dos adolescentes foi medida antes e depois do exercício para avaliar a velocidade de recuperação cardíaca na sequência da atividade física. De acordo com os pesquisadores, essa medida permite analisar o risco de uma pessoa apresentar uma complicação cardiovascular imediatamente após uma atividade física e também estimar o risco de ter uma doença cardiovascular no futuro. Nos primeiros segundos de um exercício físico, há uma redução da atividade do sistema nervoso parassimpático, que é responsável por estimular ações que relaxam o corpo, como desacelerar os batimentos cardíacos. Após os primeiros 50 a 60 segundos do esforço físico, há um aumento da atividade do sistema nervoso simpático – estimulando ações de resposta a situações de estresse, como a aceleração dos batimentos cardíacos, por meio dos efeitos da adrenalina. Segundo Valente, estudos anteriores demonstraram que, quanto maior o tempo que esse sistema nervoso autônomo demora para se estabilizar após o exercício e, consequentemente, recuperar a frequência cardíaca normal, maior também é a predisposição para o desenvolvimento de uma doença cardiovascular ou metabólica.

Casos de demência vão triplicar e chegar a 152 milhões de pessoas até 2050, diz OMS

access_time15/05/2019 08:46

Com o acelerado envelhecimento da população mundial, o alto índice de crescimento de casos de demência tornou-se um dos principais desafios de saúde pública da atualidade. A fim de reduzir o impacto global da doença, as principais recomendações anunciadas nesta terça-feira (14) pela Organização Mundial de Saúde (OMS) incluem a prática regular de exercícios aeróbicos e a adoção da dieta mediterrânea - baseada na alta ingestão de cereais integrais, frutas, peixes, vegetais e azeite de oliva. Embora não exista cura para a demência, muito pode ser feito para inibir o surgimento ou a progressão da doença. Além de uma dieta saudável e da prática regular de exercícios, as primeiras diretrizes globais da OMS para reduzir o risco de declínio cognitivo e demência recomendam ainda a adoção de políticas públicas para combater o fumo, a obesidade, a hipertensão, o diabetes e o consumo de álcool. As diretrizes serão apresentadas em detalhe por representantes da OMS na abertura do simpósio "Dementia Forum X", que reunirá na quarta-feira líderes e especialistas internacionais em demência no Palácio Real de Estocolmo, sob a iniciativa da Rainha Silvia da Suécia. A demência engloba uma série de doenças progressivas que afetam as capacidades de atenção, memória e outras habilidades cognitivas e comportamentos. Há mais de 100 formas de demência – a mais comum é a doença de Alzheimer, que contabiliza de 60% a 70% de todos os casos. As mulheres são mais frequentemente afetadas do que os homens. Recomendações A Organização Mundial de Saúde destaca que a atividade física está associada à saúde cerebral, e diversos estudos apontam que pessoas com uma vida mais ativa apresentam menor risco de desenvolver demências. Segundo as recomendações do relatório da OMS, adultos a partir de 65 anos de idade devem praticar pelo menos 150 minutos de atividades aeróbicas de intensidade moderada por semana. A alternativa é fazer pelo menos 75 minutos de exercícios aeróbicos vigorosos durante a semana, ou uma combinação equivalente de atividades de intensidade moderada a alta. Cada atividade aeróbica deve ter pelo menos dez minutos de duração. Para obter benefícios adicionais, a OMS recomenda a prática de 300 minutos de exercícios aeróbicos moderados por semana, ou 150 minutos de atividades de alta intensidade - ou ainda uma combinação entre práticas aeróbicas de intensidade moderada e alta. Exercícios de musculação devem ser feitos duas ou mais vezes por semana. De acordo com a OMS, vários estudos indicam que a adoção da dieta mediterrânea está associada a uma menor probabilidade de desenvolver demências. Baseada no consumo de alimentos frescos e naturais, a dieta mediterrânea é normalmente relacionada à melhora das funções cardiovasculares e a uma maior longevidade de seus adeptos, além de reduzir riscos de desenvolvimento de câncer e outras doenças degenerativas. As recomedações gerais da OMS para uma dieta balanceada incluem pelo menos 400 gramas (cinco porções) de frutas e legumes por dia, além de nozes e grãos integrais. Deve-se dar preferência ao consumo de gorduras insaturadas (encontradas em alimentos como peixes, abacate, óleo de canola e azeite de oliva), e reduzir a ingestão de gorduras saturadas - presentes por exemplo em carnes vermelhas, manteigas, queijos e óleo de côco - a menos de 10% das calorias ingeridas por dia. A OMS recomenda ainda a ingestão de menos de cinco gramas de sal (cerca de uma colher de chá) por dia, e o uso de sal iodado. Brasil Em todo o mundo, os custos de apoio e tratamento de demências crescem de forma alarmante: em 2018, os gastos globais foram da ordem de um trilhão de dólares, e as projeções são de que este total irá dobrar até 2030. No Brasil, segundo dados da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, são registrados 55 mil novos casos de demências todos os anos, a maioria decorrentes do mal de Alzheimer. Atualmente, 1,4 milhão de brasileiros vivem com demência - e o número de casos deverá saltar para mais de seis milhões em 2050. A população brasileira também envelhece de forma acelerada: segundo estatísticas do IBGE, em 2018 o Brasil contabilizava 28 milhões de pessoas acima dos 60 anos. Até 2060, este número deverá aumentar para 73 milhões de pessoas. Referência no Brasil para questões relacionadas ao envelhecimento, Kalache diz ver com preocupação a forma como o país tem respondido ao que ele chama de “revolução da longevidade”: “O que mais importa é treinar a equipe de atenção primária à saúde, para que os problemas decorrentes do número crescente de casos de Alzheimer possam ser minorados. No entanto, o SUS parece estar sendo desmantelado. Centros de saúde estão mal financiados, muitos deles estão fechando, e as condições de trabalho são altamente inadequadas”, destaca o especialista. Presidente do Centro Internacional de Longevidade (ILC) do Brasil, Kalache ressalta que o país ainda não tem uma política nacional para lidar especificamente com demências – ao contrário de inúmeros outros países, inclusive na América Latina. “A Política Nacional de Saúde (PNS) para fazer face ao envelhecimento não só é insuficiente em relação ao desafio, como deficitária quanto à sua aplicação. Assim como na Constituição, a PNS atribui à família a responsabilidade de cuidar de pacientes com Alzheimer. No entanto, além da “insuficiência familiar” - com famílias mais fragmentadas, menor número de filhos e fatores como moradias precárias -, o que mais falta é uma política de apoio à família para que ela possa exercer este papel adequadamente”, diz o especialista, que também atua como embaixador global da organização HelpAge International. Uma doença desigual Apesar de o mal de Alzheimer afetar pessoas de diferentes classes sociais, a baixa escolaridade é um dos fatores de risco para o surgimento de demências após os 60 anos. Segundo a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, isto ocorre porque o ensino formal contribui para a criação de redes neurais mais complexas, e estimula o cérebro a elaborar uma reserva funcional maior que será gasta ao longo da vida. Pessoas com maior nível de escolaridade geralmente executam atividades intelectuais mais complexas, que oferecem uma maior quantidade de estímulos cerebrais. Ou seja, um indivíduo que frequentou o ensino superior possui menos chances de adquirir de forma precoce o mal de Alzheimer ou outra doença neurodegenerativa do que o indivíduo que concluiu apenas o ciclo básico de educação. Portanto, aumentar o nível de escolarização pode ser eficiente para prevenir casos de demência. Os especialistas destacam: manter o cérebro constantemente ativo e estimulado pode retardar e até inibir a manifestação da doença. Outros fatores de proteção contra a demência são o controle da hipertensão, do diabetes e da depressão, aliado a hábitos saudáveis como não fumar e praticar exercícios físicos. “Não sabemos com nenhum grau de certeza como prevenir a demência. Mas muito pode ser feito para prevenir a segunda mais frequente forma de demência – a demência vascular, sobretudo através da prevenção e tratamento adequado da hipertensão arterial. Aqui vale a noção dos três terços. Um terço dos casos de hipertensão no Brasil não tem a doença diagnosticada, outro terço a tem diagnosticada, mas não é tratada. E do terço final, muitos iniciam o tratamento com pouca aderência ou falta de acesso aos medicamentos mais indicados”, diz o médico Alexandre Kalache. Segundo a Associação Brasileira de Alzheimer, a doença é uma enfermidade incurável que se agrava ao longo do tempo, mas que pode e deve ser tratada. Os avanços da medicina têm permitido que os pacientes tenham uma sobrevida maior e uma qualidade de vida melhor, mesmo na fase grave da doença. Também há evidências científicas de que atividades de estimulação cognitiva, social e física favorecem a funcionalidade e a manutenção de habilidades dos pacientes. Quando a doença é diagnosticada em sua fase inicial, é possível retardar o seu avanço e ter mais controle sobre os sintomas, garantindo melhor qualidade de vida ao paciente e à família. Em Estocolmo, a anfitriã do terceiro Dementia Forum X será a Rainha Silvia da Suécia, que tem envolvimento pessoal com o tema: sua mãe, a brasileira Alice Sommerlath, sofreu de demência em seus últimos anos de vida. Em consequência da dolorosa experiência com a mãe, em 1996 a Rainha criou a fundação Silviahemmet, um inovador centro de excelência que se dedica a auxiliar e capacitar pessoas envolvidas no cuidado de pacientes com demência. Na capital paulista, a Sociedade Beneficente Alemã é a primeira instituição da América Latina a seguir as recomendações e a filosofia de cuidados da fundação Silviahemmet. “Há modelos que podem ser adaptados ao nosso contexto – daí a importância dos estudos e pacotes de treinamento desenvolvidos pela fundação da Rainha Silvia. Mas vale lembrar que os países desenvolvidos primeiro enriqueceram para depois envelhecerem. Nós estamos envelhecendo muito mais rapidamente, em um contexto de muita pobreza e de imensas desigualdades sociais”, observa Alexandre Kalache.

Calendário cultural, social e esportivo de Peixoto de Azevedo

access_time14/05/2019 11:41

A Prefeitura Municipal de Peixoto de Azevedo informa o calendário cultural, social e esportivo para os meses de junho e julho dando continuidade nas festividades do município. 15 e 16 junho - Etapa do Motocross. 18 e 19 julho - FESCANPAZ - Festival Regional de Música. 20 de julho - Miss Peixoto 2019. 21 de julho - Festa dos Garimpeiros em parceria com a COOGAVEPE. Ainda neste período de junho e julho serão realizados o JAPAZ, Gincana Peixoto 33 anos e Culto Ecumênico com datas a serem confirmadas.

Peixoto de Azevedo comemorou 33 anos

access_time14/05/2019 11:37

No final de semana 03 eventos marcaram esta primeira etapa de comemorações do 33º aniversário político administrativa do município de Peixoto de Azevedo. No sábado (11) aconteceu a Corrida e Caminhada Peixoto 33 anos que teve um percurso de 5 km pela Avenida Itamar Dias, Rua Getúlio Vargas, Avenida Brasil e retornando a Itamar Dias através da Rua Tiago Magalhães Nunes, cerca de 300 atletas de vários municípios de Mato Grosso e de outros estados se inscreveram para a prova que foi considerada pelos atletas com um percurso de alto grau de dificuldade e todos elogiaram a organização. Na categoria Elite masculino Alison Vinicius de Cuiabá venceu e no feminino Aurilia Jerotich Queniana foi a vencedora. Já no domingo (12) aconteceu a Missa de Ação de Graças pelo Aniversário do Município e também pelo Dia das Mães, o Prefeito Maurício Ferreira participou com a família e também junto com a Primeira Dama Marisete fez parte da equipe de leituras, ao final da missa várias homenagens foram realizadas ao município e as mães, uma delas pelo coral da Secretaria Municipal de Assistência Social. Na manhã de 13 de maio aconteceu o Ato Cívico em frente a Prefeitura Municipal com hasteamento das Bandeiras, execução dos Hinos Nacional e Municipal pelo Coral da Secretaria Municipal de Assistência Social, fala do Prefeito Maurício Ferreira e encerramento com a apresentação da Fanfarra Municipal. Nos meses de junho e julho aconteceram ainda outros eventos, confira o Calendário Cultural, Social e Esportivo dando continuidade nas festividades do município. 15 e 16 junho - Etapa do Motocross. 18 e 19 julho - FESCANPAZ - Festival Regional de Música. 20 de julho - Miss Peixoto 2019. 21 de julho - Festa dos Garimpeiros em parceria com a COOGAVEPE. Ainda neste Período de Junho e Julho serão realizados o JAPAZ, Gincana Peixoto 33 Anos e Culto Ecumênico com datas a serem confirmadas.

Natureza beneficia bem-estar e saúde da população, mostra pesquisa

access_time14/05/2019 08:35

Estudo tem demonstrado como o contato com a natureza, mesmo que indiretamente, por imagens, pode ajudar a melhorar o ânimo de pacientes em tratamento contra o câncer. Coordenado pela pesquisadora Eliseth Leão no Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein, o estudo demonstra como relação com a natureza pode ser um elemento de promoção da saúde. Na primeira fase, houve mais de 28 mil avaliações de imagens da natureza produzidas pela própria equipe do estudo, com foco no bem-estar, que formou um banco de 450 fotos que podem ser usadas dentro dos hospitais em futuros procedimentos como este da pesquisa. A partir dessas imagens, um vídeo foi criado e apresentado a 78 pacientes durante sessões de quimioterapia. Os dados ainda estão sendo analisados, mas já mostram que o estado de ânimo deles no momento que começam a receber o medicamento melhora após a visualização do vídeo. “Já foi possível notar que os aspectos negativos de preocupação e ansiedade são inibidos e os positivos, de tranquilidade, são aumentados. Espero que esta tendência seja mantida com o final do tratamento dos dados”, ressaltou Eliseth. Segundo a pesquisadora, há teorias que servem de base para estudos da influência da natureza no bem-estar das pessoas, como a teoria da recuperação psicofisiológica do stress, mostrando que há uma reação restauradora imediata quando se está no meio da natureza. “Depois tem uma outra [teoria] de recuperação da atenção: quando você está na natureza, você tem uma atenção que não é forçada, não é dirigida, então você consegue se recuperar da fadiga mental que nos acomete”, contou. “Outras pesquisas já antecederam o que a gente está fazendo agora. As pessoas já sabem que a natureza faz bem, como quando dizem querer ir à praia em situações de estresse, mas alguns tendem a achar que é algo muito pessoal e sem evidência científica”. Por exemplo, um dos estudos que foram feitos na década de 80, segundo Eliseth, colocava pacientes internados em quartos que tinham vista para a natureza e outros em quartos que não tinham. “Aqueles que tinham vista [para a natureza] saíam do hospital antes, se recuperavam mais rapidamente. Então começaram a estudar como psicofisiologicamente a gente responde. Tem uma série de teorias que mostram que [a natureza] é um ambiente restaurador”. O tema será discutido hoje (14), a partir das 10h, no painel “Saúde e Mata Atlântica”, na capital paulista, durante a programação do evento Viva a Mata 2019, na Unibes Cultural, realizado pela Fundação SOS Mata Atlântica, com participação da pesquisadora. “Muita gente sabe dos impactos causados pela degradação ambiental e como isso afeta a vida das pessoas, e alguns desastres recentes comprovam isso. Mas o que pouca gente sabe é como passar um tempo ao ar livre, principalmente em áreas verdes, traz não apenas benefícios ao bem-estar, como tranquilidade, mas também à saúde. É isso que queremos mostrar e resgatar a relação positiva entre as pessoas e o meio ambiente”, disse Erika Guimarães, bióloga e especialista em Áreas Protegidas da SOS Mata Atlântica. O médico patologista Paulo Saldiva, que também participa do painel hoje de forma remota, concorda com as afirmações da pesquisadora. Para ele, as pessoas não passam indiferentes por uma floresta e, quanto maior a exposição à natureza, menor o risco de infecções, maior a taxa de recuperação e menor o tempo para a alta de um paciente. “Ao termos contato com a natureza percebemos que há uma afinidade com ela, algo que enxergamos, pois foi imprintado em nosso genoma por milhares de anos de evolução”. Ele apresenta um dado da Universidade de Barcelona comprovando como a natureza além de confortar psicologicamente, também aumenta o cérebro de crianças e a produção de substâncias que reduzem inflamações e melhoram a imunidade.

Peixoto de Azevedo sediou Fórum da Cultura

access_time11/05/2019 09:56

Realizado o 2° Fórum de Cultura de Peixoto de Azevedo, na oportunidade foi apresentado o edital para eleição suplementar do Conselho Estadual de Cultura de Mato Grosso. O Fórum é um pré-requisito para os municípios que tiverem candidatos à vaga no Conselho do Estado. Apenas os municípios que realizarem o Fórum estarão habilitados a concorrerem e antecipadamente também já houve a votação do possível representante a vaga no Território do Teles Pires sendo escolhido Marciel da Silva Freitas. O Fórum foi realizado nesta sexta feira (10) no Centro Cultural e contou com a presença de gestores culturais de municípios do Norte de Mato Grosso, alunos, agentes culturais e professores.

Realizada oficina de diagnóstico de acidentes com animais peçonhentos

access_time11/05/2019 09:54

A Secretaria Estadual de Saúde através do Escritório Regional em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde promoveu em Peixoto de Azevedo uma Oficina Técnica para a atualização dos profissionais de Saúde quanto ao protocolo de diagnóstico, identificação e soroterapia nos acidentes com animais peçonhentos. Cerca de 30 profissionais entre médicos e enfermeiros das Unidades de Saúde do município e do Hospital Regional de Peixoto de Azevedo participaram da oficina que aconteceu na Câmara Municipal e teve duração de 04 horas. “Essa Oficina é muito importante para nossos profissionais da Saúde haja visto a quantidade expressiva de acidentes com animais peçonhentos em nossa região” destacou Moaby Ferreira, Secretária Municipal de Saúde. O que são animais peçonhentos? Animais peçonhentos são aqueles que produzem peçonha (veneno) e têm condições naturais para injetá-la em presas ou predadores. Essa condição é dada naturalmente por meio de dentes modificados, aguilhão, ferrão, quelíceras, cerdas urticantes, nematocistos entre outros. Os animais peçonhentos que mais causam acidentes no Brasil são algumas espécies de: Serpentes (cobras); Escorpiões; Aranhas; Lepidópteros (mariposas e suas larvas); Himenópteros (abelhas, formigas e vespas); Coleópteros (besouros); Quilópodes (lacraias); Peixes; Esses animais possuem presas, ferrões, cerdas, espinhos entre outros, capazes de envenenar as vítimas.

Confira a programação do aniversário de Peixoto de Azevedo

access_time09/05/2019 10:10

Reunião na terça-feira (07) na Secretaria Municipal de Assistência Social definiu programação para as comemorações dos 33ª Aniversário de Emancipação Político Administrativa de Peixoto de Azevedo. Programação Peixoto 33 Anos Sábado - Dia 11 17h - Corrida e caminhada Peixoto 33 Anos. Local: Avenida Itamar Dias. Domingo - Dia 12 08h - Missa em Ação de Graças ao 33º Aniversário do Município. Local: Igreja Nossa Senhora Aparecida. Segunda-feira - Dia 13 – 33º Aniversário de Peixoto de Azevedo 07h30 - Ato Cívico com Apresentações do Coral e da Fanfarra da Secretaria Municipal de Assistência Social. Local: Prefeitura Municipal. Organização: Secretarias Municipais Realização: Prefeitura Municipal de Peixoto de Azevedo.

Comemoração do Dia das Mães no SCFV de União do Norte

access_time08/05/2019 09:54

A Secretaria Municipal de Assistência Social de Peixoto de Azevedo realizou um evento especial para as MÃES dos alunos do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) do Distrito de União Norte. Foi uma manhã de homenagens com apresentações culturais, todas as mães que estavam no evento receberam um presente confeccionado por alunos da Oficina de Artesanato do próprio SCFV e uma lembrança de Feliz Dia das Mães entregue pela Secretária Marisete de Souza e sua equipe. Ao final foi servido um delicioso café da manhã para as homenageadas do dia. “Estamos felizes em proporcionar uma manhã especial a estas Mães de União do Norte, quero agradecer a todas que compareceram e participaram com a gente”, destacou a Secretária Marisete.