Kurupí
Notícias recentes
Estelionatário cria perfil com foto da primeira-dama de MT para aplicar golpes

Estelionatário cria perfil com foto da primeira-dama de MT para aplicar golpes

access_time07/11/2019 08:48

Uma foto da primeira-dama do estado, Virgínia Mendes está sendo usada por um estelionatário que crio

Homem leva coronhada na cabeça e tem carteira roubada

Homem leva coronhada na cabeça e tem carteira roubada

access_time21/09/2018 15:35

Fato ocorreu por volta das 20h30, de quinta-feira (20), no Bairro Santa Isabel em Peixoto de Azevedo

Após 19 anos sem notificação, MT registra dois casos de sarampo em adultos

Após 19 anos sem notificação, MT registra dois casos de sarampo em adultos

access_time26/06/2018 07:41

Um homem de 31 anos e uma mulher de 30 foram diagnosticados com sarampo, em Guarantã do Norte. São o

ENTRETENIMENTO

17ª Edição da Parada de Diversidade Sexual deve reunir 20 mil pessoas em Cuiabá

access_time14/11/2019 09:25

A 17ª Edição da Parada da Diversidade Sexual será realizada neste sábado (16), em Cuiabá. O tema escolhido para esse ano foi: “Resistência, Amor e Luta”. O ponto de concentração popular será na Praça Ipiranga, a partir de 14h, seguindo para Orla do Porto, onde haverá apresentações artísticas regionais e nacionais. A expectativa de público esperada é de cerca de 20 mil pessoas. A Parada já foi consolidada como o principal ato de resistência e afirmação dos direitos LGBTQI+. O presidente do Conselho, Valdomiro Arruda, explica que neste ano, além da sexualidade, o movimento estende o debate também à classe trabalhadora. Programação Ao longo do trajeto, que cruza as avenidas Tenente Coronel Duarte (Prainha) e XV Novembro, milhares de pessoas vão colorir as ruas de Cuiabá. Na Orla, artistas como Seven, Henderson Santana, Almerinda, Pedro Tavares, Bia Trindade, Daiely Cristina, Wallazi, talentosas Dragas , artistas da cidade de Cuiabá e do interior do estado, fazem as apresentações, que se estendem até às 23h. A Parada é realizada pelo Grupo Livremente: Conscientização e Direitos Humanos (LGBTQI), Conselho Municipal de Atenção a Diversidade Sexual de Cuiabá (CMADS) e sob a coordenação geral do Conselho Estadual de Educação, União Brasileira de Mulheres, Mães pela Diversidade e Conselho da Juventude (Conjuv). O evento tem o apoio da Prefeitura de Cuiabá, Serviço O que: 17ª Parada da Diversidade Sexual de Cuiabá Quando: Sábado (16) Concentração: Praça Ipiranga Horário: 14h Chegada: Orla do Porto, com shows até 23h

Filhote de cão com rabo 'extra' na testa é resgatado nos EUA

access_time14/11/2019 08:36

Um filhotinho de 10 semanas com um rabo no meio da testa foi resgatado por um centro de proteção de animais no Missouri, nos Estados Unidos. O cachorrinho foi chamado de Narwhal, uma referência ao narval, uma baleia que aparenta ter um longo chifre saindo da cabeça (na verdade, é um de seus dentes). A popularidade das fotos do pequeno Narwhal no Facebook ajudaram a ampliar o alcance do trabalho feito pelo centro. Sem dor Rochelle Steffen, que administra o Mac's Mission, nomeou o centro de resgate em homenagem a um pit-bull terrier que resgatou há sete anos e meio. Steffen disse à BBC News que Narwhal "não sente dor e brinca o tempo todo". No Facebook, Steffen contou que o pequeno Narwhal foi ao veterinário na terça-feira (12/11). Os raios-x mostraram que seu segundo rabo, que tem um terço do tamanho do seu rabo de verdade, não está conectado a nenhum órgão interno e não tem nenhum osso — e portanto não pode ser 'abanado'. Narwhal ainda não está disponível para adoção porque os cuidadores do centro querem que ele cresça um pouco mais "para se certificar de que o rabo não será um problema". Steffen diz que Narwhal é um de centenas de cachorros abandonados na zona rural do Missouri. O centro Mac's Mission recebe os que têm necessidades especiais — deformidades, traumas, fissuras labiais, deficiências — e que normalmente seriam sacrificados. "Nós damos uma chance a eles", diz Steffen. Fotos e vídeos de Narwhal na página do Facebook do centro tiveram dezenas de milhares de curtidas em menos de 24 horas. Steffen diz que a divulgação do centro é toda feita de forma amadora, pelas redes sociais, e que a atenção que o local vem recebendo é algo "épico". "É épico que tantas pessoas descubram esse resgate incrível."

Confira o gabarito do Enem 2019

access_time14/11/2019 08:06

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) publicou, na tarde de hoje (13), os gabaritos com as respostas do Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem, de 2019. O instituto disponibilizou também as versões digitais dos cadernos de prova. Apesar da possibilidade de conferência do gabarito, as notas dos estudantes ainda serão reveladas. Elas serão calculadas usando uma metodologia chamada de “Teoria de Resposta ao Item” (TRI), que leva em consideração a média de acertos total em determinadas questões para calcular a probalidade de “chutes” em questões mais difíceis. O método, apelidado de “sistema antichute” cria um cálculo variável das notas. A previsão é que o resultado final seja divulgado em janeiro de 2020. Confira o gabarito oficial: Enem 2019 - Agência Brasil

Internado, candidato é levado para fazer o Enem em ambulância: 'Tinha que fazer a prova'

access_time11/11/2019 18:36

Após fazer uma cirurgia de emergência, no sábado (9), o candidato Breno Faustino de Assis, de 16 anos, foi levado de ambulância para fazer a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), neste domingo (10), em Sinop. Mesmo convalescente, ele não quis deixar de fazer o exame. Dessa forma, o candidato foi levado de ambulância até o local de prova. "Tinha que fazer a prova", disse ele depois do exame. Um vídeo feito pela equipe do hospital, mostra o paciente sendo colocado na maca, depois, sendo na ambulância e conduzido ao local de prova. Breno fez a prova em uma sala separada e teve apoio de duas enfermeira, uma do Enem e outra do hospital onde ele estava internado. A segunda ficou responsável por ministrar a medicação que Breno estava tomando, até o término da prova. O candidato fez Enem na tentativa de ingressar em uma faculdade de medicina. Dores abdominais A mãe de Breno, Marisa Dias relatou que ele passou mal na sexta-feira (8), após tomar um caldo de cana. Em princípio, ela achou que fosse apenas um desconforto estomacal, mas ele passou mal novamente durante a madrugada de sábado. Ao ser levado para o Pronto Atendimento, o médico diagnosticou a apendicite e disse que ele precisava de uma cirurgia de emergência. Breno não queria e perguntou se tinha como adiar o procedimento, mas o médico disse que não. No domingo, após a cirurgia e se sentindo bem, ele pediu que o médico o liberasse para a prova. O médico fez inúmeras recomendações e Breno fez a prova em uma sala separada e sobre a maca. Motivação para esforço O pai de Breno, o advogado Francisco Assis Dias de Freitas, de 52 anos, foi assassinado em março deste ano. Ele estava em casa quando foi atingido por vários disparos e morreu na frente dos filhos. De acordo com a mãe, desde a morte do pai, Breno vem se esforçando para se sair bem no exame e assim, superar o ano difícil que a família vem enfrentando.

'Não me abati', diz advogada repreendida no STF por chamar ministros de 'vocês'

access_time11/11/2019 18:30

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) criticou a postura do ministro e, nesta sexta-feira (8), a advogada também se posicionou sobre o caso e disse não ter ficado abalada com a situação. Daniela Borges, que é presidente da Comissão Nacional da Mulher Advogada e também é professora da Universidade Federal da Bahia (Ufba) e da Faculdade Baiana de Direito, participou da sessão que julgava recurso extraordinário em que se discutiu a incidência de contribuição previdenciária sobre o salário-maternidade. Ela defendia a inconstitucionalidade da medida quando foi interrompida pelo ministro após utilizar o pronome “vocês”. Marco Aurélio defendeu que o correto seria tratá-los por “vossas excelências”. “Presidente, novamente, advogado se dirige aos integrantes do Tribunal como ‘vocês’? Há de se observar a liturgia. É uma doutora, professora”, repreendeu Mello. Após ter a fala interrompida, Daniela pediu desculpas e, depois, seguiu com a sustentação. “Peço desculpas a Vossa Excelência. Talvez pelo nervosismo. O senhor, Vossa Excelência, tem toda a razão. Peço desculpas. É o que posso fazer no momento", destacou a advogada. Por meio de nota divulgada nesta sexta, Daniela Borges disse que, apesar da interrupção do ministro, terminou a sustentação oral com tranquilidade e que cumpriu sua missão. "Agradeço as inúmeras manifestações de solidariedade e carinho que recebi desde ontem, quando durante minha sustentação no STF fui interrompida pelo eminente Ministro Marco Aurélio, que chamou a atenção para o tratamento dirigido aos membros da Corte. Quero dizer que, para mim, o importante é que ao final cumpri minha missão. Não me abati, terminei a sustentação oral com tranquilidade. O próprio Ministro, ao pedir vista, fez menção a um argumento que levantei e que fez com que ele repensasse seu posicionamento. Portanto, penso que o resultado foi positivo e espero que, ao final, seja declarada a inconstitucionalidade da contribuição previdenciária sobre o salário maternidade, matéria de grande importância para as mulheres". A reportagem entrou em contato com a assessoria de comunicação do STF, para saber se o ministro Marco Aurélio vai se posicionar sobre o caso, e até a última atualização desta reportagem não obteve retorno. A Ordem dos Advogados do Brasil na Bahia (OAB-BA), por meio de nota, se solidarizou com a advogada, criticou a atitude de Marco Aurélio e disse que a diferenciação de sujeitos, por meio de pronomes de tratamento, representa "nítida herança do regime colonialista brasileiro ainda não superado". "A linguagem, símbolo de poder e opressão, cuida de colocar em diferentes castas aquele que fala daqueles outros aos quais dirige a palavra, servindo de costura ao esquema de docilidade tão bem referido por Foucault, para a projeção das modernas relações de vassalidade, submissão e obediência. Os sutis, mas não menos violentos, arranjos de poder que traduzem as “corretas” formas de tratamento, mais do que sobrepor a forma ao conteúdo, são responsáveis por garantir a incontestabilidade de seus ditadores, ocultando-lhes, com seus títulos, o vazio de seus significados". A OAB disse ainda, por meio da nota, que "interromper a palavra da advogada para exigir observância da liturgia é atravessar a voz das cidadãs ali representadas, mais especificamente das mulheres parturientes cujos interesses estavam ali colocados, em gesto notadamente colonialista. O fato demonstra que foi mais palatável ao ministro do STF uma reprimenda primorosamente rebuscada que o respeito insubmisso, o que é apenas um dos muitos sintomas do profundo adoecimento institucional do Estado".

Proteção de dados deve ser regulada globalmente, diz historiador

access_time08/11/2019 10:48

O mundo vive uma revolução impulsionada pela inteligência artificial e os governos devem adotar medidas para proteger os cidadãos dos riscos e das possíveis consequências negativas da adoção dessa tecnologia. Esse foi o alerta do historiador Yuval Noah Harari na conferência de encerramento da 5ª Semana de Inovação, evento promovido pela Escola Nacional de Administração Pública (Enap) nesta semana em Brasília. Harari é professor da Universidade Hebraica de Jerusalém e autor de best-sellers mundiais como Sapiens: uma Breve História da Humanidade e Homo Deus: uma Breve História do Amanhã. O historiador e filósofo discute os cenários do futuro possível da humanidade e os riscos associados ao desenvolvimento de novas formas de organização social, especialmente aqueles relacionados a novas tecnologias como a inteligência artificial (IA). Segundo o acadêmico, as autoridades públicas precisam empreender esforços para proteger os cidadãos em um conjunto de desafios. O primeiro deles diz respeito ao futuro do trabalho. A IA e a automação devem reconfigurar profundamente os mercados, com potencial para fazer desaparecer boa parte dos empregos atuais e criar novos ofícios. Contudo, não está claro se haverá uma substituição em número suficiente para evitar uma crise de desemprego. Harari acredita que o problema vá além. Até 2050, pode haver inclusive surgimento e desaparecimento de atividades laborais em curtos prazos. Isso demandará uma capacidade de requalificação dos trabalhadores, de modo a trocar de atividade mais de uma vez ao longo de sua vida. Esta seria uma tarefa chave dos governos. Enquanto no século 20 as políticas públicas de educação foram moldadas para os jovens, no século 21 elas deverão contemplar também os adultos. “Não estamos perto do potencial pleno da IA, mas no começo. Será uma cascata de inovações. Vamos ter ondas de automação em 2035, 2045. Pessoas vão ter que se reinventar repetidamente em suas vidas e os governos vão ter que participar e ajudar as pessoas a gerir suas vidas nos períodos de transição, por meio do pagamento do retreinamento”, projeta. O professor israelense citou o caso do setor de transportes como exemplo dos riscos de devastação de empregos e concentração de poder econômico. Com a ascensão de plataformas como Uber e com a implantação de carros autônomos, o que hoje é uma miríade de pequenos serviços de transporte privado pode se concentrar em poucas corporações. Divisão internacional O historiador vê a possibilidade da IA potencializar não apenas desigualdades entre classes, mas entre países. Ele lembrou que a corrida pelo desenvolvimento desta tecnologia tem hoje Estados Unidos e China bem avançados e outros países com muito menos capacidade de produção. Este cenário seria equiparado à Revolução Industrial no século 19, quando o Reino Unido estabeleceu uma vantagem competitiva sobre o restante do mundo. Quem mais pode sofrer com essa diferença, acrescentou, são os países em desenvolvimento. Enquanto no século 20 essas nações puderam gerar riqueza ao oferecer força de trabalho mais barata, em um cenário de intensa automação as regiões periféricas podem sofrer o que o autor chama de uma nova forma de colonização. “Os dados agora são a matéria-prima. O impacto da IA no mercado será diferente em países distintos. O resultado pode ser que a maioria dos países podem ser colonizados no âmbito do uso de dados pelos líderes da revolução de IA. A automação pode levar a uma nova forma de imperialismo. Vai haver mais trabalhos para engenheiros de software na Califórnia, mas menos para caminhoneiros em Honduras”, comentou. Perigos políticos Um segundo grupo de perigos diz respeito aos processos políticos. Harari estimou que a combinação de bioengenharia, poder computacional e coleta e tratamento de dados permitiriam uma prática que o historiador caracterizou como “hackear os seres humanos”. Ao possuírem informações biométricas e comportamentais das pessoas, governos e corporações controladores destes dados e de capacidade tecnológica conseguiriam saber mais sobre os indivíduos do que eles mesmos, o que poderia ser empregado para manipulação de sentimentos e atitudes e tomada de decisões. “Um algoritmo pode dizer a orientação sexual de um adolescente somente rastreando movimentos do olho. Talvez até eu não saiba que sou gay, mas a Coca Cola saiba. Na próxima vez que mostrar uma publicidade, vai mostrar com homem e não com mulher, me fazendo escolher este produto. E essa informação vai valer bilhões. Mas vai ter outras consequências, também. Em alguns países há penas de morte por homossexualidade”, exemplificou. O professor ponderou que os governos terão de resistir à tentação de montar máquinas de vigilância, pois o uso delas “pode gerar os regimes mais totalitários já vistos”. Mais do que apenas não atuar desta maneira, os governos devem proteger seus cidadãos das corporações que operam coletando dados e influenciando condutas dos indivíduos. Para isso, sugeriu, é necessário regular a propriedade dos dados. “Agora a política é crescentemente controlar os fluxos de dados. Se muitos dados são controlados por uma pequena elite, veremos uma ditadura digital. É papel dos governos regular a propriedade dos dados. Não podemos deixar para as corporações. Elas não representam ninguém, e nenhum cidadão votou nelas”, argumentou. Mas tal regulação, complementou, não pode ser apenas de um Estado individualmente, mas deve ser organizada como “um acordo global sobre vigilância e propriedade de dados”. Ameaças existenciais Harari incluiu entre as tarefas do poder público uma última classe de riscos, relacionados ao que denominou “ameaças existenciais”. Ele citou como exemplo destas a fabricação e o emprego de armas automáticas, também chamadas popularmente de “robôs assassinos”. Assim como no item anterior, a proteção contra essas tecnologias perigosas não será eficaz em apenas um país, mas como um esforço global. “Os robôs matadores são a tecnologia mais perigosa. Países podem dizer que não querem desenvolver, mas o fazem por não poder confiar nos rivais. Se permitirmos uma corrida assim, não importa quem ganha, perde a humanidade. Prevenir a corrida não é criar muros, mas construir confiança entre países”, recomendou. Outra ameaça existencial apontada pelo historiador é a própria mudança na ideia de evolução e seleção natural. Com o uso de bioengenharia e novas tecnologias como inteligência artificial, ele projetou possibilidades como a desconexão da consciência dos corpos por meio de suportes inorgânicos ou até mesmo da criação de entes inteligentes sem consciência. “Seleção natural vai ser substituída por design inteligente. Vai ser a nova forma da evolução. Vai acender o reino do inorgânico. É possível que o planeta Terra seja dominado por entidades diferentes de nós, de como éramos dos chimpanzés. Em 200 anos, a Terra pode ser dominada por entidades superinteligentes sem consciência”, anteviu. Caminhos Diante de cenários tão preocupantes, Harari terminou sua conferência lembrando que tais caminhos são possibilidades, não profecias. O emprego e a regulação das tecnologias dependeria de escolhas humanas. E, neste sentido, os governos teriam o papel chave, uma vez que são os entes democraticamente eleitos para conduzir os rumos da coletividade. “A revolução IA coloca desafios sem precedentes. Se alguém tem medo de algum deles, ainda pode fazer alguma coisa em relação a isso. A coisa mais importante sobre tecnologia é entender que ela não é determinista. Podemos usar as soluções técnicas para criar diferentes formas de sociedades”, concluiu o professor.

China vai restringir jogos online em 90 minutos por dia útil

access_time08/11/2019 10:41

O governo chinês informou que vai restringir o horário de os menores de idade praticarem jogos online durante 90 minutos por dia útil, como parte dos esforços para evitar o vício em jogos. A agência estatal de notícias Xinhua informou que a medida foi anunciada nesta semana. De acordo com o novo regulamento, jovens com 18 anos ou menos não poderão praticar jogos online entre as 22h e as 8h. Eles poderão jogar até três horas nos fins de semana e feriados. Os usuários de jogos online deverão fazer um registro com o nome real e outras informações de identificação. Um sistema para validar esses dados pessoais foi implantado. A agência diz ainda que caso os provedores de jogos online não cumpram os novos regulamentos, poderão ter suas autorizações de empreendimento revogadas. *Emissora pública de televisão do Japão

Linhas pré-pagas de 17 estados devem ser recadastradas até dia 18

access_time05/11/2019 08:48

As pessoas com linha telefônica pré-paga em 17 estados têm até o dia 18 de novembro para fazerem um recadastramento e atualizarem seus dados, sob risco de ficarem com o serviço bloqueado. A medida faz parte do projeto da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para a criação do cadastro nacional de usuários dos serviço de telefonia celular pré-paga. A exigência vale para os moradores de cidades dos seguintes estados: Alagoas, Amazonas, Amapá, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Piauí, Rio Grande do Norte, Pará, Paraíba, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Roraima, Sergipe e São Paulo. Esta é a terceira e última fase do recadastramento, que iniciou em 2 de setembro. Antes dela, residentes das demais Unidades da Federação também entraram na obrigação do recadastramento. O processo ocorreu até o dia 15 de outubro nos seguintes estados: Acre, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rondônia, Tocantins e Santa Catarina. Os usuários de pacotes pré-pagos serão acionados pelas operadoras por canais como mensagem de texto, ligações ou pop ups em sites. O procedimento é aplicado apenas aos usuários com pendências cadastrais. As operadoras também disponibilizaram canais de atendimento para fornecer mais informações sobre o recadastramento, como páginas específicas nos sites e números, conforme dados da Anatel. Após a conclusão do recadastramento, as informações serão reunidas em um site, a ser disponibilizado em janeiro do ano que vem pela Anatel. Os cidadãos poderão consultar as linhas ativas a partir do seu registro no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) para identificar se aquelas listadas estão corretas. Segundo a Agência, assim será possível identificar eventuais fraudes.

Cemitério José Tiburski movimentado neste feriado de finados

access_time03/11/2019 10:57

O Dia de Finados, também conhecido como Dia dos Mortos, se trata de feriado religioso, dedicado a orações e homenagens aos que já se foram. A palavra “finados” significa algo que findou, acabou ou morreu. No Brasil, o Dia de Finados faz parte de costume católico em visitar as sepulturas dos entes queridos que já morreram e enfeitar seus túmulos com flores. As pessoas também acendem velas por suas almas e rezam por eles no cemitério. Por que em 2 de novembro? Conforme registros históricos, a tradição foi instituída pela Igreja Católica no século 10 e diz que os vivos devem interceder pelas almas que estão no purgatório esperando a purificação. Mas, o costume é mais antigo do que se imagina. Desde o século 2, ao que tudo indica, já se tem indícios de cristão que rezavam por seu falecidos, visitando os túmulos dos mártires e pedindo pelos que já morreram. Em Peixoto de Azevedo centenas de pessoas visitaram o cemitério pela manhã e muitas participaram da linda missa celebrada pelo padre Junior da Igreja Católica, que em seu sermão falou da importância dos pais serem mais presentes na criação e educação dos filhos. 

Manoel Gomes, autor de "Caneta Azul", registra direitos autorais do hit

access_time29/10/2019 15:10

O maranhense Manoel Gomes, autor do hit "Caneta Azul", deu início na tarde dessa segunda-feira (28/10) ao processo de registro dos direitos autorais da música que viralizou nos últimos dias. Manoel se dirigiu a um cartório, acompanhado do advogado Arnaldo Gomes, e aproveitou para solicitar também o registro de outra composição de sua autoria, chamada de "Vou Deixar de Ser Besta". O cantor e compositor do Manoel Gomes, é natural de Balsas, município que fica a 816 km da capital maranhense. Desde que foi publicado, o vídeo em que Manoel canta "Caneta Azul" caiu no gosto dos internautas, que não conseguem mais tirar música da cabeça. O que chama atenção no vídeo, além da letra da música, é a forma como o balsense interpreta a canção. "Caneta Azul" conta a história de quando Manoel perdeu a sua caneta azul a caminho da escola, que segundo ele, estava marcada com suas ‘letras’. Depois do vídeo versão original ter viralizado, diversas outras versões da canção já estão circulando nas redes sociais, desde forró até remixado. Artistas como Rodrigo Faro, Simone (da dupla Simone e Simaria), Léo Magalhães, Taty Vaqueira, Ray do Saia Rodada e vários outros já reproduziram em suas redes sociais o sucesso da “Caneta-Azul”. O vídeo original de "Caneta Azul" no YouTube já tem quase 5 milhões de visualizações.